Estamos de volta!!

Estamos de volta!!
O Inverno Chegou...

31 de ago de 2013

Atenção senhores pais: "A rotina dos pais influencia na alimentação dos filhos "


Filho de peixe, peixinho é

Garanto que você já ouviu essa expressão, pois é muito comum a usarmos quando achamos os filhos parecidos fisicamente com os pais. Mas as pesquisas comprovam que não é só na aparência, mas também no paladar que essa influência acontece.

Com a vida corrida dos pais e a opção pelo fastfood, as refeições têm levado os pequenos a dividirem o mal da obesidade e doenças de adultos com os pais. Já estamos observando graves problemas de saúde pública em relação à obesidade infantil.

Eu desde já me preocupo com isso, apesar de ainda não ser mãe. Fiz várias mudanças, reeducando velhos hábitos e tenho muito a melhorar ainda. Faço isso por mim e pelo bebê que desejo ter logo em breve. Não é fácil, e é necessário tempo, paciência e organização alimentar. Por isso tudo o que escrevo aqui para você hoje também é e será um grande aprendizado para mim!



Algumas dicas uso aqui em casa com a minha família e dá certo:

Mostre ao seu filhote que mudar de opção alimentar é legal: faça as mudanças aos poucos, inserindo frutas ao invés de uma sobremesa calórica, por exemplo. Comece trocando os alimentos que oferecerão menos resistência para as mudanças.

Faça as refeições junto com o seu pequeno sempre que puder: perceber que a mudança na alimentação é familiar o ajudará a aceitar melhor as novas opções de alimentos em casa.

Fuja dos alimentos industrializados: principalmente aqueles que parecem inofensivos para o lanche da escola. Evite bolachas, salgadinhos, chocolates e refrigerantes. Esses alimentos prejudicam a saúde e não alimentam nutricionalmente os pequenos.

Programe um piquenique: faça passeios em parques, por exemplo. Garanto que será muito mais bacana ter um momento especial com o filhote longe da televisão que priva a comunicação familiar.

Prepare os alimentos junto com o seu filho: faça de forma divertida e disponha-os da mesma forma no prato da criança, percebendo as preferências dos pequenos. Lembro-me de uma reportagem sobre a lancheira das crianças japonesas em que, além de serem super saudáveis, havia uma preocupação lúdica e de beleza na preparação da mesma. E se a mãe não preparasse tudo direitinho, de quebra levava bronca da professora. Bem que essa moda poderia pegar por aqui, né?

Considere contar com a ajuda de um profissional: hoje em dia existem nutricionistas especialistas nessas questões, que ajudarão o seu pequeno a descobrir os alimentos e comer com prazer. Ensinando desde cedo a ter escolhas saudáveis, mesmo quando não está em casa.

Fisioterapeuta Materno Infantil, 
especialista em Shantala e Consultora Materna.

Massinha de modelar caseira


Está chegando o final de semana e você não sabe o que fazer para distrair a criançada?

Use esta receita para fazer massinha colorida de longa durabilidade, se conservada em um recipiente hermeticamente fechado (qualquer recipiente selado que bloqueia a entrada de ar) e/ou na geladeira.

E o melhor de tudo é que você saberá exatamente o que o seu filho ingeriu caso ele coloque na boca!
Brincadeira barata, fácil e divertida!
 
Ingredientes

• 1 xícara de sal de cozinha
• 4 xícaras de farinha de trigo
• 2 colheres (de sopa) de óleo
• 1 colher (de sopa) de vinagre
• 1 ½ xícara de água
• corantes alimentícios de várias cores

ATENÇÃO: 
"certifique que seu filho não é alérgico a nenhum dos ingredientes acima."

Modo de fazer

Passo 1

• Separe todos os ingredientes e coloque-os em uma tigela grande, misturando-os com as mãos. Não há ordem a ser seguida.

• Se você vive em um clima mais úmido, ou se a a massa ficou muito úmida ou pegajosa, adicione uma pitada a mais de farinha.

• Ficou muito seco? Adicione um pouquinho de água.

Passo 2

• Pegue uma bola da massinha e faça um buraco com o dedo. 
Pingue algumas gotas de corante alimentar. 
Dobre cuidadosamente a massa por várias vezes, até que a cor esteja bem misturada.

Passo 3

• Coloque cada cor em um recipiente hermeticamente fechado.

• Ele pode ser guardado na geladeira, mas isso não é estritamente necessário.

• Se começar a secar ao longo do tempo, adicione um pouco de água. 
Essa massa dura vários meses.



