Estamos de volta!!

Estamos de volta!!
O Inverno Chegou...

31 de jul de 2010

** BELAS GIRAFAS **



** BELAS GIRAFAS** 


Elas andam, às vezes juntas
Num passo tão elegante
Com pescoços bem compridos
Enxergam bem distante...


Quando correm, é uma graça
Um bailado em ondulação
Diferentes, tão bonitas
Quais as notas da canção 


No olhar põe a ternura 
Com um toque sonhador
É uma linda criatura
Amarelo é a sua cor.


As manchas amarronzadas 
Dão-lhe um toque singular
Ela se sabe bonita...
Sai então, a desfilar!


Este animal tão exótico
Tão bonito e diferente
Deve ter sido criado
Para encantar a gente.


bjs,soninha

30 de jul de 2010

** CLARINHA A MENINA ORGULHOSA **

images



Clarinha,flha única de um rico fazendeiro,menina orgulhosa e cheia de manias,gostava de humilhar as pessoas mais humildes e sorrir às custas das mesmas. Na escola sentava-se sempre na primeira fila, escolhia a dedo as suas amigas que eram aquelas cujos pais possuíam muito dinheiro,dirigindo a palavra apenas a elas.

Dona Raquel,sua mãe, dava-lhe conselhos e vivia triste com as atitudes da filha mas ela não mudava o seu modo de agir,por mais que a mãe lhe pedisse.

Ao terminar as aulas, no período de férias,o pai convidou-a para irem passar alguns dias numa das fazendas deixando para Clarinha a escolha de qual delas seria a preferida. Clarinha gostava de todas elas. As que plantavam café, aquelas onde havia o belo gado, e até as mais simples onde apenas se plantava o feijão de corda,quiabo,mandioca,laranja e os maravilhosos temperos verdes, tão cheirosos...

Ela pensou...pensou e respondeu ao pai:

 - Vamos para a Fazenda São Roque,papai. Lá é legal porque posso montar nos cavalos e passear pelos campos.

A mãe de Clarinha, dona Raquel, tentou impedir porque conhecia a filha e sabia que ela desejava ir para aquela fazenda a fim de humilhar os filhos do vaqueiro, como ela tinha feito na última vez em que lá estiveram. Porém Clarinha não mudou de ideia, só iria se fosse para a Fazenda São Roque.

O pai, que sempre cedia aos seus caprichos, decidiu que assim seria e lá se foram eles no final de semana levando junto algumas colegas da Clarinha. Ficariam apenas uns vinte dias.

Na fazenda, não se passaram três dias e Clarinha já estava a humilhar os filhos do vaqueiro, crianças simples e humildes, que se aproximavam sempre que viam a menina com as colegas, desejosos de participarem das brincadeiras.Clarinha humilhou tanto as crianças que os seus pais,envergonhados, retornaram à cidade antes do que haviam combinado.Dona Raquel muito triste e o sr.Ricardo com a cara fechada parecendo estar com muita raiva.

Os dias passavam e Clarinha não mudava o seu modo de ser nem mesmo se interessava pelos conselhos da mãe.Certo dia o sr.Ricardo chegou em casa muito triste, chamou sua esposa ao quarto e lhe falou:

- Raquel,querida, estamos pobres.Perdi tudo que tinha nas mesas de jogo apostando muito dinheiro.

- Eu nem sabia que você jogava Ricardo,falou dona Raquel. Como você pôde fazer uma coisa destas com os nossos bens?!

- Sei que eu errei,minha querida,mas me perdoe pelo amor de Deus.Nos restou a Fazenda São Roque que não coloquei nas apostas e nós vamos morar lá.

- E a Clarinha onde irá estudar?! falou a mulher,aflita.

- Ela ficará na mesma escola frequentada pelos colonos e ajudará com o que ela sabe para que não nos falte o pão de cada dia.

Clarinha recebeu a notícia como se uma bomba tivesse explodido em cima da sua cabeça.Chorou,esperneou,gritou que não iria,não iria e não iria! Mas teve que ir! Foram todos,   morar junto aos colonos,perto daquelas  crianças que Clarinha tanto humilhou e teve que sentar-se lado a lado com elas nos bancos da escola.Estudava e ensinava o que sabia às crianças menores.

O pai, acostumado a viver do dinheiro que rendiam as fazendas, frequentar casas de jogatina e possuir do bom e do melhor, teve que pegar no cabo da enxada de sol a sol e aprender com aquela gente humilde como se ganha o pão com o suor do próprio rosto.Dona Raquel foi a que menos sofreu com a situação e se adaptou rapidinho por ser uma pessoa simples,generosa,acostumada a cuidar da casa e de algumas tarefas, mesmo quando tinha empregada,nos bons tempos da cidade.

Foi assim que Clarinha aprendeu o significado da palavra Humildade e aos poucos foi abandonando os seus hábitos de menina orgulhosa e má.

