Estamos de volta!!

Estamos de volta!!
O Inverno Chegou...

22 de ago de 2015

Quindim


Ingredientes

10 unidade(s) de gema de ovo peneirada(s)
50 gr de coco ralado(s)
150 ml de leite de coco
200 gr de açúcar

Modo de preparo

_ Depois de peneirar as gemas junte o restante
 dos ingredientes e misture delicadamente.
_ Unte uma fôrma de anel com muita manteiga e em 
seguida polvilhe açúcar na fôrma.
_Acrescente o líquido à fôrma e leve para assar 
em banho-maria a 140ºC, até ficar dourado e o coco 
raladosubir a superfície.

Delícia!

Pé-de-Moleque


Ingredientes

2 xícaras de açúcar
1 lata de leite condensado
3 xícaras de amendoim (torrado e sem pele)

Modo de Preparo

Derreta o açúcar, cuidando para não queimar e não ficar bolinhas
Colocar devagar o leite condensado
Em seguida, o amendoim, mexa até desprender da panela
Passar margarina na pia e despejar
Depois de frio, cortar em quadrados

Delícia!!

Congada: Folclore Brasileiro



A congada é uma importante festa popular do folclore brasileiro, que apresenta elementos religiosos e culturais africanos (principalmente do Congo e Angola) misturados com portugueses (cristãos). Costumam acontecer em forma de procissão ou desfile. Tem sua origem no Brasil Colonial, durante a segunda metade do século XVII.

A congada é marcada por danças, cantos e músicas. Possui um forte componente religioso católico, sendo que santo São Benedito é considerado o padroeiro desta festa. Nossa Senhora do Rosário também é homenageada em muitas congadas, principalmente em algumas cidades do interior de Minas Gera

A congada é realizada em regiões do interior de vários estados brasileiros, sendo mais forte em Minas Gerais, Paraíba, São Paulo, Pernambuco e Paraná.



A encenação da congada

A principal referência histórica encenada nas congadas é a coroação dos antigos reis africanos do Congo.

Em algumas congadas, a encenação é marcada também por uma representação de guerra entre os mouros (muçulmanos) e os cristãos. É, na verdade, uma referência à época das Cruzadas. No final da encenação, a vitória é conquistada pelos cristãos.

Durante a encenação ocorrem muitos cantos e danças. A música tem o acompanhamento de uma orquestra formada por violões, violas, reco-recos, atabaques, sanfonas e cavaquinhos.

Os participantes costumam usar roupas brancas com grandes fitas coloridas. Homens e mulheres de todas as idades costumam participar da congada. A presença de afrodescendentes é grande nas congadas, em função de seu forte componente cultural africano.

De acordo com a tradição, na frente do cortejo, alguns participantes (geralmente mulheres) levam bandeiras ou estandartes com imagens de santos católicos.

Quase sempre, a congada termina na frente de uma igreja católica.



Nosso Folclore é Rico!



Boitatá

Representada por uma cobra de fogo que protege as matas e os animais e tem a capacidade de perseguir e matar aqueles que desrespeitam a natureza. Acredita-se que este mito é de origem indígena e que seja um dos primeiros do folclore brasileiro. Foram encontrados relatos do boitatá em cartas do padre jesuíta José de Anchieta, em 1560. Na região nordeste, o boitatá é conhecido como "fogo que corre".


Boto

Acredita-se que a lenda do boto tenha surgido na região amazônica. Ele é representado por um homem jovem, bonito e charmoso que encanta mulheres em bailes e festas. Após a conquista, leva as jovens para a beira de um rio e as engravida. Antes de a madrugada chegar, ele mergulha nas águas do rio para transformar-se em um boto.


Curupira

Assim como o boitatá, o curupira também é um protetor das matas e dos animais silvestres. Representado por um anão de cabelos compridos e com os pés virados para trás. Persegue e mata todos que desrespeitam a natureza. Quando alguém desaparece nas matas, muitos habitantes do interior acreditam que é obra do curupira.


