Estamos de volta!!

Estamos de volta!!
Com muitas novidades!

31 de dez de 2012

**ANO VELHO E ANO NOVO MEDEM FORÇA**


Era uma vez...

...no Reino Mágico da Esperança, um garotinho rabugento e teimoso que se chamava Nino. 

Ele mal acabara de nascer e já começara a criar problemas com a maioria das pessoas do Reino.

Certa tarde ele estava descansando na sua caminha quando escutou uma conversa entre os seus pais:

- Luís, você está sabendo que o nosso filhinho Nino, foi escolhido pelo Rei para substituir o Ano Velho, falou dona Luz ao seu esposo Raio .

- Eu sei,mulher ,mas não posso fazer nada a não ser entregar o nosso filho ao Rei pois nós sabemos que ele é muito exigente e não perdoa a quem recusar, respondeu o pai com os olhos cheios de lágrimas.

Nino, muito vaidoso, escutou a conversa dos pais, pulou da sua caminha e saiu bem escondidinho , indo à casa do Ano Velho. Lá chegando, ele entrou sem mesmo bater na porta ou pedir licença  e encontrou o Ano Velho sentadinho, cansado, limpando a ampulheta que iria entregar ao Ano Novo, e foi logo dizendo:

- Já estou sabendo,Ano Velho! Ouvi a conversa entre o papai e a mamãe e sei que serei eu quem substituirá você, portanto me dê logo a ampulheta que eu já vou me sentar no trono.

Ano Velho, calmo e paciente, tentou fazer com que ele entendesse que ele só poderia ficar com a ampulheta e o trono quando o relógio batesse as últimas badaladas do dia 31. Falou cam brandura e mansidão mas o Nino não quís saber de conversa, pulou sobre o Ano Velho, fazendo cair a sua cartola, segurou a ampulheta com as duas mãos e começou a gritar:

- Me dê logo,seu velho chato, a vez agora minha!

Ano Velho teve que lutar muito e tentar se equilibrar para não cair pois o danadinho do Ano Novo tinha uma força que dava inveja a qualquer um.

E assim eles ficaram horas e horas até que o relógio tocou as últimas badaladas do dia 31 de dezembro, o Ano Velho caiu exausto, e o Ano Novo, todo vaidoso saiu com o narizinho arrebitado, sentou-se no trono que agora lhe pertencia ,empunhando a ampulheta com a qual maracaria dia após dia do seu reinado.

Nem precisava ele tratar o Ano Velho desta maneira não é mesmo? Afinal de contas ele seria mesmo o substituto... 

Devemos amar e respeitar os mais velhos e tratá-los com muito carinho.

soninha

beijinhos de paz!!

23 de dez de 2012

Bolo Gelado


Ingredientes

4 ovos
2 xícaras de açúcar
3 xícaras de farinha de trigo
1 copo de suco de laranja ( 250ml)
1 colher de sopa de fermento em pópara a cobertura:
1 garrafa pequena de leite de coco
1 garrafa de leite ( utilize a mesma garrafa do leite de coco como medida)
1 lata de leite condensado
1 pacote de coco ralado sem açúcar

Modo de Preparo

Na batedeira bata as claras em neve
Acrescente o açúcar e bata por mais uns 3 minutos
Coloque as gemas, o trigo, o suco e continue batendo até formar uma massa homogênea
Por último ponha o fermento, bata por mais 40 segundos na menor velocidade da batedeira
Despeje a massa numa forma média e untada
Asse em forno pré-aquecido em temperatura média por aproximadamente 40 minutos ou até dourar

Cobertura:
Misture bem numa tigela o leite de coco, o leite e o leite condensado
Reserve
Assim que o bolo tiver assado, retire do forno e fure toda a sua superfície com garfo ou faca, assim a cobertura penetrará bem
Com o bolo ainda quente e já furado despeje a cobertura sobre ele
Salpique o coco ralado por cima
Leve à geladeira por aproximadamente 3 horas
Corte o bolo em quadradinhos do tamanho que preferir e embrulhe com papel alumínio
Conserve na geladeira
Se o leite tiver fresquinho o bolo pode durar até 1 semana, isso se não acabarem com ele bem antes


beijinhos...

O Atraso de Papai Noel

Todos os anos, como já é costume, o Papai Noel vai a uma pequena aldeia levar os presentes às crianças. 
Mas este ano aconteceu uma desgraça: O Papai Noel atrasou-se, e as crianças da aldeia ficaram preocupadas, pois ainda não receberam os presentes.
- Onde está o Papai Noel? – Perguntou uma das crianças da aldeia aos seus amigos.

- Não sabemos – disseram todos em coro – O Papai Noel ainda não foi à nossa casa!

- O Papai Noel atrasou-se?! – Perguntou uma das crianças.

- Que estranho, o Papai Noel nunca se atrasa! – Disse a outra.

- Vamos ter com ele ao Pólo Norte! – falou entusiasmada uma criança.

- Boa ideia! – Disseram todos – Vamos à casa dele!
Assim o disseram, assim o fizeram! Foram todos à casa do Papai Noel, e quando lá chegaram bateram à porta e disseram:
- Papai Noel! Somos nós, as crianças da aldeia.

