Estamos de volta!!

Estamos de volta!!
O Inverno Chegou...

26 de abr de 2018

AMIZADES




Carminha era uma menina muito especial. Querida, dedicada, estudiosa, colaboradora e respeitadora dos pais.

Ultimamente seus pais, Marcos e Letícia, haviam notado mudanças no comportamento da filha mais velha. Ficava irritada facilmente, implicava com seu irmãozinho constantemente, já não conversava mais com seus pais sobre a escola, suas conquistas e dificuldades.

Marcos achava que Carminha estava agindo assim por causa da idade: “Ela está entrando na adolescência”.

Letícia compreendia que a adolescência é realmente uma fase difícil, de transição na vida do espírito encarnado. É quando o espírito que habita o corpo mostra as suas reais características adquiridas em vidas passadas, somadas às conquistas dessa encarnação. Além disso, a mudança da infância para a fase adulta também traz grandes conflitos ao adolescente. Mas, conhecendo a filha, achava que Carminha estava enfrentando outras dificuldades, além dessas.

Em uma conversa franca, conquistou novamente a confiança da filha, com a intenção de que ela dividisse os seus problemas para tentar ajudá-la. 

Carminha, emocionada, contou-lhe que estava passando por momentos difíceis na escola e com os amigos. Ela sentia-se deslocada na turma. A maioria de suas colegas gostava de só andar com roupas da moda, escutar músicas de baixo nível, “ficar” com os meninos sem compromisso, se preocupar com coisas fúteis e sem valor. Ela não demonstrava nenhum interesse nesses assuntos. Por isso, muitas vezes ela era deixada de lado pelas colegas. 

A mãe é claro, ficou muito preocupada com a situação da filha, mas, ao mesmo tempo, aliviada por compreender que toda a educação moral que ela e o pai haviam dado à filha estava bem alicerçada e o espírito de Carminha já era bem mais evoluído, e gostava de coisas da sua idade, mas não se envolvia com ocupações inúteis e sem propósitos.

Marcos, já sabendo da situação, ajudou Letícia a explicar à Carminha que o que ela estava sentindo era uma reação natural à rejeição. Mas não precisava se preocupar tanto, pois assim como ela, havia outros adolescentes que tinham os mesmos pensamentos e interesses. Igualmente aos espíritos que se unem por vibrações semelhantes, os amigos também se juntam por semelhantes maneiras de agir e pensar.

Estimularam-na a permanecer firme nos seus ideais e, principalmente, não ceder às pressões do grupo fazendo algo que sua consciência considerava errado.

Carminha sentiu-se aliviada após a conversa com os pais. Em pouco tempo voltara a ser como era antes.

Não demorou muito e ela já havia formado um novo grupo de amizades, mais sólido e mais sincero. Algumas das antigas colegas quiseram participar dessa nova turma pois, pelo exemplo de Carminha, ela entenderam que o verdadeiro valor da amizade não é medido pela conta bancária, pela roupa que usam ou por seguir modismos. A amizade é contada pelo interesse sincero, pela compreensão e o auxílio mútuo.


*Luis Roberto Scholl*

Beijinhos de luz...
Postar um comentário

Não dê armas às crianças!!

Não dê armas às crianças!!