É isso aí galera, a gente nunca sabe quando a vida vai nos dar uma rasteira,é preciso estar preparado não é mesmo? Este negócio de orgulho não tá com nada!


TRABALHANDO: O ORGULHO E A HUMILDADE
 

bjs,soninha

28 de jul de 2010

** O BOSQUE DAS JOANINHAS **

 
** O BOSQUE DAS JOANINHAS**


Era um lindo bosque situado bem próximo ao Reino Mágico, onde viviam milhares e milhares de joaninhas na mais perfeita paz e união.Gostavam de brincar sobre as folhas durante o verão e no inverno ficavam bem juntinhas a fim de se aquecerem.Nas noites de lua cheia elas costumavam dançar no campo iluminado pelo luar e amavam passear pelas folhas onde as gotinhas de orvalho estavam dependuradas,ali elas se refrescavam e voltavam à dança.

 joaninhas dançando

As criancinhas do Reino Mágico amavam passear pelo "bosque das joaninhas" admirando aquelas  criaturinhas coloridas e graciosas caminhando ligeirinhas como se estivessem muito ocupadas com um trabalho que pedia urgência.Atentas elas observavam os hábitos dos insetos enquanto uma fadinha ía mostrando cada coisinha que viam. 


 joaninha refrescando-se


Mostrou os ovinhos que as joaninhas puseram, algumas larvas que já haviam saído dos ovos,como elas se alimentavam das moscas que estavam sobre alguns frutos,dos pulgões e piolhos das folhas das plantas e alguns pequeninos insetos.

As crianças ficavam encantadas!


 joaninha com os ovinhos


 larva da joaninha

Certa noite houve uma tempestade muito violenta,as chuvas caíam em grande quantidade ,as águas do rio que passava ao lado do bosque subiram tanto que o invadiram carregando todas as joaninhas que ali viviam.Enquanto as joaninhas eram arrastadas pelas águas milhares de fadinhas passeavam sobre as águas caudalosas do rio, recebendo a alma  ou princípio inteligente das lindas criaturinhas,que eram levadas para o céu dos insetos e, de lá elas enviavam  um brilho todo especial muito parecido com o das estrelas.


 o céu das joaninhas


Passaram-se os dias,o rio voltou ao normal, o bosque secou e novas joaninhas surgiram,mas não se sabe de onde elas vieram. Todo ano ocorria a mesma enchente e milhares de joaninhas subiam para o céu dos insetos enquanto outras íam surgindo no bosque...


 linda joaninha


Assim é a vida! Um incessante movimento entre o céu e a Terra...


TRABALHANDO REPRODUÇÃO DOS INSETOS E RETORNO AO MUNDO ESPIRITUAL

bjs,soninha

** UM LINDO BOLO **



** UM LINDO BOLO **


Um bolo fofinho
Em cima da mesa
Será pra o café
Ou pra sobremesa?!


Eu não resisti
Enfiei o dedão
Comi chocolate
 Ganhei um "carão"!


Com calda gostosa
E com brigadeiros
Fui lá, peguei um
Corri bem ligeiro...


Mamãe, logo viu
Me pôs de castigo
No quarto,sozinha
Eu falei comigo:


- Do bolo gostoso
Não vou, mais, pegar
Eu quero comer
Mas vou esperar.


Se pego escondido
Eu corro perigo
Da mamãe descobrir
E me pôr de castigo


Ai...ai...que sufoco!

É isso aí gurizada, nada de pegar doces escondido. 
Tenham paciência...rs..rs.

 
bjs,soninha

27 de jul de 2010

** JUCA, O CONTADOR DE HISTÓRIAS **


**JUCA, O CONTADOR DE HISTÓRIAS **


Juca, muito estudioso e obediente,menino pobre que não possuía brinquedos,televisão ou videogame para se distrair como faziam muitas crianças que ele sabia existir,muitas vezes ficava triste com a sua situação e imaginava como vencer as dificuldades.Os seus pais trabalhavam de sol a sol na lavoura e o que recebiam era muito pouco para comprar brinquedos para o filho.

Juca pensou...pensou e teve uma idéia brilhante.Seria um contador de histórias!

Já estava alfabetizado,cursava a primeira série do ensino fundamental,era bom aluno e portanto estava preparado para fazer aquilo que ele tanto gostava: Ler!

Sendo um contador de histórias ele poderia ler aqueles livros maravilhosos que estavam na biblioteca da escola e poderia distrair e incentivar as outras crianças ao hábito da leitura,assim pensava o menino.

Naquela manhã luminosa ele chegou à escola super feliz com a sua ideia,foi à sala da diretora e lhe falou do seu plano. A diretora ficou encantada com aquele aluno dedicado que sabia superar as suas dificuldades se tornando útil às outras crianças.