O Papai Noel foi abrir a porta e disse:

- Entrem crianças, entrem. Desculpem-me eu tenho uma rena doente e tive de arranjar outra, ia agora mesmo para a aldeia…

- Papai Noel, nós não sabíamos o que tinha acontecido e ficamos preocupados, mas agora já estamos mais descansadas. – Interromperam as crianças.

- Agora podemos ir todos no meu trenó para a aldeia! – Sugeriu o Papai Noel.

- Sim! Nós íamos adorar.

- Então vamos!
Foram todos para a aldeia, mas quando lá chegaram encontraram as mães muito preocupadas com o desaparecimento dos seus filhos, e com o atraso do Papai Noel.
- Ai, ai, esquecemo-nos de avisar as nossas mães, e elas agora estão preocupadas.

- Olhem – disse uma das mães – não são os nossos filhos e o Papai Noel?

- São! Mas como é que os nossos filhos estão com o Papai Noel?

- Pois não sabemos!
Já era muito tarde, e já passava muito da hora de abrir os presentes.
- Fomos ver o Papai Noel, porque ele estava atrasado e esquecemo-nos de vos avisar, desculpem! – Disseram todas as crianças, envergonhadas.

Uma das mães respondeu:
- Não faz mal, o que importa é que todos estão bem. Vamos abrir as prendas?

O Papai Noel deu então os presentes às crianças e prometeu nuca mais se atrasar.

_Desconheço o Autor_


beijinhos de natal!!

22 de dez de 2012

A Lenda da Flor de Natal


Diz a lenda, que uma menina chamada Pepita, sendo pobre, não podia oferecer um presente merecedor ao menino Jesus, na missa de Natal. Muito triste, contou o fato ao seu primo Pedro, que ia com ela a caminho da igreja. Este disse-lhe que ela não tinha que estar triste, pois o que mais importa quando oferecemos algo a alguém, é o amor com que oferecemos, especialmente aos olhos de Jesus.Pepita lembrou-se então de ir recolhendo alguns ramos secos que ia encontrando pelo caminho, para Lhe oferecer.

Quando chegou à igreja, Pepita olha para os ramos que colheu e começa a chorar, pois acha esta oferenda muito pobre. Mesmo assim, decide oferecê-las com todo o seu amor. Entra na igreja e, quando deposita os ramos em frente da imagem do menino Jesus, estes adquirem uma cor vermelha brilhante, perante o espanto de toda a congregação presente. Este fato foi considerado por todos o milagre daquele Natal.


21 de dez de 2012

O Pinheiro de Natal


Conta a história que na noite de Natal, junto ao presépio, se encontravam três árvores: 

Uma tamareira, uma oliveira e um pinheiro. 

As três árvores ao verem Jesus nascer, quiseram oferecer-lhe um presente. 

A oliveira foi a primeira a oferecer, dando ao menino Jesus as suas azeitonas. 

A tamareira, logo a seguir, ofereceu-lhe as suas doces tâmaras. 

Mas o pinheiro como não tinha nada para oferecer, ficou muito infeliz.

As estrelas do céu, vendo a tristeza do pinheiro, que nada tinha para dar ao menino Jesus, decidiram descer e pousar sobre os seus galhos, iluminando e adornando o pinheiro que assim se ofereceu ao menino Jesus.


beijinhos natalinos...

20 de dez de 2012

O Sonho de Papai Noel



O Papai Noel estava a sonhar um lindo sonho, do qual não queria acordar. Era véspera de Natal e todos estavam felizes!

Ninguém estava sozinho! Todos tinham família, e uma casa onde estar, com a mesa pronta para a ceia de natal e com comida para todos. Não havia pobreza, nem ódio, nem guerras. Todos eram amigos, não havia brigas, palavrões nem má educação, e o Papai Noel via como todos eram carinhosos uns com os outros. As pessoas que se encontravam nas ruas, a caminho de casa, cantarolavam alegremente músicas de natal, levando as últimas prendas para colocar debaixo do pinheiro. Nem cão nem gato estavam sozinhos nesta noite fria. Todos tinham um lugar aconchegado onde ficar.

E o Papai Noel não conseguia deixar de sorrir, de tanta felicidade ao ver o mundo cheio de paz, amor e harmonia! 
Mas o Papai Noel acordou e viu que tudo não passara de um sonho maravilhoso, e ficou triste. Só algumas pessoas no mundo eram felizes, capazes de celebrar o natal em alegria, paz e comunhão com os seus, de terem um lar, comida, roupa e amor.

Então o Papai Noel pensou: Terei de continuar a ajudar crianças e adultos a ter um Natal Feliz! 
Vou preparar as renas e o meu trenó, para enchê-lo com prendas e distribui-las esta noite, de modo a que, pelo menos uma vez por ano, haja alegria no coração de todos nós!.

E assim o Papai Noel continua, ano após ano, a cumprir a sua tarefa, até que um dia possa ver o seu lindo sonho concretizado.

Ho, Ho, Ho! Feliz Natal a todos!
_Desconheço o Autor_ 

beijinhos de alegria...

