Estamos de volta!!

Estamos de volta!!
Com muitas novidades!

22 de out de 2014

A Aranha e as Uvas


Uma aranha observou durante dias a fio os movimentos dos insetos, e notou que as moscas ficavam em torno de um grande cacho de uvas muito doces.

- Já sei o que fazer – disse ela para si mesma.

Subiu para o alto da parreira e, por meio de um tênue fio, desceu até o cacho de uvas, onde instalou-se num pequenino espaço entre duas frutas. 

De dentro do esconderijo começou a atacar as pobres moscas que vinham em busca de alimento. 

Matou muitas delas, pois nenhuma suspeitava que houvesse ali uma aranha. 

Porém em breve chegou a época da colheita. 

O fazendeiro foi para o campo, colheu o cacho de uvas e atirou-o para dentro de uma cesta, na qual se viu espremido junto com os outros cachos.

As uvas foram a armadilha fatal para a aranha impostora, que morreu exatamente como as moscas que enganara.

*Leonardo da Vinci*

beijinhos de luz...

21 de out de 2014

QUEM MORA NA CASINHA?


beijinhos de luz...

Dança dos coelhos



Diversão ao ar livre! Reúna várias crianças e peça que elas se organizem em trios (ao menos três grupos). 
Em cada um, dois amigos dão as mãos, levantadas para cima, e o outro é o coelho na toca. 

Apenas uma criança deve ficar sozinha, no meio desses grupos, e gritar: 

"Coelhinho, sai da toca!"

Então, todas têm de trocar de posição e a que estava sozinha tenta "roubar" a toca de alguém. 

Se não tiver muita gente, use bambolês ou risque as tocas no chão.

Ter um Animal de Estimação Faz Bem Para As Crianças

Conviver com animais nos dá mais do que alegria e boas risadas. Tê-los por perto beneficia a nossa saúde diretamente. Para as crianças, este convívio proporciona uma série de benefícios que as ajudarão em seu desenvolvimento desde pequenas, proporcionando o aparecimento de anticorpos e, deste modo, evitando futuros problemas, como alergias, por exemplo.
Além disso, a coordenação motora é outro fator a ser desenvolvido de maneira natural na interação da criança com o animal, seja acariciando-o, brincando e correndo junto a ele. Aqui, a criança poderá aprender a medir a força de suas ações, a ganhar noção de espaço e dar e receber estimulos. O convívio também a auxiliará no entendimento sobre o ciclo natural da vida, onde ela verá o animalzinho crescendo e se desenvolvendo. 
Caso esteja pensando em ter um “novo membro” em sua familia, atente-se aos seguintes fatores:
Atenção 
Todo animal precisa de atenção, principalmente enquanto for um filhote. Caso você tenha um bebê em casa, aconselha-se esperá-lo crescer um pouquinho. Assim, sua atenção não ficará dividida entre os dois e a criança poderá curtir o bichinho muito mais. 
Local 
Consulte um veterinário e peça ajuda quando for escolher qual animal levar para casa. Alguns deles, como os cães de médio e grande porte, precisam de espaço para correr e brincar. Outros, como os gatos, adaptam-se bem em locais menores, mas seus pelos podem ser uma preocupação, dependendo das sensibilidades alérgicas já existentes na família. É importante avaliar sua casa para levar o bichinho que mais se adeque ao tipo de casa e aos hábitos da família. 
Qual escolher? 
Outro conselho a se pedir ao veterinário é sobre qual raça/animal escolher. Existem raças e animais mais receptivos as crianças pequenas, outros, as crianças maiores. Tudo irá variar conforme a idade e personalidade da criança. 
Amor, carinho e cuidado 
Escolher ter um animal de estimação requer, além de muito amor, muitos cuidados também. 
Entre eles estão: 
- Manter em dia as vacinas, o banho e a tosa (caso seja necessário);
- Castração;
- Identificação (coleira com dados dos donos, caso se perca);
- Comida e água filtrada;
- Local adequado, confortável e protegido para dormir;
- Limpeza regular de gaiolas, aquários e demais ambientes próprios;
- Providências a serem tomadas caso a família viaje como local para deixar o animal ou verificar se o local de destino da família autoriza a sua entrada.