Lobisomem

Este mito aparece em várias regiões do mundo. Diz o mito que um homem foi atacado por um lobo numa noite de lua cheia e não morreu, porém desenvolveu a capacidade de transforma-se em lobo nas noites de lua cheia. Nestas noites, o lobisomem ataca todos aqueles que encontra pela frente. Somente um tiro de bala de prata em seu coração seria capaz de matá-lo.


Mãe-D'água

Encontramos na mitologia universal um personagem muito parecido com a mãe-d'água : a sereia. Este personagem tem o corpo metade de mulher e metade de peixe. Com seu canto atraente, consegue encantar os homens e levá-los para o fundo das águas.


Pisadeira

É uma velha de chinelos que aparece nas madrugadas para pisar na barriga das pessoas, provocando a falta de ar. Dizem que costuma aparecer quando as pessoas vão dormir de estômago muito cheio.


Mula-sem-cabeça

Surgido na região interior, conta que uma mulher teve um romance com um padre. Como castigo, em todas as noites de quinta para sexta-feira é transformada num animal quadrúpede que galopa e salta sem parar, enquanto solta fogo pelas narinas.


Mãe-de-ouro

Representada por uma bola de fogo que indica os locais onde se encontra jazidas de ouro. Também aparece em alguns mitos como sendo uma mulher luminosa que voa pelos ares. Em alguns locais do Brasil, toma a forma de uma mulher bonita que habita cavernas.


Comadre Florzinha

É uma fada pequena que vive nas florestas do Brasil. Vaidosa e maliciosa possui cabelos compridos e enfeitados com flores coloridas. Vive para proteger a fauna e a flora. Junto com suas irmãs, vivem aplicando sustos e travessuras nos caçadores e pessoas que tentam desmatar a floresta.

Folclore


O que é Folclore

Podemos definir o folclore como um conjunto de mitos e lendas que as pessoas passam de geração para geração. Muitos nascem da pura imaginação das pessoas, principalmente dos moradores das regiões do interior do Brasil. Muitas destas histórias foram criadas para passar mensagens importantes ou apenas para assustar as pessoas. O folclore pode ser dividido em lendas e mitos. Muitos deles deram origem à festas populares, que ocorrem pelos quatro cantos do país.

As lendas são histórias contadas por pessoas e transmitidas oralmente através dos tempos. Misturam fatos reais e históricos com acontecimentos que são frutos da fantasia. As lendas procuraram dar explicação a acontecimentos misteriosos ou sobrenaturais.

Os mitos são narrativas que possuem um forte componente simbólico. Como os povos da antiguidade não conseguiam explicar os fenômenos da natureza, através de explicações científicas, criavam mitos com este objetivo: dar sentido as coisas do mundo. Os mitos também serviam como uma forma de passar conhecimentos e alertar as pessoas sobre perigos ou defeitos e qualidades do ser humano. Deuses, heróis e personagens sobrenaturais se misturam com fatos da realidade para dar sentido a vida e ao mundo.
- A palavra folclore é de origem inglesa. A termo "folk", em inglês, significa povo, enquanto "lore" significa cultura.

- Nem tudo é folclore. Para ser considerada uma legítima representação folclórica, é necessário que se enquadre em algumas características: ter origem anônima, ser antiga e popular, tradicional numa determinada região (sendo praticada e divulgada por muitas pessoas) e ter se espalhado através da transmissão oral (famoso boca a boca).

Carimbó: Dança Folclórica Brasileira


O carimbó se constitui em uma manifestação folclórica que inclui dança e música. Característico da região norte do país, mais especificamente do Pará, possui origens no sincretismo entre as culturas negra, indígena e ibérica (GABAY, 2010). Sobre este assunto Costa (2011) afirma que existem linhas muito tênues entre o nível de influência que cada cultura pode ter despendido para a constituição do carimbó, afirmando que muitos pesquisadores ao tentar delimitar estas contribuições acabaram não encontrando resultados específicos.