A Lenda das Renas de Papai Noel


O mito das Renas do Papai Noel foi criado na Europa do séc. XIX, a partir do costume de nos países como o Canadá (Norte), Alasca, Rússia, Escandinávia e Islândia, as pessoas se deslocarem na neve, usando um trenó puxado por renas.

Porém, as renas do Papai Noel são especiais pois, apesar de serem semelhantes às renas que existem nesses países, são as únicas renas que conseguem voar, de modo a que o Papai Noel possa entregar os presentes no dia certo e sem atrasos a todas as crianças do mundo inteiro.

Na tradição Anglo-saxónica original só existem oito renas, número habitualmente utilizado para puxar os trenós tradicionais. Os seus nomes são: Dasher, Dancer, Prancer, Vixen, Comet, Cupid, Donner e Blitzen ou em português, Corredora, Dançarina, Empinadora, Raposa, Cometa, Cupido, Trovão e Relâmpago. A rena Rudolph ou Rodolfo, que acabou por ser a mais conhecida, só mais tarde integrou o grupo (1939).

Conta-se que o Papai Noel ao chegar a uma das casas para entregar os presentes, encontrou por acaso a rena Rodolfo, que era diferente das suas outras renas pois tinha um nariz vermelho e luminoso. Como nessa noite o nevoeiro era muito intenso, o Papai Noel pediu a Rodolfo que se juntasse a ele e liderasse as suas renas de modo a que não se perdessem pelo caminho. A partir daí, Rodolfo passou a ser a rena que guia o trenó do Papai Noel todos os Natais.

beijinhos natalinos...

19 de dez de 2012

Acidentes domésticos com crianças: fique atento aos cuidados


Os acidentes domésticos são muito comuns, especialmente para aqueles que possuem crianças pequenas em casa. Segundo dados da Secretaria de Saúde de São Paulo, somente no estado, foram registradas 951 internações causadas pela ingestão ou inalação de líquidos ou gases tóxicos no ano passado, com 29 mortes. Em 2010 o número de internações foi ainda maior: 1.132 internações e 26 mortes, sendo que as crianças pequenas são as maiores vítimas.

Apesar da inalação e ingestão de gases e líquidos tóxicos ser bastante frequente, essa não é a única causa de preocupação. Segundo a médica pediatra Joelma Gonçalves Martin, os pequenos objetos e brinquedos também são perigosos.

"Os brinquedos pequenos podem ser engolidos ou aspirados pela criança, ou seja, ao serem colocados na boca podem ir para o pulmão, o que pode causar um acesso de tosse agudo e mesmo um desconforto respiratório", explica Joelma.

Em relação aos pequenos objetos, é importante que os pais estejam bem informados sobre os procedimentos de primeiros socorros para o caso de ocorrer algum acidente. Nesse caso, a pediatra ressalta que é importante que os pais e a criança mantenham a calma e procurem um médico imediatamente para que os riscos sejam analisados e os procedimentos adotados.

"Se a criança engoliu o brinquedo e não está engasgada, devemos nos acalmar e acompanhar as evacuações para ver a eliminação do objeto. Se o objeto for metálico, ele pode machucar as vias digestivas e, se não sair naturalmente, pode oxidar, causando uma inflamação no intestino que pode muitas vezes precisar de uma endoscopia ou retirada por cirurgia", orienta Joelma.

beijinhos de luz...

18 de dez de 2012

O SUSTO


Rafael era um menino muito arteiro. Desses que não param um minuto. 

Desde pequeno dava muito trabalho aos pais, que viviam tendo de protegê-lo a todo instante. 

Assim mesmo, com todos os cuidados, Rafael completara oito anos e já tinha quebrado a perna duas vezes, trincado o osso do braço, cortara duas vezes a cabeça levando vários pontos. Isso sem contar as quedas, os arranhões, os galos e os sustos. 

Ufa! Cuidar de Rafael não era tarefa fácil! 

Sempre tinha alguém gritando: 

— Cuidado, Rafael! 

A mãezinha recomendava-lhe com carinho: 

— Meu filho, não corra tanto! 

— Olhe o buraco! 

— Não atravesse a rua! Olhe o sinal fechado! 

Mas, qual! Rafael, sempre apressado, não dava atenção. 

Um dia, voltando da escola, Rafael viu um amigo do outro lado da rua e não deu outra. Correu para encontrá-lo. A mãe, que caminhava a seu lado, não conseguiu detê-lo. Só conseguiu gritar: 

— Não, Rafael!... Olhe o carro! 

Porém, não deu tempo. O veículo não conseguiu frear a tempo. O motorista, assustado ao ver que o garoto atravessava a rua correndo, ainda desviou o carro, jogando Rafael ao chão. 

Foi aquela correria. Alguém chamou a ambulância, que levou o menino para o hospital. 

Rafael permanecia desacordado. Batera a cabeça no asfalto e esta inconsciente.

Felizmente, não aconteceu nada de grave. 

Enquanto isso, Rafael percebeu que estava num lugar diferente. Olhou em torno e achou tudo bonito. 

Nesse momento aproximou-se um rapaz todo reluzente. Sério, olhou para Rafael e disse: 

— Por pouco você não conseguiu retornar mais cedo. 

— Eu? Retornar para onde? 