Faça muitos bichinhos...

beijinhos de luz

Aos pais: "10 dicas de como prevenir doenças respiratórias no inverno"



1- Não levar os filhos com resfriado para a escola ou creche, pois além do repouso necessário para a recuperação, será evitado que a criança transmita o vírus para as outras crianças;


2- Evitar que pessoas com gripes ou resfriados fiquem em contato direto com os seus filhos pequenos, dentro da sua própria casa. Caso os pais ou irmãos maiores estejam com resfriado, é recomendado o uso de máscaras comuns (vendidas em farmácias) quando estão perto destas crianças, especialmente, se for um bebê;


3- Evitar sair de casa com bebês com menos de quatro meses de idade para lugares com aglomerações de pessoas. Nessa idade, as defesas do organismo ainda não estão desenvolvidas, sendo muito mais propenso a contrair doenças com mais complicações;


4- Manter a vacinação adequada e em dia;


5- Fazer o aleitamento materno que, além de ser o alimento ideal para os bebês até o sexto mês de vida, transmite anticorpos da mãe que os protegerão de um grande número de doenças;


6- Manter a casa e principalmente o quarto das crianças arejado e limpo. É importante não ter nada que possa acumular pó, pois os ácaros (grande causador de alergias respiratórias) costumam se fixar em objetos como bichinhos de pelúcia, tapetes, cortinas, protetor de berço, mosquiteiro, almofadas, caixas de brinquedos, entre outros;


7- Manter os animais de estimação no quintal;


8- Não fumar e não permitir que fumem dentro da sua casa, em nenhum cômodo, pois a fumaça de cigarros irrita as vias respiratórias;


9- Consultar sempre um pediatra e procurar evitar de ir ao Pronto Socorro com o seu filho sem necessidade, pois neste local ele poderá ficar ao lado de outras crianças que podem estar com doenças contagiosas graves;


10-Nesta época de clima mais seco, deve-se umidificar os ambientes nos quais o seu filho passa maior tempo, para amenizar possíveis irritações de pele e mucosas.


A Fadinha Analice


A Fadinha Analice aborrecida com as demais fadinha porque não permitiram que o seu unicórnio Álamo morasse no Reino, resolveu mudar-se para um outro lugar onde não ficasse longe do seu amigo. 

Muito zangada ela saiu do Reino, pisando em pedras, molhando os pés em riachos, tomando chuva e enfrentando o sol. 

Porém, três fadinhas, suas amigas, Angel, Mari e Rubí acompanharam-na tentando, através de conselhos, fazê-la mudar de ideia. Falavam, falavam e falavam....

Cansadas de aconselhar elas cantarolavam as musiquinhas que Analice escutara toda a sua infância, buscando com isto influenciá-la através das lembranças e, quem sabe, fazê-la mudar de ideia...

Num certo momento Analice parou e disse-lhes:

 _Está bem fadinhas, eu volto se vocês prometerem conversar com a Fada Mãe e as outras Fadinhas para que elas permitam o meu Álamo ficar comigo no Reino. 

- Está bem Analice, está bem, nós falaremos com elas, responderam as fadinhas amigas.

Analice e as fadinhas retornaram ao Reino.Quando chegaram bem pertinho Analice disse: 

_ Eu espero aqui pela resposta que vocês me trarão. Caso elas não permitam daqui mesmo eu tomarei o meu rumo. 

Está bem Analice, voltaremos já.

Sentou-se ao pé d'uma árvore e esperou. Passadas algumas horas as fadinhas retornaram. Traziam o rostinho triste e lágrimas brilhavam nos seus olhinhos. 

_ Já sei! Nem precisam falar nada. elas não deixaram não foi mesmo? 

- Não é nada disto Analice. responderam as fadinhas.É que nós pedimos para você morar na nossa casinha mas elas não deixaram. 

_ Que bobagem! exclamou Analice. Não se importem pois todos os dias passarei a tarde com vocês e nunca me esquecerei o que vocês fizeram por mim. 

Entraram felizes no Reino e nunca mais se separaram...

**A amizade é um presente de Deus e devemos cuidá-la com muito amor e carinho.**

soninha

beijinhos de alegria...

30 de ago de 2013

Aprendendo a Repartir

 
Bruno era um menino que pensava apenas em si mesmo. Não repartia nada com ninguém. Quando ganhava dos avós ou dos tios algum doce, chocolate ou balas, escondia tudo no seu armário. E tão bem fazia que ninguém conhecia seu esconderijo, nem sua mãe. Era seu tesouro. Sabem para quê? 

Para poder comer tudo depois, na hora em que estivesse sozinho. 

A mãe reprovava seu comportamento dizendo: 

- Bruno, meu filho, temos que aprender a repartir o que temos com os outros. Não podemos ser egoístas e desejar tudo para nós. À medida que a gente dá, também recebe. 

Mas o garoto respondia, mal-educado: 

- Eu, hein! Se fui eu que ganhei, tudo é meu! Não abro mão. 

