Estamos de volta!!

Estamos de volta!!
O Inverno Chegou...

30 de set de 2010

GIRA...GIRA...RODA GIGANTE!



Gira...gira...roda gigante!


Ela gira...gira alto
Vai voando lá pra o céu
E eu aqui, bem quietinha
Pensando em Papai Noel


O natal já está pertinho
Já sei o que vou querer
Uma linda roda gigante
Será que vou merecer?


Fui boazinha com a mamãe
Com o papai e o irmãozinho
Por isto eu sei que mereço
De todos,muito carinho


gira...gira...roda gigante
gira...gira...sem parar
Quando eu chegar bem no alto
É lá, que eu quero ficar!


Vou brincar nas doces nuvens
Que parecem colchãozinhos
Nosso lindo pula-pula
Brincarei com os anjinhos...


Entrarei na bela lua
O São Jorge eu quero ver
Do seu lindo cavalinho
Ele vai ter que descer


Estrelinhas eu vou guardar
Na palma da minha mão
Pra trazer para os meus pais
Também, para o meu irmão.


gira...gira...roda gigante
gira...gira...estou gostando...
Enquanto você gira aí....
Eu aqui, fico sonhando....



bjão


28 de set de 2010

VOVÓ MARIQUINHA



 VOVÓ MARIQUINHA


Quem é que vem chegando?
- É a vovó Mariquinha!
Que é que veio fazer?
- Vim ver minha netinha!


Chegou vó Mariquinha...
Chegou vó  Mariquinha...
Ela trouxe para mim
Uma boneca tão lindinha!


Abra a porta minha neta
Eu quero lhe abraçar
E com a bonequinha
Você,logo vai brincar!


Vá entrando vovozinha
Você é o meu amor
Eu ganho a bonequinha
Pra você eu dou uma flor!


Obrigada minha netinha
Não precisa se preocupar
Em vez desta flor...
Seu amor, venha me dar!


bjs,soninha

27 de set de 2010

** O MENINO E A BARATINHA **




** O MENINO E A BARATINHA **



Baratinha...baratinha...
me responda,por favor:
- como é que é o seu nome,
e qual é mesmo a sua cor?!



O meu nome é cascuda,
mas me chame cascudinha....
Minha cor é meio estranha,
penso eu, que é marronzinha. 



Baratinha...baratinha...
você é tão sujinha,
por que não toma banho
pra ficar mais limpinha?



Menininho...menininho
Gosto muito de ficar
caminhando pelo lixo
- Como posso me limpar?



Baratinha...baratinha...
Pare de, no lixo andar
Tome uma boa chuveirada
Que limpinha vais ficar



Menininho...menininho...
Como eu posso parar
Se é no lixo que a comida
De montão, vou encontrar?!



Baratinha...baratinha...
Eu vou lhe adotar
Vou lhe dar muita comida
E o lixo, vais deixar!



Sendo assim, menininho...
Eu vou lhe prometer
Do fedorento lixão,
Eu vou me esquecer!



Vou morar na sua casa
Comer sua comidinha
Dormir no seu chinelo
Ser uma limpa baratinha!




Galerinha....é só fantasia viu?! 
Nada de adotar baratinhas... 




bjs,soninha



** COLORINDO A VIDA **



COLORINDO A VIDA



Com meus lápis coloridos
Minha vida,vou pintando
Cores alegre e vivas
Por aí...vão encantando



Com o azul pinto a mamãe
O papai vai de amarelo
O vermelho eu vou usar
Pra pintar lindo castelo



O meu grande amiguinho
O coleguinha Juquinha
Vou usar o cor-de-rosa
E o vermelho na boquinha



Margaridas são lilases
Violetas, as casinhas
Dourado é o cabelo
Das duas lindas fadinhas



Se você, também quiser
Vou sua vida pintar
Com os meus lápis coloridos
E a sua vida alegrar!



bjs,soninha


26 de set de 2010

** UM LUGAR ENCANTADO **




Era uma vez....