— Para o mundo espiritual! Não é isso o que tem tentado sempre? — perguntou o moço. 

O menino respondeu, apavorado: 

— Não!... Não quero deixar minha família, a escola, meus amigos, meu corpo!

Sereno, o rapaz considerou: 

— Então, tenha mais cuidado, Rafael. Cuide bem do seu corpo, proteja-o de perigos. Ele é um grande amigo que você tem e também seu maior tesouro nesta vida. Evite retornar mais cedo porque a responsabilidade será sua. 

Nesse momento, Rafael acordou no hospital. 

Logo viu as fisionomias preocupadas do pai e da mãe. Felizes por vê-lo acordado, eles choravam. 

— Não chorem! — disse ele. — Prometo-lhes que, daqui por diante, terei mais cuidado. 

E contou aos pais a conversa que tivera com o moço luminoso, e eles entenderam o que tinha acontecido com Rafael enquanto estava desacordado. 

Era a resposta do Senhor às suas preces. Juntos, elevaram os pensamentos em oração, agradecendo a Deus. 

A partir desse dia, Rafael transformou-se num outro menino. 

Continuava a ser criança, brincava, jogava bola e se divertia como qualquer outro garoto da sua idade, porém agora tinha mais cuidado e respeito pelo seu corpo e pela sua vida.

Tia Célia

Célia Xavier Camargo 

beijinhos de paz...

16 de dez de 2012

Charlote de panetone


Ingredientes 

. 300 g panetone 
. 3 gemas 
. 1/4 de xícara (chá) de açúcar 
. 1/2 litro de leite 
. 1 colher (café) de essência de baunilha 
. 1 envelope de gelatina em pó incolor 
. 500 g de maçã 
. 3 colheres (sopa) de margarina 
. 6 cerejas em calda escorridas e picadas 
. 100 g de frutas cristalizadas 
. Cerejas e tirinhas de casca de laranja para decorar 
. Açúcar de confeiteiro para polvilhar

Modo de preparo

- Forre com filme plástico uma forma para charlotte de 18 cm de diâmetro. Reserve. 

- Fatie o panetone. Com as fatias, forre o fundo e as laterais da forma. Reserve. 

- Bata as gemas com duas colheres de açúcar. 

- Ferva o leite com a essência de baunilha e acrescente em fio, sem parar de mexer, nas gemas batidas.

- Cozinhe a mistura em banho-maria por dez minutos. 

- Prepare a gelatina de acordo com as instruções da embalagem e junte à mistura de gemas. Deixe esfriar um pouco. 

- Descasque e corte as maçãs em cubos pequenos. 

- Em uma panela, ponha a maçã, a margarina, o restante do açúcar e cozinhe em fogo brando por dez minutos. Deixe esfriar.

- No creme, acrescente a maçã, as cerejas, as frutas cristalizadas e despeje na forma reservada. Cubra com filme plástico e leve para gelar durante seis horas. 

- Desenforme, decore com cerejas e as tiras de casca de laranja. 

- Polvilhe o açúcar de confeiteiro e sirva.

Dica: faça esta sobremesa de véspera. 
Quanto mais gelada, mais gostosa


beijinhos natalinos

15 de dez de 2012

Papai Noel!


Papai Noel atual: como foi construída sua imagem

O Papai Noel que conhecemos hoje surgiu em 1823, com o lançamento de “Uma visita de São Nicolas”, de Clement C. Moore. Em seu livro, Moore descrevia São Nicolas como “um elfo gordo e alegre”. Quarenta anos mais tarde, Thomas Nast, um cartunista político criou uma imagem diferente do Papai Noel, que era modificada ano a ano para a capa da revista Harper’s Weekly. O Papai Noel criado por Nast era gordo e alegre, tinha barba branca e fumava um longo cachimbo.

Entre 1931 e 1964, Haddon Sundblom inventava uma nova imagem do Papai Noel a cada ano para propagandas da Coca-Cola, que eram veiculadas em todo o mundo na parte de traz da revista National Geografic. E é esta a imagem do Papai Noel que conhecemos hoje.


beijinhos natalinos

14 de dez de 2012

Rabanada


Ingredientes

· 3 pães franceses dormidos
· 500 ml de leite
· 6 colheres (sopa) de açúcar
· Uma pitada de sal
· 4 ovos
· Canela em pó a gosto
· Óleo

Modo de fazer

- Corte o pão em fatias não muito grossas. 
- Em seguida, bata as claras até ficarem firmes. 
- Misture as gemas e tempere com 2 colheres de açúcar e o sal. 
- Umedeça as fatias de pão no leite e passe no ovo. 
-Frite as rabanadas em óleo quente, dourando os dois lados e escorra. 
-Faça uma mistura do restante do açúcar com a canela e passe as rabanadas. 
_Está pronta a tradicional delícia._

13 de dez de 2012

A história do Papai Noel

Existem várias histórias que buscam mostrar como surgiu o Papai Noel, esta é uma delas...

O Papai Noel nem sempre foi como o conhecemos hoje. No início da história do Natal cristão, quem distribuía presentes durante festividades natalinas era uma pessoa real: São Nicolas. Ele vivia em lugar chamado Myra, hoje Turquia, há aproximadamente 300 anos AC. Após a morte de seus pais, Nicolas tornou-se padre.