Seus irmãozinhos menores, Breno e Bianca comiam os doces que tinham ganhado e Bruno ficava só olhando, pensando no prazer que teria depois ao apreciar tudo sozinho no seu quarto. Porém, Bruno ia brincar e se distraía, esquecendo que havia guardado os presentes. E o tempo ia passando. 

Um belo dia, os irmãos de Bruno entraram em casa trazendo um pacote de balas e de pirulitos cada um. Vinham contentes, exibindo os doces que tinham ganhado de um senhor que passara na rua distribuindo guloseimas para as crianças. 

Bruno, que estava dentro de casa, nada ganhou, e fez bico: 

- Eu quero também! Eu quero! Dá um pouco pra mim? 

Mas Breno retrucou, decidido, com a aprovação de Bianca, a menorzinha: 

- Não dou não. Você nunca reparte nada com ninguém!

Bruno, irritado e com cara de choro, respondeu: 

- Egoístas! Não faz mal. Tenho muita coisa guardada. Não preciso de nada! Vocês vão ver! 

E correu para o quarto, seguido de perto pelos irmãos, curioso de ver onde ficava o esconderijo que Bruno escondia tão cuidadosamente e que eles nunca tinham conseguido descobrir. Bruno abriu a porta do guarda-roupa, retirou uma gaveta e, no fundo, num espaço vago, bem escondidinho, lá estava tudo o que ele tinha ganhado e que conservara. 

Com ar de triunfo, enfiou a mão e foi retirando chocolates, doces, bolos, balas, diante dos olhos arregalados dos pequenos. Mas, ó surpresa! Com espanto, Bruno notou que os seus doces estavam com aspecto muito feio: os chocolates estavam velhos, os doces tinham se estragado, os bolos estavam azedos, as balas meladas. 

Terrivelmente decepcionado, Bruno percebeu naquele instante que, em virtude do seu egoísmo, não repartira nada para ninguém. E, pior que isso, constatou que ele mesmo não aproveitara as coisas tão gostosas que lhe tinham dado com tanto carinho. Agora, infelizmente, esta tudo estragado e teria que ser jogado no lixo. Sentou-se na cama e, cobrindo a cabeça com as mãos, começou a chorar. 

Seus irmãos, que apesar de pequenos, tinham bom coração, aproximaram-se dele e Breno disse: 

- Não fique triste, Bruno. 

E, sob seu olhar surpreso, repartiram fraternalmente com ele tudo o que tinham ganhado naquele dia. 

- Eu não mereço a generosidade de vocês. Aprendi nesse momento importante lição. Entendo agora o que mamãe quer dizer quando afirma que à medida que a gente dá, recebe. Eu nunca dei nada e nada mereço, mas vocês provaram que têm um bom coração. A partir de hoje, vou procurar ser menos egoísta. Prometo! 

_Célia Xavier de Camargo_
  *Tia Célia* 

28 de ago de 2013

ISTO SE CHAMA AMIZADE


Eles eram primos. Nasceram com seis meses de diferença e moravam próximos um do outro.

Desde pequenos, descobriram que eram muito parecidos. Falavam, gostavam e pensavam de forma muito semelhante.

Quando Marco fez 5 anos, Sidnei foi para a festa de aniversário dele. Era uma grande reunião de família. A casa estava cheia de primos, tias, sobrinhos.

Marco ganhou de um dos convidados uma maravilhosa coleção de bonequinhos de chumbo. Eram pintados com cores vivas e aos olhos da criançada, pareciam reais.

O aniversariante os pegou e mostrou a todos com orgulho. Tarde adentro brincaram as crianças juntas.

Na hora da saída, Sidnei enfiou todos os bonequinhos no bolso da calça. Eram tão lindos, que ele os desejou para si.

Fingindo naturalidade, foi saindo de fininho, encaminhando-se para a porta.

O que ele não sabia é que o bolso da calça estava furado e os bonequinhos caíram com estardalhaço no chão.

Os adultos se viraram para o garoto, com olhos acusadores. Sua mãe lhe lançou aquele olhar de O que você fez?

O garoto se sentiu acuado. Tinha vontade de sair correndo, de fugir, mas as pernas estavam pesadas. Pareciam pregadas ao chão.

Foi o pior momento de sua vida.

Então, o primo Marco veio em seu socorro. Colocou-se ao lado dele e com segurança, falou em voz alta e clara:

Eu dei os soldadinhos para ele.


Hoje, passados mais de 70 anos daquele dia, Sidnei e Marco continuam amigos. Mesmo que, crescidos, tenham seguido caminhos diferentes, prosseguiram a cultivar esse sentimento maravilhoso que nos faz florescer e se chama Amizade.