Foi assim que Juca se tornou um "Contador de Histórias" para as crianças que ainda não sabiam ler, para as que estavam adoentadas presas ao leito,nas suas casas. e até para os idosos que haviam dedicado as suas vidas à lavoura e não tiveram tempo para estudar.Graças ao seu projeto maravilhoso Juca também foi realizando o sonho de ler muitos e muitos livros. 

Ele adorava ler!

Assim é que todos nós podemos vencer nossas dificuldades através de novos sonhos que trarão felicidade a nós e a muitas outras pessoas.


TRABALHANDO: A SUPERAÇÃO E O AMOR AO PRÓXIMO

bjs,soninha.

26 de jul de 2010

26 de julho:DIA DOS AVÓS!



DIA DOS AVÓS


Hoje é dia do vovô
E,também da vovozinha
Ele é muito charmoso
Ela é engraçadinha


O vovô fuma cachimbo
A vovó não gosta,não
Ela diz que ele fede
E faz mal ao coração


O vovô não se importa
Vai fumar,lá na calçada
Mesmo assim a vovozinha
Fica triste e amuada


Ela diz que o vôzinho
Não está bem de saúde
E o fumo é um veneno
Pra quem é bobo e se ilude.


O vovô já prometeu
Que o cachimbo,vai deixar
E a sua boa velhinha
vai beijar...beijar...beijar...rs!


Eu amo meus avós
Amo muito,de montão
Estão bem guardadinhos
Dentro do meu coração!


Uma singela homenagem a todos os avós.
Os meus que já se tornaram "estrelinhas",
onde estiverem ,recebam o meu amor e carinho.



bjs,soninha

25 de jul de 2010

A TEMPESTADE


A TEMPESTADE

A tempestade estava violenta naquela tarde de sábado tornando as crianças inquietas dentro de casa porque não podiam sair para brincar,não podiam ligar a TV nem brincar com o vídeogame pois a mamãe não deixava temendo a atração dos raios que,lá fora,iluminavam aquele final de tarde,muito escuro.


No justo momento em que eles se aproximaram da vidraça um raio caiu sobre uma árvore partindo-a ao meio e isto causou-lhes um intenso arrepio de medo.Afastaram-se ligeiro da vidraça,fecharam as cortinas e foram sentar no sofá da sala onde ficaram bem juntinhos e calados. Lá fora a chuva caía com toda força mais parecendo que milhares de toneis de água estavam sendo derramados sobre a cidade.

O vento furiosamente agitava a cabeleira das plantações como se fosse um gigantesco pente a desembaraçar todos os fios deixando-os livres e soltos para formarem novos e mais modernos penteados.A tempestade era ao mesmo tempo assustadora e bonita.




Carolina,uma linda menina com cinco aninhos,cada vez mais assustada perguntou a sua mãe:

-  Mamãe,você pode mandar parar estes raios,trovões e a chuva? Você é sempre tão boa,mãezinha...

- Oh! minha filhinha,falou dona Rosinha, só quem pode parar a tempestade é Deus,eu não posso não.

- Então pede a ele mamãe, telefona para ele e fala que sou eu que estou pedindo.

- Está bem,vamos ,todos nós, telefonar para Ele e pedir que pare a tempestade?

- VAAAMMMMOOOOSSSSSS...gritaram Carolina,Tati, Lula,Roger e Mary! Pega o telefone mami,gritou Mary!

Venham todos aqui que eu vou lhes ensinar como falar com Deus.falou a mãezinha com um risinho nos lábios.

Quando as crianças se aproximaram ela os colocou sentadinhos um ao lado do outro e lhes falou:



- Quando queremos falar com Deus nós não usamos telefone.

- NNNNNãããããooooooooooo???? 

Perguntaram com ares de assustados. O que fazemos então?

- Nós simplesmente falamos com Ele o que desejamos,com respeito,voz baixinha e muita confiança de que Ele está nos escutando e, se for possível, nos atenderá.

Aaaahhhhhh!!! 

Suspiraram,as crianças, fechando os olhinhos, juntando as mãozinhas junto ao peito e falando:

- Papai do Céu, será que o senhor pode parar esta tempestade para a gente poder brincar? e ficaram quietinhas ...esperando!

- Pronto! falou a mãe, agora é esperar.

Passaram-se mais umas duas horas e a tempestade cessou completamente porém deixou muita água passando à porta da sua casa o que lhes permitiu colocar muitos barquinhos de papel para deslizar na forte enxurrada.Dentro dos barquinhos eles depositaram algumas balas com bilhetinhos para serem levadas às crianças que moravam um pouquinho mais abaixo, 

Nos bilhetinhos eles diziam: 
- Amiguinhos: quando tudo voltar ao normal vamos empinar pipa?!