O benefício das frutas para as crianças



As frutas são boas aliadas da alimentação infantil. Saborosas e docinhas, não costumam enfrentar grande resistência das crianças para incorporá-las ao cardápio diário. 

É tudo uma questão de adquirir o hábito de consumi-las. 

E, principalmente, in natura, e não somente como forma de sucos. 

 “As frutas terão sempre mais fibras, e na casca, mais nutrientes, enquanto no suco se perde uma parte disso”, diz a nutricionista Liliam Teixeira Francisco, especialista em nutrição materno-infantil.


Por que investir nelas

Quer conhecer as vantagens de incluir frutas no dia a dia do seu filho? 

Elas contêm água, fibras, vitaminas, sais minerais, frutose, carboidratos, gorduras e proteínas. 


E não é só. Toda essa variedade nutricional vem com poucas calorias, é facilmente digerida e dá boa saciedade. 

Segundo Liliam, o consumo diário de frutas tem sido associado à diminuição da mortalidade, à redução de doenças crônicas e ao reforço do sistema imunológico. 



“De acordo com a OMS (Organização Mundial de Saúde), há evidências de que a ingestão de frutas diminui o risco de diabetes e obesidade”, afirma a nutricionista.
In natura é melhor

A recomendação dos especialistas é que crianças acima de 1 ano de idade consumam de três a quatro porções de frutas por dia. Se elas não forem processadas e transformadas em suco, tanto melhor, porque assim suas fibras e nutrientes permanecem intactos. 


“A variedade de cores também é importante, pois garante o aporte de diferentes nutrientes, essenciais ao crescimento e desenvolvimento infantil”, explica Monária Curty Nasser, nutricionista especialista em nutrição clínica e coordenadora do Serviço de Nutrição e Dietética do Hospital São Francisco de Assis na Providência de Deus, do Rio de Janeiro.


Outro ponto importante é, sempre que possível, não desprezar a casca, já que nela que se concentra a maior parte desses benefícios. 

Lembre-se de higienizar as frutas antes de oferecê-la às crianças, deixando-as de molho por 15 minutos em uma mistura de água (1 litro) e água sanitária (1 colher de sopa), e lavando-as em água corrente em seguida. 


Uma opção é usar hipoclorito de sódio, seguindo as instruções do fabricante.

Caso seu filho seja muito resistente a comer a fruta inteira, é preferível oferecer o suco da fruta a não dar nada. Mas não desista! 

Gradualmente, insira a versão in natura na alimentação dele. 


E seja o exemplo, claro! 

E lembre-se: deixe as opções em caixinha como exceção na alimentação das crianças.

Seu filho vai adorar

Crianças apreciam sabores, cores e formas. 

Por isso, Liliam Francisco dá dicas para deixar as frutas mais atraentes:

- Invente desenhos com frutas no prato. 


Um rosto de palhaço pode ser feito usando uvas para os olhos, cereja para o nariz, e banana para a boca. Para uma carinha de cachorro, utilize fatias de banana e passas para os olhos, ameixa para o nariz e fatias de morango para a língua. 

Use sua criatividade!



- Coloque frutas picadas e sortidas em espetinhos.

- Jogue um iogurte em cima das frutas.

- Prepare salada de frutas com formatos diferentes (a melancia, por exemplo, pode ser cortada como uma estrelinha).


- Faça picolés com pedaços de frutas. Basta cortá-las em cubinhos, misturar com suco de laranja ou limão, colocar em fôrmas próprias, espetar um palito de madeira e levar ao congelador.

O quinteto fantástico

Todo tipo de fruta é bem-vindo na alimentação do seu filho. Mas, com a ajuda da nutricionista Monária Nasser, selecionamos cinco que, por terem boa aceitabilidade pelas crianças, devem sempre estar presentes em suas refeições. Confira o que elas têm de bom:

- Laranja 


Rica em fibras, contém vitamina C, que fortalece a defesa do organismo, combatendo a tosse e o resfriado. A vitamina C também ajuda na absorção do ferro, evitando a anemia, tão comum na infância.