Quando recorda aquele dia da sua meninice, Sidnei pergunta:

De que outro motivo preciso para amar esse sujeito?

Adaptação de texto do Momento Espírita, com base na história O último calouro, de Seleções do Reader´s Digest de março/2000.


bjs,soninha

27 de ago de 2013

Mensagem aos visitantes!


Às vezes fico alguns dias sem aparecer no Reino da Fantasia mas isto não quer dizer que eu tenha me esquecido de vocês...NÃO!! 
Eu não me esqueço de vocês, é que não dá para aparecer com muita frequência. Me desculpem!!

soninha
beijinhos de luz...

Guardiães do Reino



Marchem soldados
Soldados de chumbinho
Marchem bem bonito
Irão pra o quartelzinho

Ergam as suas armas
Mostrem a coragem
Que todos vocês têm
E carregam na bagagem

Defensores deste reino
De amor e fantasia
Vocês soldadinhos
São a nossa alegria

Cuidem dos brinquedos
Das fadas e carrinhos
E nunca se esqueçam
De cuidar do aviãozinho

Assim são os soldados
Guardiães da fantasia
Que nunca descansam
Nem a noite nem ao dia

Valentes soldadinhos
Do Mundo da Alegria
São a nossa segurança
Neste Reino da Magia

¨VIVA OS DEFENSORES DO REINO DA FANTASIA"!

bjs,soninha

Dia 25 foi o Dia do Soldado, como não pude estar aqui, hoje
eu deixo a minha homenagem!!

A Fuga do Peru



No Reino do Faz de Conta, na fazenda de dona Maricas a animação era geral nos dias que se aproximavam do natal. Tudo já estava arrumado, os pratos da ceia escolhidos, os presentes chegariam pelas mãos do Papai Noel e o peru mais gordo estava no quintal esperando a hora para ser sacrificado.

O que dona Maricas não sabia era que o peru estava escutando a conversa, junto à janela da sala e, indignado falava:

- Estes humanos são terríveis! Já não basta a lentilha,o bacalhau, nozes,amêndoas,panetones e tudo mais?! Ainda precisam matar a nós,perus indefesos?! Ah! não! Desta vez ela vai ver o que vai acontecer. Falou sozinho e se dirigiu ao local onde as outras aves estavam descansando. Entrou devagarinho e falou baixinho:

- Oi pessoal!! Acordem para planejarmos um jeitinho de fugirmos daqui porque estão falando que irão me pegar para a ceia.

- E daí?! Falou um peru mais magro e uma galinha gorda.

- Daí é que se eu fugir sozinho um de vocês será o meu substituto. Ou vocês pensam que os humanos irão se contentar com ceia de natal sem peru? Alguns concordaram mas estavam com sono e resolveram não ir com ele e os outros acharam que não seriam sacrificados porque estavam magros.

Assim, só restava ao nosso amigo o peru gordo, planejar a sua fuga sozinho.E o fez!Quando todos foram dormir ele,pé ante pé, com jeitinho para não fazer barulho algum,subiu no poleiro e "pluft", pulou para o outro lado do muro. Pronto,estava na rua, e agora?! Para onde ir,pensava o peru gordo.Se alguém me pegar sei que serei a ceia de um outro natal, tenho que me esconder.

Saiu correndo escondeu-se debaixo de uma ponte onde ficou todo o período do Natal e Ano Novo. Passado o período das festas ele voltou para casa pois estava com saudade das outras aves e do milho que dona Maricas jogava para ele.

Já em casa, ele percebeu a falta da galinha gorda,a mesma que duvidou que poderia substituir um peru. Foi isto mesmo que aconteceu. Coitada da galinha!

Quando dona Maricas viu que o peru gordo havia fugido, irritou-se, praguejou, bateu portas e mandou prender,imediatamente,a galinha gorda.Será ela! Será a galinha gorda que comeremos na ceia desta noite. E assim foi!

A galinha virou ceia de natal, porque o peru gordo e esperto havia fugido.Foi isto que aconteceu,contaram as aves ao peru gordo que,entristecido derramou rios de lágrimas de saudade da sua amiga.

bjs,soninha

23 de ago de 2013

* Os Sonhos da Fadinha Rhana *

A mais linda das fadinhas, vivia triste porque desejava passear pelo mundo e não podia. 

A Fada Mãe havia determinado que ela deveria cuidar das flores e dos insetos que havia no Reino.

Zangada com a decisão da Fada Mãe, a fadinha Rhana subiu num roseiral e começou a declamar poesias que ela mesma havia escrito, protestando contra a decisão da mãe.

Uma borboleta e uma joaninha que estavam por ali, ficaram indignadas com a fadinha e falaram em voz alta para que ela escutasse:

_ No meu tempo de criança, disse a joaninha, nós obedecíamos aos nossos pais sem reclamações...ai...ai...ai...