"Falar com Deus é fácil, é só confiar"!

bjs,soninha

23 de jul de 2010

** CHUVA DE JUJUBAS **



** CHUVA DE JUJUBAS **


Está chovendo jujubas
Todas bem coloridinhas
Vou pegá-las de montão
Para minhas amiguinhas


Dou algumas para elas
Então fico com um bocado
E apanho outras tantas
Pra ficarem ao meu lado


Chuparei as vermelinhas
Que parecem moranguinhos
Depois passo pra's verdinhas
Com gosto de limãozinhos


As azuis da cor do céu
Eu darei pra vovozinha
São da cor dos seus olhinhos
De um céu sem nuvenzinha


Ah! eu adoro as jujubas
Rolando na minha boquinha
Parece que estou sonhando
Com a mais linda fadinha


Depois escovo os meus dentes
Pra ficarem bem limpinhos
Pois se eu me esquecer
Aparecem os "buraquinhos"


Caiam caiam jujubinhas
Caiam aqui,nas minhas mãos
Eu as quero para mim
E pra todos os meus irmãos!


bjs,soninha

22 de jul de 2010

SE EU PUDESSE FALAR




Se Eu Pudesse Falar


Se Eu Pudesse Falar...
Não passe tão indiferente
só porque eu não sou gente,
só porque não sei falar.


Também sou um ser vivente,
sinto as dores que você sente
mas não posso me expressar.


Sou um bicho abandonado,
pela vida maltratado,
quase sempre escorraçado,
até mesmo apedrejado!


Vivo sedento e faminto,
ninguém quer saber o que sinto!
Se fico doente e triste
Vem logo a sentença fatal:
-Melhor matar este animal!


-Ele deve estar raivoso!
Para sua comodidade
vive dizendo inverdade,
fazendo muita maldade.


Mas para a raiva humana,
ainda não existe remédio,
com toda a evolução na história da medicina!


Olhe bem para meu semblante:
- Estou triste, apavorado,
pois a qualquer instante,
posso ser sacrificado!


Mas você não se importa
nem com o seu semelhante!
- Você sim, está doente,
egoísta, indiferente.


Mas se algo ruim lhe acontece
logo lembra que Deus existe,
chora, reza e faz prece...


Mas Deus só ajuda aquele
que de todos se compadece.


Lembre-se do que escreveu
São Francisco de Assis:
- Quem maltrata um animal
jamais poderá ser feliz!


Autoria Desconhecida

bjs,soninha

20 de jul de 2010

AMIGO





AMIGO!



Amigo é bem precioso
A quem devemos amar
É qual suave canção
Que veio a vida encantar!



Amigo é um passarinho
Que precisa de cuidado
Qual bebê bem pequenino
Cresce bem,se bem amado!


 

Amigo é pérola rara
Dentro da ostra, no mar
Que carece ser cultivada
Pra sua beleza, brilhar!



Amigo é bênção de Deus
Fruto da Sua bondade
Colocou nas nossas vidas
Sem escolher a idade!



Amigo é puro incentivo
É muleta e é bengala
É amor que explode no peito
E nunca mais se cala !



 

bjs,soninha

19 de jul de 2010

O REI E A VARINHA MÁGICA


O Reino Mágico era guiado por um rei muito sisudo que vivia a lamentar-se por causa da sua enorme barriga de "glutão".Por mais que a rainha e a princesa lhe pedissem que comesse menos a fim de diminuir a barriga, mais ele se empanturrava de mil e uma guloseimas.

Uma tarde de inverno o rei passeava pelas alamedas do palácio ,com a cabeça baixa olhos fixos no chão e o pensamento voando alto em busca de uma solução para o seu afitivo problema.

- Já não aguento mais a barriga, dizia de si para si.Nem posso mais amarrar os cadarços das botinas e nem cortar as unhas dos pés sem pedir ajuda! falava em voz alta quando avistou uma varinha dourada sobre um banco debaixo de um caramanchão.Parecia ter sido esquecida ali,por alguém. Pé ante pé o rei se aproximou do banco e tocou na varinha com delicadeza ao  tempo em que escutou uma vozinha suave:

- Por favor majestade,faça três pedidos segurando-me nas suas mãos e eu atenderei todos eles.

O rei assustado perguntou: 

- Quem está falando? É você mesmo varinha?!

- Sim majestade,sou eu mesma,respondeu a varinha docemente.Pode confiar em mim.

O rei tomou a varinha nãs mãos,fechou os olhos e ficou pensativo pois não podia desperdiçar pedidos,assim pensava ele.O primeiro ele já sabia qual seria, a sua barriga.E os outros dois? Pensou...pensou,pensou muito enquanto acariciava a varinha entre os dedos e,depois de alguns preciosos minutos,falou:

- Varinha, eu teria muitos e muitos desejos se você me permitisse mas,como não é possível eu lhe direi os três que você me autorizou.