As histórias contam que São Nicolas colocava sacos de ouro nas chaminés ou os jogava pela janela das casas. Os presentes de natal jogados pela janela caíam dentro de meias que estavam penduradas na lareira para secar. Daí a tradição natalina de pendurar meias junto à lareira para que o Papai Noel deixe pequenos presentinhos.

Alguns anos depois, São Nicolas tornou-se bispo e, por esse motivo, passou a vestir roupas e chapéu vermelhos e barba branca. Depois de sua morte, a Igreja nomeou-o santo e, com o início das celebrações de Natal, o velhinho de barba branca e roupas vermelhas passou a fazer parte das festividades de fim de ano.

beijinhos natalinos...

12 de dez de 2012

Bolo de panetone com recheio de coco e chocolate



Ingredientes

. 1 panetone de 500g
. ¼ de xícara (chá) de suco de laranja
. 1 embalagem de pó para pudim sabor chocolate
. 1 embalagem de pó para pudim sabor coco
. 500 ml de leite
. 2 latas de creme de leite sem soro
. Chantilly ou marshmallow a gosto para cobrir

Modo de preparo


- Retire a tampa do panetone. 
- Corte o panetone em três discos. Reserve. 
- Em uma panela, coloque a mistura para pudim de chocolate e 250ml de leite e leve ao fogo brando, mexendo sem parar até engrossar. 
- Desligue o fogo e misture uma lata de creme de leite. Reserve. 
- Em uma panela, coloque a mistura para pudim de coco e o restante do leite e leve ao fogo brando, mexendo sem parar até engrossar. 
- Desligue o fogo e misture a segunda lata de creme de leite. Reserve. 
- Monte o bolo em um aro com o mesmo diâmetro que os discos de panetone. 
- Coloque um disco de panetone, umedeça com o suco de laranja e coloque o recheio de creme de chocolate. 
- Por cima, coloque o segundo disco, também umedecido, recheie com o creme de coco e feche com o último disco de panetone. 
- Leve à geladeira até os recheios firmarem. 
- Retire o aro, cubra o bolo com chantili ou marshmallow e decore com raspas de chocolate.

Dica:
Com as sobras do panetone, faça torradinhas para servir com geleia. Fica uma delícia!


beijinhos de luz

25 de nov de 2012

Pais devem ter atenção ao sono da criança: roncos não são normais - A partir de 1 ano

A partir de 1 ano, roncos relacionados a adenoides ou amígdalas grandes começam a surgir. A adenoide cresce no fundo do nariz e não é possível enxergá-la a olho nu. Para seu diagnóstico, é necessário fazer endoscopias nasais (geralmente sondas bem fininhas) ou um raio X digital bem-feito. "É muito comum a criança com adenoides grandes ter também amígdalas grandes e isso causar paradas de respiração na criança, além do ronco", explica Ângela.

Outro fator relacionado ao ronco infantil e à apneia do sono é a rinite alérgica. Ela causa um inchaço na mucosa nasal, sinusites de repetição e respiração oral.

"Dizemos que no adulto é normal existir até cinco apneias (parada de respiração) por hora. Já na criança, nem uma apneia por hora é considerada normal", salienta a especialista.

O ser humano, quando nasce, é programado para usar o nariz para respirar e por isso, quando a criança começa a usar a boca para respirar e roncar enquanto dorme, observa-se o surgimento de problemas como mau hálito , infecções de garganta repetidas, rouquidão, piora de refluxo gastroesofágico. Nessas crianças, o uso da chupeta pode causar ou agravar problemas na arcada dentária e piorar o ronco.

"Sempre que houver ruídos respiratórios, roncos e apneias na criança, os pais devem informar o pediatra e o otorrinolaringologista/médico do sono para que seja realizado o diagnóstico e o correto tratamento do problema", finaliza ela.
Especialista em Medicina do Sono e Otorrinolaringologia, 
atua no Indaiatuba Day Hospital. Mestrado em Medicina do Sono. CRMSP 149513

beijinhos de paz...

A FOLHA E O VENTO


Vivia uma folhinha no alto da árvore em meio a muitas outras, sempre a se queixar de tudo e de todos. Queixava-se do sol; da chuva;  dos passarinhos que pousavam nos galhos e incomodavam o seu sono com o trinado: da poeira que irritava os seus olhinhos: do barulho das crianças brincando na sombra da árvore: enfim, era uma folha sempre insatisfeita. 

Um dia, o vento após escutar as suas lamúrias resolveu oferecer-lhe ajuda. 
_ Folhinha, falou-lhe com carinho, eu posso ajudá-la a acabar com a sua tristeza, você quer? 

- Claro que quero, respondeu-lhe sem nem perguntar de que maneira ele iria ajudá-la. 

Então, o vento soprou bem forte arrancando-a do galho onde ela repousava e foi arrastando-a pelo mundo afora. 

Levou-a a conhecer novos países, novos povos e costumes, rios, mares, animais de todas as espécies, pessoas lindas, e, quando não havia mais nada a ser visto o vento depositou a folhinha no continente mais gelado do mundo . 