A borboleta deu um longo suspiro e, com a sua vozinha macia falou:

- Eu?! Nem se fala! 
Quando a mamãe falava que era de uma maneira, era mesmo e, nem eu nem os meus irmãos reclamavam. Onde já se viu reclamar as orientações dos pais?!

A fadinha Rhana escutando o que a joaninha e a borboleta falaram, pôs-se a pensar se ela estaria errada em ficar aborrecida com a mãe. 

Depois de muito pensar e não chegar a nenhuma conclusão, Rhana
resolveu conversar com a joaninha e a borboleta a fim de escutar mais de perto as suas opiniões.

Chamou as duas para perto de si e perguntou:

_ Joaninha e borboletinha, vocês acham que eu estou errada em querer viajar e conhecer o mundo?

- NNãããooo! 
responderam as duas ao mesmo tempo.

_ Então como vocês estão falando que não se deve criticar as ordens dos pais?

_ Bem, falou a borboletinha; não devemos deixar de sonhar mas que os nossos sonhos não nos levem a brigarmos e desobedecermos os nossos pais.

Você pode e deve sonhar linda fadinha. sonhar em conhecer o mundo, sonhar em ser a mais bonita do Reino, sonhar em conhecer um príncipe, sonhar tudo que você quiser, mas o que você não pode e não deve é criticar as ordens da sua mãe pois ela sabe o que faz e ela quer o melhor para você.

_Ãhnn...fez a fadinha, falando: 
- e quando eu vou realizar meus sonhos?!

- Quando você crescer, respondeu a joaninha, saltitando para lá e para cá.

Rhana compreendeu o que as amiguinhas falavam e disse:

_ Ah! agora eu já sei! 
Vou continuar desejando conhecer o mundo mas vou obedecer à mamãe pois ela é o meu anjinho protetor, não é mesmo amiguinhas?

Éééééééééééé!!!
responderam a joaninha e a borboletinha, já voando para outro roseiral.

A partir daquele dia a fadinha Rhana passou a obedecer a sua mãe, sem reclamar, porém continuava sonhando com o dia em que ela iria conhecer o mundo de ponta a ponta...

beijinhos de alegria

22 de ago de 2013

Bicho Papão


O bicho-papão é uma figura fictícia mundialmente conhecida. É uma das maneiras mais tradicionais que os pais ou responsáveis utilizam para colocar medo em uma criança, no sentido de associar esse monstro fictício à contradição ou desobediência da criança em relação à ordem ou conselho do adulto.

Desde a época das Cruzadas, a imagem de um ser abominável já era utilizada para gerar medo nas crianças. Os muçulmanos projetavam esta figura no rei Ricardo, Coração de Leão, afirmando que caso as crianças não se comportassem da forma esperada, seriam levadas escravas pelo melek-ric (bicho-papão): “Porta-te bem senão o melek-ric vem buscar-te”.

A imagem do bicho-papão possui variações de acordo com a região. No Brasil e em Portugal, é utilizado o termo “bicho-papão”. Nos Países Baixos, o monstro leva o nome de Zwart Piet (Pedro negro), que possui a tarefa de pegar as crianças malvadas ou desobedientes e jogá-las no Mar Negro ou levá-las para a Espanha. Em Luxemburgo, o bicho-papão (Housecker) é um indivíduo que coloca as crianças no saco e fica batendo em suas nádegas com uma pequena vara de madeira.

Segundo a tradição popular, o bicho-papão se esconde no quarto das crianças mal educadas, nos armários, nas gavetas e debaixo da cama para assustá-las no meio da noite. Outro tipo de bicho-papão surge nas noites sem luar e coloca as crianças mentirosas em um saco pra fazer sabão. Quando uma criança faz algo errado, ela deve pedir desculpas, caso contrário, segundo a lenda, receberá uma visita do monstro.


O Negrinho do Pastoreio


É uma das lendas mais populares do Brasil, principalmente na região sul. Diz a lenda que um fazendeiro ordenou que um menino, seu escravo, fosse pastorear seus cavalos. Após um tempo, o menino voltou e o fazendeiro percebeu que faltava um cavalo: o baio. 

Como castigo o fazendeiro chicoteou o menino até sangrar e mandou que ele fosse procurar o cavalo que faltava. O garoto conseguiu achar baio, porém não conseguiu capturá-lo, então, o fazendeiro o castigou mais ainda, prendendo-o em um formigueiro. No dia seguinte, o fazendeiro se deparou com o menino sem nenhum ferimento, a virgem Maria do seu lado e o cavalo baio. Após o fazendeiro ter pedido perdão, o menino nada respondeu, montou em baio e saiu a galope.