O termo carimbó está associado a uma espécie de tambor africano feito com um tronco escavado internamente, em que, em uma das extremidades se aplica um couro descabelado (CASCUDO, 2012). Este instrumento acabou sendo o utilizado no ritmo que mais tarde recebeu o mesmo nome.

Carimbó (tambor)

Dança e Passos

A dança do carimbó é realizada em círculo feito com homens e mulheres, em que, em um dado momento, uma das damas vai ao centro requebrando e trejeiteando sua saia, ao som da percussão, que inclui o carimbó - instrumento- (CASCUDO, 2012). O autor completa ao enfatizar que a bailarina gira e faz fortes movimentos com sua saia, impulsionando-a em direção ao parceiro mais próximo.

A dama pode ainda, fazer movimentos ondulatórios requebrando com as mãos na cintura, enquanto os homens batem palmas, estalam os dedos e também fazem rodopios acompanhando-a no ritmo da música. 

Também é possível desenvolver coreografias em outras formações, como em colunas ou filas, por exemplo, estimulando os alunos a andarem pelo salão, sendo que as meninas sempre utilizarão das saias para deixar os movimentos ainda mais graciosos.

Com os alunos em duplas, enquanto o menino marca a batida com uma pisada forte no chão, as meninas podem girar envolta deles.

O ponto máximo do carimbó é conhecido como “Peru de Atalaia” ou “Dança do Peru”, momento em que a dama deixa um lenço cair no chão e o seu parceiro tem que pegá-lo usando apenas a boca, exigindo, portanto, muita flexibilidade do menino. Este momento da dança pode ser adaptado caso haja resistência dos alunos, por meio de outras maneiras de recolher o lenço, no entanto, é importante que eles conheçam a cultura desta manifestação característica da região norte do país.


beijinhos de luz!

Sambalelê: Dança Folclórica do Brasil


beijinhos de luz...

Saci Pererê


O Saci-Pererê é uma lenda do folclore brasileiro e originou-se entre as tribos indígenas do sul do Brasil.

O saci possui apenas uma perna, usa um gorro vermelho e sempre está com um cachimbo na boca.
Inicialmente, o saci era retratado como um curumim endiabrado, com duas pernas, cor morena, além de possuir um rabo típico.

Com a influência da mitologia africana, o saci se transformou em um negrinho que perdeu a perna lutando capoeira, além disso, herdou o pito, uma espécie de cachimbo, e ganhou da mitologia europeia um gorrinho vermelho.
A principal característica do saci é a travessura, ele é muito brincalhão, diverte-se com os animais e com as pessoas. Por ser muito moleque ele acaba causando transtornos, como: fazer o feijão queimar, esconder objetos, jogar os dedais das costureiras em buracos e etc.

Segundo a lenda, o Saci está nos redemoinhos de vento e pode ser capturado jogando uma peneira sobre os redemoinhos.
Após a captura, deve-se retirar o capuz da criatura para garantir sua obediência e prendê-lo em uma garrafa.
Diz também a lenda que os Sacis nascem em brotos de bambus, onde vivem sete anos e, após esse tempo, vivem mais setenta e sete para atentar a vida dos humanos e animais, depois morrem e viram um cogumelo venenoso ou uma orelha de pau.

beijinhos de luz!!

Dia do Folclore Brasileiro

Criação da data

O Congresso Nacional Brasileiro, oficializou em 1965 que todo dia 22 de agosto seria destinado à comemoração do folclore brasileiro. Foi criado assim o Dia do Folclore Nacional. Foi uma forma de valorizar as histórias e personagens do folclore brasileiro.

Desta forma, a cultura popular ganhou mais importância no mundo cultural brasileiro e mais uma forma de ser preservada. O dia 22 de agosto é importante também, pois possibilita a passagem da cultura folclórica nacional de geração para geração.
 