Tremendo de frio e solidão ela perguntou-lhe: 
- Você vai me deixar aqui? 

_ Sim! você não queria emoções? aqui você as terá. 

Dito isto  o vento se despediu mas não pôde seguir a sua viagem de retorno pois a folhinha, de joelhos, suplicava para que ele a levasse de volta. 

Com dó da mesma o vento pegou-a pela mãozinha e a levou de volta ao galho onde ela vivia com as outras. 

Desde então a folhinha nunca mais queixou-se de coisa alguma e viveu feliz o resto dos seus dias junto às outras folhas.

Moral: A ambição quando é demais pode prejudicar!

soninha

beijinhos de luz...

24 de nov de 2012

Dor de ouvido em criança: saiba o que pode e o que deve ser feito


Limpeza do Ouvido

Os bastões de madeira ou plástico com algodão na ponta não são indicados para fazer a limpeza do ouvido. Basta imaginar uma rua sem saída. Se você tiver uma pedra dura de cera no ouvido e tentar removê-la com o bastão, estará empurrando essa "massa" até a "porta fechada" lá no fundo. 



Perfuração do tímpano com cotonete

Essa "porta" é o tímpano, que pode até vir a romper-se. Em caso de ouvido "entupido", somente um médico, com a instrumentação e iluminação adequadas, poderá fazer a remoção do excesso ou do bloco da cera.


A limpeza da parte mais externa da orelha (do popularmente chamado de "cascão") pode ser feita com a ponta de uma toalha molhada em um pouco de álcool. Esse procedimento deve ser realizado de 3 a 4 vezes por semana para limpar as "dobrinhas". No entanto, vale lembrar que um pouco de cera no canal do ouvido não faz mal, pois se trata de uma defesa fisiológica para proteção, e só deve ser retirada com auxílio médico em caso de excesso ou entupimento.



beijinhos de alegria...

O gatinho "bambam e o ratinho "timtim"



O gatinho "bambam", bonito e compenetrado, nunca deixava o ratinho "timtim" passear pela casa, quando todos dormiam, a fim de recolher migalhas para se alimentar. Por mais que o ratinho chorasse e lhe implorasse, ele se mantinha firme na sua atitude e o pobre do ratinho a passar fome.

Certo dia, todos da casa saíram e deixaram "bambam" amarrado com um barbante bem forte, a sua vasilha com água e outra com ração e a caixinha de areia onde ele pudesse alcançar.

Não lhe faltava nada mas "bambam" queria andar, correr, saltar e dar uma escapulida para a rua. Vendo o vexame do gatinho o ratinho se ofereceu para soltá-lo ao que ele respondeu:
- Você me soltar?? Como, se o nó está tão apertado... 
O ratinho não respondeu e, imediatamente se pôs a roer, com os seus dentinhos afiados, o nó do barbante que se desfez rapidinho deixando o gatinho livre.
Desde então, "bambam" não mais perseguiu " timtim" e até passou a dividir o seu alimento com ele. 
Moral: Melhor ter amigos do que inimigos!

soninha

beijinhos de paz...

23 de nov de 2012

Exemplo de Humildade


Há muito, muito tempo atrás, numa humilde e pequena estrebaria, alguns animais conversavam, trocando idéias sobre suas vidas. 

E o boi, muito manso, dizia com sua voz grave e pacienciosa: 


— Tudo o que fazemos é trabalhar de sol a sol. Puxo o arado revolvendo a terra para a semeadura, e conduzo a carroça com tranqüilidade e alegria executando meu trabalho sem reclamar. O senhor pode contar comigo, que estou sempre firme no serviço, mas jamais recebi uma única palavra de encorajamento. 

O cavalo, que ruminava num canto, concordou balançando a cabeça: 


— Também tenho dado o melhor de mim, levando o senhor para todo lado, caminhando grandes distâncias sob o sol abrasador, a chuva fria ou o frio inclemente. Mas, tenho recebido apenas o chicote no lombo como paga pelos meus serviços. 

O burrico levantou a cabeça, tristonho, e suspirou: 


— Tenho carregado cargas muito pesadas e nunca reclamei, nem me recusei a cumprir minhas tarefas, todavia nunca recebi uma ração extra em agradecimento pelos meus esforços. 

A vaca, que amamentava seu bezerrinho recém-nascido, ergueu os olhos grandes e úmidos e comentou: 


— Também eu tenho sentido na pele a ingratidão do homem. Não contente em tirar-me o leite com que alimenta seus filhos, não raro desagrega nossa família, matando-nos por prazer para alimentar-se de nossas carnes, utilizando-nos a pele para a confecção de calçados e roupas. 

A ovelhinha, que tudo ouvia em silêncio, e que de olhar sonhador observava através da porta, o céu de um azul profundo e limpo, recamado de estrelas, suspirou e disse com sua voz meiga: 


— Concordo que todos têm sua parcela de razão. Também eu não estou livre de maus tratos, embora colabore sempre com a minha lã para que o homem confeccione agasalhos com que se protege do frio. Mas sabem o que ouvi dizer outro dia? Que é aguardado um Messias com toda ansiedade. Dizem que ele virá do céu para amar os homens na Terra, e para conduzi-los ao regaço de Nosso Pai. 