Saci Pererê


O Saci-Pererê é uma lenda do folclore brasileiro e originou-se entre as tribos indígenas do sul do Brasil.

O saci possui apenas uma perna, usa um gorro vermelho e sempre está com um cachimbo na boca.
Inicialmente, o saci era retratado como um curumim endiabrado, com duas pernas, cor morena, além de possuir um rabo típico.

Com a influência da mitologia africana, o saci se transformou em um negrinho que perdeu a perna lutando capoeira, além disso, herdou o pito, uma espécie de cachimbo, e ganhou da mitologia europeia um gorrinho vermelho.

A principal característica do saci é a travessura, ele é muito brincalhão, diverte-se com os animais e com as pessoas. Por ser muito moleque ele acaba causando transtornos, como: fazer o feijão queimar, esconder objetos, jogar os dedais das costureiras em buracos e etc.

Segundo a lenda, o Saci está nos redemoinhos de vento e pode ser capturado jogando uma peneira sobre os redemoinhos.

Após a captura, deve-se retirar o capuz da criatura para garantir sua obediência e prendê-lo em uma garrafa.

Diz também a lenda que os Sacis nascem em brotos de bambus, onde vivem sete anos e, após esse tempo, vivem mais setenta e sete para atentar a vida dos humanos e animais, depois morrem e viram um cogumelo venenoso ou uma orelha de pau.

Dia do Folclore!

 
O folclore (do inglês folk que é gente ou povo e lore que é conhecimento) é a tradição e usos populares, constituído pelos costumes e tradições transmitidos de geração em geração. Todos os povos possuem suas tradições, crençassuperstições, que se transmitem através das tradições, lendas, contos,provérbios, canções, danças, artesanato, jogos, religiosidade, brincadeiras infantis, mitos, idiomas e dialetos característicos, adivinhações, festas e outras atividades culturais que nasceram e se desenvolveram com o povo.
Leia mais AQUI 


20 de ago de 2013

Meu Lindo Papai do Céu!


Eu sei que o Senhor é Bom e vai me atender.

Por favor Papai do Céu me ajude a acabar com este medo que eu tenho de ficar no meu quarto com a lâmpada desligada, na hora de dormir.

Por favor Papai do Céu, me ajude!

A mamãe sempre desliga e eu morro de medo.

Eu confio no Senhor Papai do Céu!

beijinhos

Na minha escola todo mundo é igual


beijinhos...

Bala de Brigadeiro


Ingredientes:

Calda: 

· 2 xícaras (chá) de açúcar
· 1 xícara (chá) de água
· 1 colher (sopa) de vinagre de maçã

Brigadeiro: 

· 2 latas de leite condensado
· 1 1/2 colher (sopa) de margarina
· 5 colheres (sopa) de chocolate em pó
Modo de preparo:

Calda: 

- Misture os ingredientes e leve ao fogo alto por dez minutos ou até começar a amarelar.
- Retire do fogo e teste o ponto: ponha um pouco da calda em uma xícara (chá) de água e veja se ela fica dura e crocante.

Brigadeiro: 

- Misture os ingredientes e leve ao fogo baixo, sem parar de mexer até se soltar do fundo da panela. 

- Despeje em um prato umedecido e deixe esfriar. 

- Enrole os brigadeiros com as mãos untadas e, espetando cada um com um palito, passe na calda.


As Fadinhas Bailarinas


No Reino Encantado das Fadinhas havia algumas bailarinas que se destacavam pela leveza e graciosidade. 

As que não bailavam, assistiam ao ballet das suas amiguinhas e ficavam sonhando um dia realizarem a mesma dança.

O desejo era tão intenso que elas procuraram a Fada Mãe para pedir que deixassem elas bailarem junto às Fadinhas Bailarinas.

A Fada Mãe, duvidando que elas pudessem se tornar bailarinas respondeu:

_ Vocês?!  

- Sim, Fada Mãe, nós mesmas, porquê? responderam ao mesmo tempo.

_ Porque eu acho que vocês não levam jeito para ballet.

- Por que a senhora não faz um teste conosco? perguntaram.

_ Está bem, eu farei. Encontro vocês no domingo na Praça das Águas Cristalinas, está bem? 

- Claro Fada Mãe! Claro!! a que horas?

_ Bem cedinho...bem cedinho. Respondeu a Fada Mãe saindo de mansinho...

No domingo cedinho lá estavam as Fadinhas e a Fada Mãe superlotando a Praça das Águas Cristalinas.

Pacientemente a Fada Mãe testou as Fadinhas as som de lindas músicas entoadas pelas aves locais.

Depois de realizado o teste a Fada Mãe ficou surpresa com o resultado...