- Mamão
Tem efeito laxante e contém uma enzima chamada papaína, que torna mais rápido o processo de cicatrização de úlceras e feridas.



- Melancia
Assegura uma boa hidratação para as crianças porque é constituída de muita água. Tem vitamina A, importante para o desenvolvimento ósseo, e potássio.

- Maçã
Tem boas concentrações de fibras, que contribuem para a regularidade intestinal. A casca é rica em vitamina C, e a mastigação da fruta auxilia na prevenção de cáries, pois sua textura e composição ajudam na limpeza dental.

- Banana
É rica em vitaminas, principalmente as do complexo B, que dão energia. Fonte de potássio, a banana ajuda a prevenir cãibras quando consumida regularmente.



14 de out de 2014

O Descobridor


A professora pergunta para o Jorge:

- Onde fica a América? 

E o Jorge responde apontando no mapa. 

A professora então pergunta para o Pedrinho: 

- Quem descobriu a América? 

E Pedrinho responde: 

- Foi o Jorge, professora!

beijinhos de alegria!!

12 de out de 2014

É Lógica


A professora pergunta aos alunos:

- Se eu for à feira e comer 3 peras, 7 bananas, 15 laranjas e 1 melancia, qual será o resultado? 

Do fundo da sala, alguém grita:

- Uma dor de barriga!

beijinhos de luz...

9 de out de 2014

Agradando a Gurizada!


Um lindo sanduiche para alegrar a gurizada na hora do lanche!

"Centopeia de Tomate"

Dá para tirar um sorriso do seu filho com esse sanduíche de presunto e queijo em forma de centopeia. 
Para o auxílio na estrutura, você pode precisar de palitos de madeira. 
O tomate cereja é a cabeça e os olhinhos de cebola, que tal?.

Que tal este?


"Bob Esponja" no lanche!

Esse é mais fácil de cortar e ainda dá pra usar as bordas do pão de forma na decoração. Tente variar nos legumes e verduras, como fazer os "olhos" de chuchu e a roupa" de cenoura. Quanto mais colorido, mais atrativo será para as crianças.

ou este?


Girafa saudável

Neste caso, decore com as bordas do pão e aproveite para colocar folhas verdes dentro do sanduíche. Também vale decorar o prato, ao redor da girafa.

Use a criatividade e faça a criançada feliz!

beijinhos de paz!

6 de out de 2014

O Cão e o Osso


Uma vez um cão roubou um osso a um carniceiro. 

Depois fugiu pela rua abaixo a toda a velocidade, atravessou a aldeia e as colinas, e foi ter a uma ponte de madeira sobre um regato. Parou em cima dela, ofegante, para olhar a água limpa e mansa.

E deu um pulo de espanto. A olhar para ele, debaixo da água, estava outro cão. O primeiro cão ladrou furioso para o outro cão, e este ladrou furioso para ele.

O primeiro cão sentiu crescer-lhe água na boca.

«Se eu apanhasse aquele osso – pensou ele, cheio de cobiça – podia comê-lo agora e guardar o meu para mais tarde. Conheço um sítio bom para o enterrar. Além disso, aquele osso parece melhor do que o meu.Tem mais carne agarrada.»

O primeiro cão rosnou ameaçadoramente, e o cão que estava na água mostrou também os dentes e parecia querer atacá-lo.

– Queres guerra, ahh? – ladrou o primeiro cão, e abriu a boca para tirar o osso ao segundo cão.

Zás! O osso do primeiro cão caiu no regato e foi arrastado pela corrente. 

Ladrando furiosamente, o cão debruçou-se para o atacar, mas quando o osso caiu na água, o segundo cão desapareceu com ele. 

E, conforme a água voltava a alisar-se, o cão ficava cheio de espanto – e de fome – olhando para a sua próxima imagem reflectida no regato.

"Desconheço o Autor"

beijinhos de luz!!

3 de out de 2014

Não dê armas às crianças!!

Não dê armas às crianças!!