Um cantinho mágico onde as criancinhas aprendiam a ler, escrever, respeitar os coleguinhas,brincar,repartir o lanche e ser feliz.

Ali, uma fada ía todos os dias para receber as criancinhas e ensinar tudo isto e mais um montão de coisinhas que elas adoravam . A fadinha sentava no chão ao lado das crianças e contava para elas as mais lindas historinhas do mundo.

Na hora do lanche a fadinha estava sempre ali ajudando os pequetitinhos a abrirem a lancheira e dava a merendinha na boca daqueles que eram menorzinhos.

Quando Marquinhos fazia xixi no short, a fadinha com muita paciência, trocava a roupinha molhada do coleguinha e vestia uma enxutinha que ele sempre levava na sua mochila.

Se Vivi ficava com febre,a fadinha a colocava deitadinha numa caminha linda, com cobertinha cor-de-rosa,dava um remedinho para ela e mandava um pombo correio levar um bilhetinho para a mãezinha da Vivi e não demorava muito a mãe da Vivi chegava para buscar a menininha.

Só faltava uma coisa neste lugar encantado,mágico e bonito. Ele não tinha nome!

Um dia a fadinha falou para as crianças:

- Precisamos dar um nome para a nossa casinha,o que vocês acham?

- Achamos legal,falaram as crianças . E qual nome vai ser?

- Vocês escolherão,disse a fadinha...

As crianças pensaram...pensaram e responderam: 

- ESCOLA!

E foi assim que todos começaram a chamar de escola aquele lugar mágico e encantado onde a vida era sempre mais alegre e feliz!

Será que foi um anjinho que soprou nos ouvidos das crianças o nome ESCOLA?


bjs,soninha

** AS VAIDOSAS **



AS VAIDOSAS



Estas duas amiguinhas
Muito,muito vaidosas
Gostam muito de pintar
As unhas,com esmalte rosa



Aninha,mais cuidadosa
Tira sempre a sandalinha
Porque ela está preocupada
Com as unhas bem pintadinhas...



Lucinha,mais afobada
E bem mais apressadinha
Pinta todas as suas unhas
Calçada com a sandalinha



Agora vocês respondam
Qual das duas menininhas
Vai ter as unhas dos pés
Sem borrões e bonitinhas?



bjs,soninha

** O MENINO QUE ENFEITOU O CÉU**!



O MENINO QUE ENFEITOU O CÉU!


 Lulinha morava numa favela onde as crianças não tinham muitos brinquedos,então ele resolveu fazer pipas para as crianças brincarem e enfeitar o céu.

O menino arranjou papel,cola, varetas tesoura e barbante com a sua mãe,e começou a fazer as lindas e coloridas pipas que iriam fazer a alegria daquele lugar triste e sem cor. 

As pipas eram coloridas e as rabiolas grandes e bonitas.ele queria que elas voassem bem lá no alto e cá embaixo todos pudessem vê-las.




Fez pipa para o Marquinho:



Para a Julinha:




Ele fez tantas pipas que as outras pessoas foram ajudar.




A favela se encheu de cores e alegria:




O céu ficou mais lindo do que já era....cheiinho de pipas!




Lulinha ficou tão feliz que fez um campeonato de pipas.O céu ficou tão lindo!...

Sabem quem foi o vencedor?

O Lulinha! Isto mesmo. Ele venceu o campeonato e ganhou a mais linda pipa da sua vida.




Viu?!

Um menininho que não tinha quase nada,conseguiu levar a alegria para o lugar onde ele morava e ainda ganhou um prêmio .

Não foi bom?!

bjs,soninha



** UMA BREVE CORRIDINHA! **



** UMA BREVE CORRIDINHA **



Se você está gordinho
Saia logo da cadeira
Vá fazer uma corridinha
Naquela linda esteira...



Se exercite com prazer
Sem nenhuma afobação
Para não adoecer
O seu lindo coração...