Todas elas eram jeitosas, leves e graciosas e, com um pouquinho de esforço e dedicação se tornariam belas bailarinas.

Assim, a Fada Mãe começou um trabalho incansável e dedicado, ensinando e orientando as Fadinhas nos traquejos do ballet.

Depois de alguns meses de dedicação da Fada Mãe e das Fadinhas, aconteceu a primeira apresentação em público do primeiro grupo que mais se destacou e, a partir daquela data, cada vez que um novo grupo alcançava a graça e leveza que lhes dava beleza, ela apresentava ao público.

Aos poucos, todas as fadinhas alcançaram o estágio que era ideal para serem bailarinas e, o Reino que antes era quieto, tornou-se movimentado e alegre ao som dos musicais onde elas se apresentavam.

"A dedicação e o esforço nos ajudam a conquistar os nossos sonhos..."

beijinhos de luz!

O Mágico de Oz


beijinhos...

19 de ago de 2013

Papai do Céu!


Papai do Céu, eu vim lhe pedir pelo meu vovô que está dodói.

Sabe Papai do Céu, ele fica deitadinho na cama o dia todo; já não me conta as historinhas que ele gostava de contar quando eu ia visitá-lo, já não faz pipas para empinar comigo, não faz mais os carrinhos com as caixinhas vazias e nem me dá doces.

Ele está tão tristinho Papai do Céu!

Eu vou ficar muito feliz se você ajudar meu vô ficar bonzinho viu Papai do Céu?

Eu tô esperando.

Amendoim Salgado


Ingredientes

. 500 g de amendoim cru sem a casca e com a pele 
. 1/2 xícara (chá) de água 
. 3 colheres (sopa) de sal

Modo de preparo

1. Aqueça o forno em temperatura média. 

2. Numa assadeira, coloque o amendoim e leve ao forno por 30 minutos ou até começar a torrar. 

3. Misture a água com o sal, junte ao amendoim e misture. 

4. Continue assando, misturando às vezes, por 10 minutos ou até secar. 

5. Retire do forno e deixe esfriar.



As crianças e os animais!


beijinhos...

A Nuvenzinha Teimosa


Branquinha era uma nuvenzinha muito teimosa. A sua mãezinha dava-lhe conselhos para ela se afastar da rota dos aviões pois eles poderiam machucá-la, mas ela ficava, sempre, nos locais por onde eles passavam e dizia para a sua mãezinha:

 - Eu gosto de desafiar o perigo mamãe!

_ Então desafie branquinha!Vá desafiando e depois não diga que não lhe avisei.

Um belo dia quando o sol inundava a Terra com os seus raios quentinhos, um lindo pássaro pousou num galho pertinho da branquinha e lhe perguntou:

# Branquinha, por que você não obedece a sua mãezinha? 

- Ora passarinho! Ora bolas!! O que você tem a ver comigo para ficar palpitando na minha vida?

# É que eu gosto muito de você branquinha; principalmente quando estou cansadinho e lhe encontro no meu caminho. Você é tão macia!!

- Ah! seu peralta!! falou a nuvenzinha ao passarinho; você está pensando que eu sou cama para descanso é?

# Não branquinha! Não é bem assim não!! você sabe não é?? Lá vou eu voando cansadinho e...PUFT! esbarro com você, caio deitadinho na sua maciez...Ô coisa boa meu Deus!! Além disso branquinha se o avião lhe machucar com quem eu vou conversar, brincar e sorrir?

- Está bem passarinho, você me convenceu. Nunca mais ficarei em lugares que sejam perigosos; tudo pela nossa amizade viu? gostou da minha decisão??

# Gostei branquinha, como gostei!! Até porque outro dia eu vi um avião partindo uma nuvenzinha linda, igual a você, ao meio e não gostei nada .

- Não precisa me contar detalhes meu amiguinho, eu já lhe dei minha palavra está dada.

Só depois do pedido do seu amigo a nuvenzinha branquinha começou a ser mais cuidadosa quanto aos aviões.Dona Nuvem, sua mãezinha, vendo que ela estava se comportando de uma maneira diferente  pensou que era por causa dos seus conselhos e agradeceu ao Papai do Céu por isto.

Enquanto isso branquinha pensava: 

- É verdade, bem que a mamãe tinha razão quando me aconselhava; eu vou fazer de conta que mudei por causa dos seus conselhos e vou lhe dar um abraço bem apertadinho.

Branquinha foi devagarinho até a sua mãezinha e lhe deu um abraço bem carinhoso, um beijinho na sua face e sussurrou ao seu ouvido:

- Eu te amo mamãe, te amo muito!!