- Primeiro, desejo que a minha barriga se torne uma barriga normal; que esta gordura toda desapareça e eu volte a ser elegante como era nos meus tempos de juventude.

- Segundo, desejo que,toda vez que eu for comer demais ou algo que faça a minha barriga crescer você faça  com que desapareça das minhas mãos e vá para as mãos das criancinhas que gostariam de comê-las mas não podem comprar.

- Terceiro,peço-lhe que não falte cobertores,agasalhos e lenha para todos os que padecem frio e não podem comprar por falta de dinheiro;que todas as criancinhas tenham brinquedos e lanches quentinhos para se divertirem dentro de casa;que as escolas funcionem sempre com tudo que há de bom e de melhor;que os pais parem de brigar principalmente na frente das crianças;que aos bichinhos de estimação nada lhes falte;enfim,que todos vivam em igualdade sem carências principalmente de amor e atenção.

Desejo que meu reino seja um Reino de Paz e Harmonia!

O rei sentiu uma leve tontura e quando abriu os olhos a varinha não mais estava entre os seus dedos,a sua barriga não estava lhe incomodando e,ao olhar viu-se como quando ele era ainda mais jovem.Voltou para o palácio exultante dirigindo-se à rainha e à princesa para mostrar-lhes o "milagre".

Contou-lhe tudo o que sucedera e elas puderam constatar que era verdade quando viram a transformação ocorrida não só na barriga do Rei como em todo o Reino,em tudo que ele falara.

Foi assim que o Reino Mágico se tranformou num Paraíso Mágico,graças a um rei que pensava não apenas em si mesmo mas,sobretudo,nos que ali viviam.Todos ficaram sabendo do que acontecera entre o rei e a varinha mágica e passaram a respeitá-lo ainda mais por saberem ser o mesmo um rei justo e voltado para o povo.

Muitos e muitos anos se passaram,ele ficou velhinho e foi  morar perto de Deus em outro Reino mas nunca foi esquecido pelos que aqui ficaram e lhe sucederam.

bjs,soninha

17 de jul de 2010

APRENDER A REALIZAR


APRENDER A REALIZAR


Aquelas manhãs eram especiais.

Ao primeiro domingo de cada mês, depois da aula de Evangelização, nossos pais levavam-nos até a Feira de Artesanato de nossa cidade.

Ali adquiríamos brinquedos e artigos escolares com as economias de nossas mesadas.

Economizando há dois meses, meu coração pulava dentro do peito por estar próximo de realizar o meu pequeno desejo. O plano era o de comprar um porta-lápis de madeira em formato de nave espacial.

Útil para organizar lápis e canetas, era bem construído, colorido e decorativo. Luiza, minha irmã, estava igualmente ansiosa por comprar roupinhas novas para a velha boneca Gabi.

Nossos pais, como de hábito, aguardavam nossas compras para que todos juntos pudéssemos lanchar as delícias oferecidas nas barracas de alimentação.

Quando eu estava fechando o negócio, percebi aproximar-se um garoto abatido, de roupas simples e olhar tristonho que sorrindo, disse-me:

- “Você está levando para sua casa esse objeto? - Para que serve?”

- “Para eu guardar meus lápis e canetas”.

- “Hum!... Se sobrar um trocadinho, você pode me comprar um sanduíche? É que... eu não comi nada, hoje e.... desculpe, não quero incomodar, já vou indo”.

- “Não, espere! Não vá ainda”. E entre o garoto faminto e o objeto em minhas mãos, procurei pelo olhar de minha mãe que observava atenta:

- “Marcos, você já aprendeu nas aulas de Evangelização. Faça o que diz o seu coração” - respondeu-me carinhosamente.

Olhei para Luiza que imediatamente, desviou o olhar.

- “Moço”, falei para o dono da barraca, “levarei o porta-lápis na próxima vez. Muito obrigado”.

Luiza, envergonhada, cochichou ao meu ouvido:

- “Apoiado, mano. Vamos convidá-lo para almoçar conosco e assim, poderemos pagar as despesas”.

Felizes, fomos todos lanchar com o garoto Miro, órfão de pai, que procurava levar algum alimento para casa com a venda de panos de secar louça bordados por sua mãe.




Meu pai, interessado em ajudá-lo, deu ao Miro um pequeno cartão com o endereço da Instituição Espírita que freqüentávamos, para que sua mãe procurasse o Serviço Assistencial daquela Casa de doação e amor.

Luiza e eu oferecemos o troco do lanche para que Miro e sua mãe pudessem chegar até lá.

Ganhamos um novo amigo e nos meses seguintes, pudemos encontrá-los semanalmente no Centro Espírita, observando o progresso daquela família que aprendemos a amar e respeitar.

Não compramos nada naquele dia, mas o tempo e a amizade compartilhados com Miro, a oportunidade de conhecê-lo melhor estará para sempre em nossas lembranças.