Tome um gostoso banho
Quando você terminar
Vista o seu pijaminha
Para você descansar



Sonhe com lindas estrelas
Com fadas e com a princesinha
Cuidado para não cair
Da sua gostosa caminha...



bjs,soninha


A CAIXA DE LÁPIS





A CAIXA DE LÁPIS


Eu estava concentrado em meus pensamentos em meu escritório, preparando uma palestra para aquela noite em uma faculdade da cidade, quando o telefone tocou. Uma mulher que eu não conhecia se apresentou e disse- me ser mãe de um garoto de sete anos e que ela estava morrendo.Disse que seu terapeuta a tinha recomendado não discutir sua morte com seu filho pois seria demasiado traumático para ele, mas de algum modo ela sentia que não estava correto.

Sabendo que eu trabalhava com crianças, pediu meu conselho. Eu disse- lhe que nosso coração é, normalmente,mais esperto do que nosso cérebro e que eu a reditava que ela sabia o que seria melhor para seu filho. Eu a convidei para assistir a palestra daquela noite, já que eu falaria exatamente sobre como as crianças lidam com a morte. Ela respondeu que estaria lá.

Mais tarde eu pensava em como a reconheceria, mas minha dúvida foi esclarecida quando vi uma frágil mulher entrar carregada por dois adultos. Eu falei sobre o fato de que as crianças geralmente detectam a verdade muito tempo antes que lhe sejam ditas e que freqüentemente aguardam até que os adultos estejam prontos para falar. Eu disse que as crianças geralmente podem suportar melhor a verdade do que a omissão, mesmo que a omissão pretenda protegê- las da dor. Eu disse que o respeito às criançsignific a incluí- las nas tristezas e melancolias da família, não deixando- as de fora.

Ela tinha ouvido o suficiente. No intervalo, subiu ao palco e entre lágrimas disse,

- Em meu coração eu sempre soube. Eu sabia que deveria lhe contar. Terei uma conversa essa noite com meu filho.

Na manhã seguinte eu recebi outro telefonema dela. Mal podia falar, mas me esforcei para ouvir a história naquela voz sufocada. Ela disse que o acordou quando chegaram em casa à noite e, calmamente disse a ele,

- Derek, tenho algo muito sério para lhe contar.

Ela a interrompeu dizendo,

- Mãe, você vai me contar que está morrendo?

Ela o abraçou apertado, e ambos choraram quando ela disse,

- Sim.

Depois de alguns minutos, o menino desceu. Disse que tinha guardado algo para ela. Atrás de uma de suas gavetas estava uma suja caixa de lápis. Dentro da caixa uma carta escrita no simples rabisco de uma criança. Dizia, "Adeus, mamãe. Eu sempre lhe amarei".

Quanto tempo tinha esperado para ouvir a verdade, eu não sei. Eu sei que dois dias depois a jovem mãe morreu. E em seu caixão foi colocado uma suja caixa de lápis e uma carta.

T raduç ão de SergioBarros do texto de Doris Sanford
(Site: Fonte Reflexão - www.fontereflexao.c jb.net)


bjs,soninha

24 de set de 2010

O CUSTO DA GRATIDÃO



O CUSTO DA GRATIDÃO


Randal e seu pai costumavam passear juntos aos sábados. Nada espetacular. Simplesmente uma ida ao parque, ou à marina para olhar os barcos.

Por vezes, uma visita em lojas de bugigangas, só para comprar aparelhos eletrônicos baratos, para desmontá-los ao chegar em casa e verificar seu sistema de funcionamento.

Algumas vezes havia uma parada na sorveteria. Randal nunca sabia se o pai iria ou não parar na sorveteria. Por isso, esperava ansioso, na volta para casa, que o pai enveredasse por aquela esquina decisiva. A esquina que significava animação e água na boca.

O pai do garoto, por vezes, tomava o caminho mais longo. Dizia que era para mudar um pouco o trajeto. Em verdade, parecia um jogo, onde ele ficava testando o autocontrole do filho.

Quando chegava na esquina, ele oferecia:

– Quer um sorvete de casquinha?