Dona Nuvem emocionada com o carinho da filha, chorou baixinho e as suas lágrimas caíram sobre uma roseira umedecendo as pétalas das flores tornando-as mais bonitas e mais perfumadas.

soninha

18 de ago de 2013

Papai do Céu!


Ouve a minha oração Senhor!

Ajuda meu papai a conseguir um emprego e a minha mamãe ficar mais paciente comigo.

Eu prometo Papai do Céu que vou ser obediente, amigo, e vou ajudar a mamãe a manter a casa arrumadinha e limpa.

Ah! Papai do Céu, eu também preciso estudar.
Ajuda a mamãe encontrar uma vaga na escola para mim.

Me abençoa Papai do Céu

A Menina que Odiava Livros


beijinhos...

A Fadinha da Noite




Contam as vovozinhas que existem fadinhas do dia e fadinhas da noite e que elas nunca se encontram pois enquanto umas trabalham e ajudam os seus afilhados as outras descansam esperando a sua vez.

As fadinhas são seres angelicais que amam as criancinhas e ficam muito tristes quando estas estão dodói ou algo ruim lhes acontece.

Nem todas as criancinhas conhecem as fadinhas mas as que conhecem, dizem que são lindas e nunca se esquecem delas.

Quando Lulu ficou dodói e teve que ser internada num hospital infantil, a sua mãezinha,dona Vivi, ficou muito preocupada pois não sabia quantos dias a menininha teria que ficar internada e ela precisava trabalhar.

Na primeira noite no hospital a mãe da menininha orou a Papai do Céu e disse:

_ Meu querido Papai do Céu, peço-lhe que me mande um anjinho para ficar com a Lulu quando eu for trabalhar, para ela não ficar sozinha.

A mãezinha da garota adormeceu, sonhou que a sua prece seria atendida e, desta maneira despertou aliviada indo para o trabalho confiante que Papai do Céu cuidaria da Lulu.

Despediu-se da filha com um doce beijinho na face e saiu ...

O dia transcorreu tranquilo no hospital.
 
Lulu foi medicada, assistida e cuidada pelas enfermeiras enquanto a Fadinha Sol, sentadinha na cadeira de balanço, presenciava a tudo. 

Nos momentos em que as enfermeiras saíam do quarto, ela lhe contava historinhas ,brincavam de pega-pega e  falavam das suas vidas, uma para a outra.

A noite foi chegando e dona Vivi não aparecia. 

Quando não havia mais nenhuma gotinha de sol nas ruas e as estrelas se espalhavam por todos os lugares, a Fadinha Sol falou à menininha:

_ Lulu, minha queridinha, eu não posso esperar mais tempo por sua mãezinha. Sou uma fadinha do dia e logo mais as fadinhas da noite estarão por aqui. Peça desculpas para ela por eu não tê-la esperado,mas tenho que ir.

Ás pressas a Fadinha Sol depositou um beijo no rostinho da garota e saiu do seu quarto .Sem notar, ela carregou o ursinho fifi, da garotinha, levando-o para o seu Reino.

Instantes depois dona Vivi chegou ao hospital encontrando a filhinha bem melhor e muito feliz.

Notando a falta do ursinho dona Vivi perguntou à filha:

_ Onde se escondeu o fifi, filhinha?!

- Não sei mamãe! respondeu Lulu, acrescentando: será que ele foi com a Fadinha Sol?!

_ Fadinha Sol!! quem é esta, perguntou dona Vivi à filha?

- É a fadinha que estava comigo enquanto a senhora trabalhava, respondeu a menina.

_ Hummmm...lá vem você com suas historinhas de fadas.

- Tá bom mamãe, não vou lhe contar mais nada pois sei que a senhora não vai acreditar...

_ É bom mesmo! disse a mãe da menina enquanto se dirigia ao posto de enfermagem a fim de perguntar às enfermeiras se haviam encontrado o ursinho fifi...

Enquanto isto, no quarto, Lulu olhava pela janela, com um lindo sorriso na face, parecendo estar sonhando...

soninha

beijinhos de luz...

5 de ago de 2013

Beijinho de Milho Verde

Foto: Ormuzd Alves

Ingredientes:

. 1 lata de leite condensado
. 1 xícara (chá) de creme de leite fresco (240 ml)
. 100 g de coco ralado
. 1 lata de milho escorrida
. 1 colher (sopa) de manteiga

Para decorar:

. Coco ralado a gosto

Modo de preparo:

- No liquidificador, bata o leite condensado, o creme de leite, o coco ralado, o milho e a manteiga. 

- Transfira para uma panela, leve ao fogo brando, mexendo sem parar até engrossar e soltar do fundo da panela. 

- Deixe esfriar, molde os docinhos, passe-os no coco ralado e sirva nas forminhas.



Não dê armas às crianças!!

Não dê armas às crianças!!