Lembranças felizes adquiridas na Evangelização das manhãs de domingo da nossa infância.



autora:
Isabel. C. Ditzel

bjs,soninha

14 de jul de 2010

** AS ESTRELINHAS NO CÉU **

 

** AS ESTRELINHAS NO CÉU **


Milhares de estrelinhas
Brincam de pega-pega
Somente a alma que é pura
Esta beleza, enxerga!


São soldadinhos de Deus
Cuidando da nossa vida
E,se nós estamos tristes
Elas nos dão guarida.


Iluminam a nossa estrada
Amenizam as nossas dores
E no céu, quando elas piscam
Parecem buquês de flores


Despertam na alma poeta
O desejo de escrever
Pra colocar no poema
O que não se pode ver


Um pedacinho da alma
E do seu lindo coração
Trazendo pra todos nós
Tão suave emoção


Quando param de piscar
Estão aqui na minha mão.
Porque não posso guardá-las
Dentro do meu coração


Segurando com carinho
Bem pertinho do meu peito
Pra quando eu for dormir
Espalhá-las no meu leito!


Dormirei em um lençol
Rebordado por estrelas
Cada vez que acordar
Eu então,poderei vê-las!


bjs,soninha

13 de jul de 2010

** A BALEIA ZANGADA **


** A BALEIA ZANGADA **


Dona baleia azulada
Vivia no fundo do mar,
Ficava  muito zangada
Vendo alguém a pescar.


Ligeiro ela nadava
Jogando água pro ar
E,se alguém lhe olhava
Ela se punha a gritar.


Gritava mil palavrões
Que eu não posso contar
Maiores que os arpões
Que estavam a apontar


Por favor deixem as baleias
Viverem tranquilas no mar
Corre o amor em suas veias
Elas só quem nadar!


bjs,soninha

12 de jul de 2010

** MENINO DE RUA **



** MENINO DE RUA **


Sou criança pequenina
um pedacinho do céu
e já me sinto cansado
de viver penando,ao léu!


Se você crê em Deus
e reza de manhãzinha
por favor,peça a Ele
pra me dar uma mãezinha.


Prometo ser educado
e muito obediente;
juro que tomarei banho
e escovarei os meus dentes.


Vou aprender a escrever
e farei uma cartinha,
pedindo a Nosso Senhor
pra proteger a mãezinha.


Colherei flores no quintal
e farei um ramalhete,
pra enfeitar o seu dia
e nele porei um bilhete.


Nele estará escrito
um lindo poema de amor
pra minha doce mãezinha
- No mundo,a mais linda flor!


bjs,soninha

ANJOS

  ANJOS


O menino acordou pela manhã e perguntou a sua mãe se os anjos existiam, de verdade, porque ele nunca vira nenhum.

Como sua mãe lhe dissesse que eles existiam, resolveu seguir pela estrada até encontrar um anjo.

A mãe aprovou a idéia e disse que iria com ele.

“Mas você anda muito devagar, por causa do seu pé aleijado.”- reclamou ele.

Mesmo assim, lá se foram os dois. O garoto, na frente, saltando, pulando feliz e a mãe, atrás, mancando.

De repente, ele viu uma carruagem majestosa, puxada por cavalos brancos. Dentro, uma linda dama. Correu e perguntou:

“Moça, você é um anjo?”



Ela resmungou alguma coisa, pediu ao cocheiro que chicoteasse os cavalos e a carruagem sumiu, deixando um enorme rastro de poeira.

O garoto quase sufocou. Sua mãe chegou e limpou a poeira com seu avental de algodão azul.

“Ela não era um anjo”, pensou ele.

Mais adiante, encontrou uma moça linda, vestida de branco, com olhos da cor do céu.

“Você é um anjo?” - perguntou logo o pequeno.

A moça estava apaixonada. Disse que o namorado sempre falava que ela era um anjo. Pegou o garoto no colo e o abraçou. Nisso, chegou o namorado e ela largou o menino, tão depressa, que ele caiu.




Sua mãe chegou e lhe enxugou as lágrimas com seu avental de algodão azul.

Aquela moça, também, não era um anjo.

O garoto abraçou o pescoço da mãe e como estivesse cansado, perguntou se ela o carregaria.

“Claro, meu filho. Foi para isso que eu vim.”

Com o fardo precioso nos braços, a mãe foi mancando pelo caminho, cantando a música que ele mais gostava.

“Mãe. Você não é um anjo?”

Ela sorriu e falou mansinho:

“Imagine, meu filho. Nenhum anjo usaria um avental de algodão azul como o meu.”


Adaptação do texto Sobre anjos, de Laura E. Richards, de O livro das virtudes II, de William J. Bennett, ed. Nova Fronteira.


bjs,soninha

10 de jul de 2010

QUERIDO PAPAI DO CÉU!