E os animais, atentos e curiosos, sentindo uma esperança nova, pediam-lhe a uma só voz: 

— O que mais dizem desse Messias enviado por Deus? Conte-nos... conte-nos... 

E a ovelhinha, orgulhosa das suas informações, prosseguia: 

— Dizem também que ele dará a cada um segundo suas próprias obras. Por isso, tenhamos confiança em Deus que nunca nos desampara. 

Mais reconfortados e confiantes, os animais naquela noite sonharam com o Messias, que cada um imaginava conforme seus gostos e necessidades, e que seria o Salvador do Mundo. 


No dia seguinte viram que se aproximava, vindo pela estrada, um homem que conduzia um burrico, carregando uma jovem de belo e doce semblante. 

Como não tivessem conseguido alojamento para passarem a noite, contentaram-se com aquela humilde estrebaria. 

Pareciam exaustos da longa viagem e a jovem aguardava um filho para breve.

Com espanto, os animais viram o homem ajeitar as palhas, improvisando um leito para a jovem. 

Algumas horas depois nascia um lindo bebê, sob as vistas carinhosas e atentas dos animais. 


No céu uma grande estrela surgira, prenunciando um acontecimento incomum, e, rodeando a manjedoura, transformada em improvisado berço para o recém-nascido, os animais sentiram-se compensados por todo o sofrimento das suas vidas, conscientes da grande importância daquele acontecimento. 

E, na paz e quietude do ambiente singelo, reconheceram naquela criança o Messias, o Cristo de Deus, que nascera na Terra para ensinar o Amor, mas que preferira como testemunhas mudas do seu nascimento, não os homens, mas os humildes, laboriosos e dóceis animais da criação. 

Tia Célia

Célia Xavier Camargo 

22 de nov de 2012

Cereal Matinal


Você gosta de cereal?? Eu amo de montão, hummmm, e sabe como ele apareceu na nossa mesa?? eu li que foi bem assim: Os primeiros flocos de milho tostado surgiram no ano de 1884, pelas mãos do doutor John Harvey Kellogg, médico chefe de uma clínica de saúde na cidade de Battle Creek, nos Estados Unidos. Ele preparava cereais na própria clínica, pois queria oferecer uma alimentação mais saudável e balanceada a seus pacientes.
 Num dia, quando cozinhava trigo para produzir granola, deixou a massa tostar por acidente. Mas decidiu simplesmente continuar o processo e, para a sua surpresa, ao afinar a massa com rolos, ela se desfez em flocos. Surgia aí o princípio para a produção de cereais que levaria à criação dos flocos de milho.
 Com a adição de açúcar, a novidade caiu no gosto dos pacientes, da vizinhança, da cidade, e continuou se popularizando cada vez mais. Foi então que Will Keith Kellogg, irmão do doutor John, constrói uma fábrica para produzir o cereal, batizado como Toasted Corn Flakes. Era o ano de 1906 e o início da Kellogg's Company. 
Informação Nutricional porção de 30g
Valor calórico 114kcal 6
Carboidratos 26g 9
Proteínas 1.2g 2
Gorduras totais 0g 0
Gorduras saturadas 0g 0
Gordura Trans 0g 0
Fibra alimentar .6g 2
Cálcio 0mg 0
Ferro 3.4mg 24
Sódio 182mg 8
(*) Valores Diários de Referência com base em uma dieta de 2.000 calorias ou 8.400 Kj.
(**) Valor Não Estabelecido.
Ah! coma o cereal com leite quentinho, é uma delícia!!



beijinhos de luz... 

17 de nov de 2012

O VAGA-LUME AMBICIOSO


Viviam as estrelas lá no alto, no céu, brilhando como se fossem raros diamantes enquanto nas florestas vaga-lumes passeavam entre as copas das árvores. Um deles, vaidoso e ambicioso sonhava com uma vida diferente.


Então, ele falou aos demais: 
_Eu queria ser uma estrela para me juntar às outras e brilhar lá no alto onde todos pudessem me ver.

Os demais vaga-lumes olharam o amigo ambicioso e nada responderam.

Os dias se passaram e, numa noite escura em que as nuvens carregadas encobriram a luz da lua e das estrelas, destacou-se na escuridão o magnífico brilho dos incontáveis vaga-lumes que voavam para lá e para cá. 

Não só na floresta como nas ruas da cidade eles encantavam as pessoas com o seu brilho natural! Todos saíam das suas casas para ver o espetáculo e muitos aplaudiam.

O encanto durou apenas uma noite mas permaneceu inesquecível na mente e no coração de todas as pessoas que o assistiram.


Moral: Contentemo-nos com o que somos e façamos bem o que nos é destinado a fazermos!!

soninha

beijinhos de paz...

15 de nov de 2012

O PERIQUITO CURRUPACO


Era uma vez um periquito chamado Currupaco. Vivia em uma árvore muito alta e ele era conhecido como Currupaco porque lá de cima, além de falar muito, ele ficava debochando dos outros animais das redondezas.