O garoto pedia sorvete de chocolate, e o pai, de creme. Andavam devagar até o carro e ficavam saboreando o sorvete. Para o garoto, aquilo era o paraíso.

Certo dia, em que rumando para casa, passavam pela esquina, o pai perguntou:

– E aí, quer um sorvete de casquinha hoje?

– Boa pedida! disse Randal.

– Também acho, concordou o pai. Não quer pagar hoje?

O sorvete custava então vinte centavos. A cabeça de Randal começou a girar. Ele podia pagar. Ganhava uma mesada semanal de vinte e cinco centavos, mais uns trocados por serviços eventuais.

Mas ele queria economizar. Economizar era importante. E, por se tratar do seu dinheiro, Randal achou que sorvete não era um bom investimento.

E aí ele disse as palavras mais feias que podia ter dito naquele momento:

– Bom, nesse caso, acho que vou desistir.

A resposta do pai foi lacônica. Concordou e começou a andar em direção ao carro estacionado. Assim que fizeram a curva a caminho de casa, o garoto percebeu o quanto estava errado.




Como ele pudera ser tão mesquinho? Seu pai já perdera a conta de quantos sorvetes lhe pagara e ele nunca comprara nenhum para ele. Como ele pudera perder aquela oportunidade rara de dar alguma coisa àquele pai tão generoso?

Pediu ao pai que voltasse. Em vão. Randal ficou se sentindo péssimo por seu egoísmo, sua ingratidão. Foram para casa.

Aquela semana foi terrível, longa, angustiante. O pai não agiu como se estivesse desapontado ou desiludido. Contudo, o garoto pensava e pensava.

No final de semana seguinte, quando fizeram o novo passeio, ele fez questão de conduzir o pai até à sorveteria e lhe oferecer, sorrindo:

– Pai, quer um sorvete de casquinha hoje? Eu pago! 





Naqueles dias, Randal aprendeu que a generosidade tem mão dupla, que a gratidão algumas vezes custa um pouco mais do que um simples “obrigado”. No seu caso específico, lhe custou vinte centavos. E lhe valeu uma lição para a vida.

 
Adaptação da Equipe de Redação do Momento Espírita, com base no cap. O custo da gratidão, de Randal Jones, do livro Histórias para aquecer o coração dos adolescentes, de Jack Canfield, Mark Victor Hansen, Kimberly Kirberger, ed. Sextante


bjs,soninha


23 de set de 2010

A GRANDE FESTA!




A GRANDE FESTA!


No Reino Mágico do Faz de Conta estavam todos ansiosos porque receberiam uma importante visita. As casas foram bem limpas e arrumadas, roupas de cama e mesa, novinhas, saíram de dentro dos baús para cobrir os móveis, pratarias e cortinas, tudo do bom e do melhor estava sendo usado naquele dia tão importante para todos.

O Rei havia decretado feriado e solicitado que fossem todos para a Praça das Fontes onde a nobre visita seria recebida com muitas honrarias e cânticos.

O coral dos pássaros já estava a postos nos galhos das árvores e um outro coral, o das criancinhas,estava junto à fonte principal aguardando o grande momento.

A cavalaria do palácio, atenta e em posição,a postos para curvar-se diante da nobre visita, homens, mulheres e crianças ,acomodados na grande praça  não conseguem conter a impaciência.

De repente ,chega um mensageiro chamado silêncio e pede a todos que prestem àtenção pois a festa irá começar.

Todos se calam! 

Os pássaros iniciam um canto suave e límpido acompanhado pelas vozes miudinhas e sonoras das criancinhas.

No céu o sol brilha mas não queima! 

 Das fontes jorram águas coloridas que realizam uma belíssima dança enquanto sobem e descem....

O chefe da cavalaria toca a sua corneta anunciando a chegada da visitante.
 
O Rei fica atento!

O dia torna-se mais colorido, perfumado e iluminado quando ela adentra a Praça das Fontes.