Ando assustado com as coisas que estão acontecendo no mundo e por isto venho lhe pedir para tomar conta do meu papai e da mamãe.Se puder olhar meu avós eu vou gostar muito, pois eles estão velhinhos.Eu gosto muito de você,Papai do Céu.Me abençoa.tá?


beijos,

7 de jul de 2010

** ACEROLA **

 
**ACEROLA**


Sou frutinha vermelinha
redondinha que nem bola...
Não sou doce nem azeda
sou apenas,acerola!


Um docinho lá distante
um azedinho misturado...
na minha boca se espalhando
cá na frente, lá no lado...


Muito rica em vitamina
que da gripe nos protege
é a "C" do candidato
que este ano o povo elege...


No suco e picolé
no sorvete e no pudim
todo jeito ela é gostosa 
-saboreio até o fim!


Acerola...acerola...
acerola...acerolinha
você é tão saborosa
- ó quão linda,esta frutinha!


bjs,soninha

** A ÁRVORE MÁGICA **



** A ÁRVORE MÁGICA **


No Reino Encantado havia uma árvore onde cresciam frutos que saciavam a fome espiritual das pessoas ;não falo da fome de alimentos que nos empanturram e nos deixam muitas vezes sonolentos e com o estômago pesado,falo da fome da alma que nos torna inquietos,entediados e muitas vezes infelizes.

Os frutos que cresciam nesta árvore mágica saciavam a fome de:alegria,esperança,paz,luz,felicidade,amor e tudo que nos torna um pouco mais feliz.Se alguém estava desesperançado colhia um frutinho verde que lhe renovava imediatamente a esperança após ser comido;e a pessoa passava a olhar a vida e os seus problemas com outros olhos, os da esperança.

Quando a tristeza entrava e tomava posse da alma de alguém,ele colhia um frutinho vermelho,era o da alegria que imediatamente mudava o seu humor ao ser ingerido.

O fruto da bondade era azul, o da paz era branco, o do amor era verde água e assim eram os frutinhos,para cada um deles uma cor diferente.

O frutinho do perdão era dourado e era o mais bonito de todos!

Ao redor da árvore mágica havia sempre muitas pessoas colhendo dos mais variados frutos,cada qual procurando saciar a sua necessidade. O fruto que mais era colhido era o fruto indicado para ganhar dinheiro e acumular riquezas,ele era roxinho com pontinhos pretos e nem era bonito,mas como ajudava a ficar rico todos colhiam e comiam muitos deles de uma só vez.Algumas pessoas até ficavam empanturradas e morriam de indigestão antes de enriquecerem,talvez porque a ganância fosse demais...

Somente os frutos dourados não eram colhidos com frequência.Durante a noite a árvore mágica parecia transformar-se num grande luzeiro por conta dos frutinhos dourados do perdão que brilhavam na escuridão chegando a iluminar quase todo o Reino Encantado.

Embora existisse esta árvore no Reino Encantado com frutos tão valiosos que ajudavam muito as pessoas a enfrentarem a vida com todas as suas dificuldades,elas viviam brigando umas com as outras.Havia muitos falatórios sobre a vida alheia, muitas atitudes de vingança por pequeninas coisas e as pessoas estavam quase sempre com o semblante fechado como se estivessem imaginando fazer algo de ruim com outrem.

Certo dia o Rei observando aquela situação de caras fechadas,falatórios e tudo mais,entendeu que estava faltando o perdão entre as pessoas e por isto elas viviam tão angustiadas e com o semblante tão carregado.Imediatamente o rei decretou que todas as pessoas,crianças adultos e idosos eram obrigados a partir daquela data, a comerem dois frutinhos dourados pela manhã antes do café,dois no almoço e dois no jantar,e que ninguém pensasse sequer em desobedecer as suas ordens pois seria severamente punido.

A partir daquele dia a árvore mágica passou a ser fiscalizada pela guarda do palácio real que observava se as ordens do rei estavam sendo cumpridas.As pessoas traziam uma cadernetinha onde era registrada cada colheita do frutinho dourado do perdão,que era comido na presença da guarda real e,ao final do dia a cadernetinha forçosamente teria três brasões carimbados.

O tempo foi passando,as pessoas foram se modificando aos poucos,ficaram mais felizes e esta felicidade transparecia nos seus rostos.Se tornaram mais generosas,conversavam mais uma com as outras,se esqueciam das ofensas que tinham sido vítimas e procuravam não ofender aos demais.

Quanto aos frutinhos dourados que eram consumidos,estes se multiplicavam cada vez mais!

Sim, quanto mais as pessoas os consumiam mais eles cresciam  na árvore mágica e esta mais e mais iluminava o Reino Encantado.

Era a mais bela magia...


bjs,soninha

6 de jul de 2010

JESUS,NOSSO MELHOR AMIGO!