Certo dia, Currupaco via a Dona Pata, esbaforida, espantando algumas moscas que estavam a atormentar:

- Saiam para lá, suas moscas , vão embora! Vocês estão atrapalhando o meu trabalho!

O periquito achou aquilo muito engraçado e começou a imitar a Dona Pata, brincando de sombra e repetindo tudo o que a pobre patinha falava:


- Pare de me imitar, seu periquito metido! - falava Dona Pata, sem nada adiantar, pois ele havia adorado a nova brincadeira.

As moscas foram embora e Currupaco, após se cansar também partiu.

O sábio babuino Roni, que era uma macaco muito inteligente, estava vendo tudo e resolveu falar com Currupaco:

- Meu amiguinho! Por que você faz isto com Dona Pata, e com todos os outros animais desta floresta? Eu estive observando que você debocha, ironiza, atrapalha a vida de todos. Não é assim que devemos agir!


Currupaco pouco se importou com o que o babuino falava, e também começou a imitá-lo. Roni se retirou, mas antes deixou uma mensagem:

- A amizade não se compra. Temos que conquistá-la com carinho e respeito. Assim você nunca terá amigos. E fez uma pergunta que deixou o periquito pensativo:

- Você tem amigos?

Depois de muito refletir, Currupaco se deu por conta de que o macaquinho tinha razão, pois até hoje ele não havia conquistado um amiguinho sequer.


- Primeira coisa, pensou consigo mesmo, vou pedir desculpas a quem eu magoei. Depois, vou tratar bem a todos os meus irmãozinhos animais, não repetindo os erros que eu cometi até então. E também vou ajudar a todos que precisam de auxílio.

Fazendo isso, em pouco tempo, Currupaco tinha a amizade de todos na região. E ele aprendeu que era muito mais feliz agindo assim, no bem e na caridade, do que maltratando os outros.

Camille Scholl

beijinhos de luz...

12 de nov de 2012

TRABALHAR COM ALEGRIA


José Antonio era o seu nome. Mas todos o chamavam de Zequinha.

Zequinha, que logo completaria oito anos, era um menino bom, porém tinha um hábito muito feio: não conseguia fazer nada sem reclamar.

A mãe, com muita paciência, tentava fazer com que o filho entendesse a necessidade de modificar seu comportamento, sem grande resultado.

Como eram espíritas, os pais se preocupavam com as atitudes de Zequinha, percebendo que, se continuasse assim, teria muitos problemas no futuro.

Um dia, a mãe lhe disse:

— Zequinha, sei que você gosta de brincar, o que é natural, pois é uma criança. Porém, todos nós precisamos colaborar, dando a nossa contribuição para o bem-estar da família. 

Jesus fica triste quando não estamos satisfeitos, pois na existência temos muito a agradecer a Deus, nosso Pai. Nada nos falta. Por isso, é preciso manter o otimismo e a alegria de viver nas atividades de cada dia, meu filho. 

— Entendeu, meu filho?

— Entendi, mamãe. 

O menino prometeu que procuraria ser diferente daquele dia em diante.

No dia seguinte, depois que Zequinha voltou da escola, a mãe deu-lhe uma tarefa: comprar sabão no supermercado da esquina, pois havia terminado. O garoto saiu resmungando.

Depois, a mãezinha pediu-lhe que arrumasse a mesa para o almoço. 
De má vontade, Zequinha obedeceu.

Não podendo sair, a mãe pediu-lhe o favor de levar o irmão menor para a escola. Mais tarde, deu-lhe a incumbência de enxugar a louça e varrer o quintal. Sempre reclamando, Zequinha obedeceu.

À noite, na hora do Evangelho no Lar, a mãe perguntou se Zequinha tinha cumprido todas as suas obrigações daquele dia.

— Sim, mamãe. Fiz tudo o que a senhora mandou. Jesus deve estar contente comigo hoje. 

A senhora balançou a cabeça, afirmando:

— Não, meu filho. Ainda falta alguma coisa.

Zequinha pensou... pensou... pensou... mas não conseguiu descobrir 
o que era que tinha deixado de fazer.

— Ora, mamãe, a senhora deve estar enganada. Executei todas as tarefas que me foram pedidas.

E, contando nos dedos, relacionou todas as atividades do dia:

— Fui à escola, ao supermercado, arrumei a mesa para o almoço, levei meu irmãozinho para a pré-escola, varri o quintal e enxuguei a louça. Puxa! Trabalhei o dia inteiro! — reclamou o menino, descontente.

— Mas ainda falta uma coisa, meu filho.

— Qual, mamãe?

— Se você fez tudo o que lhe foi pedido, ainda falta ter executado as tarefas com alegria.

Somente então Zequinha lembrou-se do que havia prometido no dia anterior.

Abaixou a cabeça, reconhecendo que a mãe tinha razão. 

Com ternura, ela acariciou seus cabelos, e disse:

— Não tem importância, meu filho. Amanhã será um outro dia. Deus nos concederá novas oportunidades para que possamos nos corrigir, praticando o que aprendemos.

Tia Célia

Célia Xavier Camargo 

** E você, ajuda a mamãe resmungando ou com alegria?

beijinhos de luz...

Não dê armas às crianças!!

Não dê armas às crianças!!