Esguia,pisando com tamanha suavidade que sugere estar deslizando sobre o solo,sua longa cabeleira cacheada se derrama sobre si mesma como uma cascata de luz. Flores entremeadas aos cachos derramam perfume no ambiente. Os seus olhos brilham como estrelas cadentes e os seus  braços se estendem abraçando a todos.

É a Primavera!

Com a sua voz suave ela saúda a todos e se diz feliz por estar presente no espetáculo da vida.

São poucas as suas palavras pois ela tem pressa de se espalhar pelos campos e cidades. Agradece a festa de acolhimento e começa o seu trabalho de tornar a vida mais bonita e prazerosa.

A festa na Praça das Fontes termina mas a grande festa que irá durar três prazerosos meses, está apenas começando....

Seja muito bem vinda, Primavera!


bjs,soninha

22 de set de 2010

Papai do Céu!


Hoje eu não vou pedir nada porque eu só quero agradecer por tantas coisas lindas da minha vida. A minha família tão bacana, a minha escola,meus coleguinhas,minha professora tão paciente comigo,meus brinquedos,minha bonequinha de pano e o meu gatinho bilu. Eu te amo muito,muito meu lindo Papai do Céu!

beijinhos,

A BOLA DA TETÊ



Onde foi parar a bola de Tetê?

Um dia Marquinhos estava passeando pelo jardim perto de sua casa.

Ele passeava e pensava:

_ Que dia bonito! As árvores estão cheias de flores, parece até que estão rindo para o sol.. .Os passarinhos cantam, felizes, nos galhos das árvores; as borboletas coloridas vão alegres pra lá e pra cá.. .

De repente, Marquinhos ouviu um choro muiiito baixinho.

Que seria? Quem estaria chorando num dia tão tão bonito como aquele?

O garoto andou de um lado para outro procurando, até que, atrás de uma árvore, achou uma menina bem pequenina, que soluçava baixinho, sem querer olhar para a beleza do dia.

_ Olá, Menininha - falou Marquinhos. Por que você está chorando?

Pois é, por que será que ela estava chorando? Vc Sabe? Nãão? Então vamos saber? :)

_ Hum, hum... - fêz a garotinha, fungando - eu estava brincando com minha bola nova, ela rolou para este lado,mas eu não c onsigo achá- la.

Marquinhos, que era um menino de muita boa vontade, falou:

_ Ora, não chore, eu vou ajudá- la a procurar e achar sua bola.

E assim falando, começou a procurar a tal bola nova.

Uhmmm ... Será que eles acharam a bola?

Passou um tempinho e veja só o que aconteceu:

_ Veja, Menininha! - gritou Marquinhos - achei sua bola. Ela estava bem aqui, no meio destas flores.

A menininha ficou toda alegre!

_ Puxa, como você foi bom. Me ajudou e nem sabia meu nome! ... Meu nome é Teresa, e quero lhe dizer obrigada. Você não gostaria de brincar comigo? Se quiser ser meu amigo pode me chamar de Tetê.

_ Quero sim, respondeu Marquinhos - meu nome é Marquinhos e eu moro logo ali...

E assim, os dois se tornaram grandes amigos, brincando juntos sempre que podiam. E tudo por causa da boavontade do Marquinhos!.. .

(Fonte: AME/JF)

 bjs,soninha

CARNERINHOS



CARNEIRINHOS


Silhuetas,lindas nuvens
Coladinhas lá no céu
Parecendo carneirinhos
Que estão vagando ao léu


Voo alto, lá em cima
Pra com eles,me encontrar
Quero me sentar num deles
E um passeio começar


Visitar a linda lua
Caminhar por sobre ela
Encontrar as suas portas
E entrar pela janela


Ir a marte, ligeirinho
Conhecer os marcianos
Saber se as suas roupas
São mesmo feitas de pano.


Visitar o vasto espaço
De belezas, saciar-me
Retornar pra minha casa
Com a família,encontrar-me!


Contar-lhes meu lindo passeio
Chamando-lhes àtenção
Que há belezassem fim
Nesta linda imensidão.


bjs,soninha

Não dê armas às crianças!!

Não dê armas às crianças!!