Crianças são muito parecidas com papagaios,adoram imitar,escolhendo,na sua santa inocência quem mais lhe chama àtenção e lhe agrada ,que nem sempre é o mais discreto e agradável.,Por que não falar de Jesus para elas,das suas belas mensagens permeadas da mais elevada moral cristã,das curas que ele realizou,do seu amor para com todas as criaturas,da sua paciência,mansidão,humildade e todas as outras virtudes que o tornou o mais elevado espírito a pisar no solo da Terra?!

Por que não falar demoradamente como demoradas são as brincadeiras e jogos de vídeogames?!

A criança é argila maleável,é terreno pronto para ser lançada a semente e não há outra melhor do que a dos ensinamentos do Mestre Jesus!

Fale de Jesus para as crianças,sem pieguismo,com doçura,amor e sinceridade e a vida te agradecerá por estares cooperando na formação de um caráter elevado e ilibado.Vá em frente,não tema nem se envergonhe de dizer e ensinar-lhes a dizer:

- Jesus,eu te amo e vou ensinar ao mundo, a tua gloriosa vida.

Não temos vergonha de vibrar e gritar por um cantor,um artista de teatro,filme ou TV, um time de futebol etc e eles todos são passageiros nesta vida,como nós também somos,Mas Jesus está aí ao nosso lado,firme e forte nos atendendo a qualquer momento mesmo que tenhamos sido mal educados com ele ou ingratos pois quase nunca manifestamos o nosso amor e/ou a nossa gratidão para com ele da mesma maneira que o fazemos para com todos estes "gaiatos" citados.

Que tal escolhermos melhor o nosso time e a nossa camisa?! 

Vale a pena,ele é fiel de verdade.Eu não frequento templos (igrejas) nas oro e oro muito,e não tenho vergonha de dizer que amo Jesus e que ele é o único homem que me aceitou exatamente como sou sem pedir-me nada,absolutamente nada.Foi me conquistando a cada dia com a sua paciência,fidelidade e o seu amor inigualável.Ele foi o único a enxergar a minha alma e as minhas necessidades espirituais e buscou preencher o vazio que havia em mim.Se ainda não preencheu totalmente não foi por culpa dele mas por minha própria culpa por mantê-lo afastado muitas vezes quando o que ele mais deseja é estar comigo.

Nele sim,eu me fortaleço!

Experimente colocá-lo na sua vida e dos seus com simplicidade, sinceridade, alegria,sem fanatismos e/ou mentiras.Converse com ele, ele te ouve, não duvides nunca.Para onde saires leva-o contigo,ele é uma boa companhia.No barzinho,ainda que não beba ele ficará te esperando enquanto conversas com teus amigos outros e não se intrometerá na tua conversa nem te dirá faça isto ou aquilo pois ele sempre respeita o nosso livre arbítrio.Mas se você errar ao ponto de se prejudicar e pedir a opinião e ajuda dele,ele está ali firme e forte para te escutar e te ajudar.

Pense nisto! Não é legal um amigo assim?! Pois então,faz dele o teu maior amigo e dos teus filhos,assim toda a tua família estará amparada.As crianças precisam vibrar  tanto ou mais com os feitos de Jesus como elas vibram com os feitos destas pessoas comuns e falíveis iguais a nós mesmos.

Reflita! A responsabilidade de plantar valores nos teus filhos,é tua e,em todas as crianças...é nossa!

Vamos em frente,guiados por ele buscando semear valores nestas almas que sustenterão o nosso amanhã.

bjs,soninha

** A CANOA AMARELA **


** A CANOA AMARELA **


Deslizando rio abaixo
em suave mansidão
não sabendo que adiante
tem um imenso boqueirão


lá vai ela...lá vai ela...
a canoa amarela!
lá vai ela...lá vai ela...


Remo bate,espalma a água
respingando em mil cristais
tão brilhantes,cristalinos
quero ver...eu quero mais...


quero mais...quero mais..
quero mais é viajar
neste rio, imensidão
que no mar vai desaguar...


lá vai ela...lá vai ela...
a canoa deslizando
em mansas águas...
a canoa é amarela!
lá vai ela...lá vai ela...


Índio rema, sol a pino
água espuma na imensidão
lá no céu a gaivota
vai de encontro ao avião...


não vai não...não vai não
é apenas impressão!
é um jogo de miragem
que engana a visão!


Lá vai ela...lá vai ela...
a canoa amarela!
esta sim,não é miragem
nem é doce cinderela...


lá vai ela...lá vai ela
a canoa amarela!
lá vem ela...lá vem ela...


bjs,soninha

5 de jul de 2010

UM MIMO!


Para todos os que passam por aqui deixando 
a sua energia de carinho !

bjs,soninha

Não dê armas às crianças!!

Não dê armas às crianças!!