Comemoração

O Dia 22 de agosto é marcado por várias comemorações em todo território nacional. Nas escolas e centrou culturais são realizadas atividades diversas cujo objetivo principal é passar a diante a riqueza cultural de nosso folclore. Os jovens fazem pesquisas, trabalhos e apresentações, destacando os contos folclóricos e seus principais personagens. É o momento de contarmos e ouvirmos as histórias do Saci-Pererê, Mula-sem-cabeça, Curupira, Boto, Boitatá, etc.

Nesta data, também são valorizadas e praticadas as danças, brincadeiras e festas folclóricas.

3 de ago de 2015

Os Dois Viajantes na Macacolândia


Dois viajantes, transviados no sertão, depois de muito andar alcançam o reino dos macacos.

Ai deles! Guardas surgem na fronteira, guardas ferozes que os prendem, que os amarram e os levam à presença de S. Majestade Simão III.

El-rei examina-os detidamente, com macacal curiosidade, e em seguida os interroga:

— Que tal acham isto por aqui?

Um dos viajantes, diplomata de profissão, responde sem vacilar:

— Acho que este reino é a oitava maravilha do mundo. Sou viajadíssimo, já andei por Seca e Meca, mas, palavra de honra! nunca vi gente mais formosa, corte mais brilhante, nem rei de mais nobre porte do que Vossa Majestade.

Simão lambeu-se todo de contentamento e disse para os guardas:

— Soltem-no e dêem-lhe um palácio para morar e a mais gentil donzela para esposa. E lavrem incontinenti o decreto de sua nomeação para cavaleiro da mui augusta Ordem da Banana de Ouro.

Assim se fez e, enquanto o faziam, El-rei Simão, risonho ainda, dirigiu a palavra ao segundo viajante:

— E você? Que acha do meu reino?

Este segundo viajante era um homem neurastênico, azedo, amigo da verdade a todo o transe.

Tão amigo da verdade que replicou sem demora:

— O que acho? É boa! Acho o que é!…

— E que é que é? — interpelou Simão, fechando o sobrecenho.

— Não é nada. Uma macacalha… Macaco praqui, macaco prali, macaco no trono, macaco no pau…

— Pau nele — berra furioso o rei, gesticulando como um possesso. Pau de rachar nesse miserável caluniador…


E o viajante neurastênico, arrastado dali por cem munhecas, entrou numa roda de lenha que o deixou moído por uma semana.


Moral: 
*Quem for amigo da verdade, use couraça ao lombo*.

O Carinho da Mamãe


Quando a mamãe gatinha
Abraça o seu filhotinho
Ela está lhe falando
Do seu amor e carinho!!


Ele se deita no chão
Ela o lambe todinho
É um banho diferente
Limpeza com o carinho!!


Ele mama em suas tetas
Sob ela, deitadinho
Ela o trata com cuidado
Com paciência e carinho!!


Eles saem pra passear
Pela rua, ali pertinho...
Ela conhece os perigos
E os aponta com carinho!!


Se um cachorro aproxima
Barrando o seu caminho
Ligeirinha, ela desvia
E o puxa,com todo carinho!!


Como vocês podem ver
Entre a gata e o gatinho
O que mais eles cultivam
É amor, respeito e carinho!!


*soninha*

beijinhos de alegria...

Clique AQUI
e conheça "Gatinhos e Gatinhas"

Gratidão canina: veja a reação desse cachorro após ser salvo por um homem


O cachorro que você vai conhecer a seguir se viu preso em um lugar rodeado de água. Pelo vídeo fica difícil dizer, mas me parece ser uma rede de esgoto ou de canalização de água.

O importante mesmo é que, felizmente, um homem passava por perto e viu a agonia do cãozinho ao tentar sair daquela enrascada.

Não dê armas às crianças!!

Não dê armas às crianças!!