Estamos de volta!!

Estamos de volta!!
O Inverno Chegou...

1 de jun de 2012

A LAGARTIXA VIVI E O SAPO CURURU

No reino dos animais viviam todos em harmonia, ajudavam-se entre si, cuidavam uns dos outros e nenhum deles se aborrecia. Apenas a lagartixa vivi se comportava de maneira diferente. 

Era invejosa, má, vaidosa, não gostava de cooperar nas tarefas do Reino e vivia a colocar apelidos nos outros animais. 

Certa vez ela implicou com o sapo de tal maneira que a Rainha Mãe dos animais, dona leoa, teve que chamá-la a atenção e deu-lhe uma bela de uma reprimenda. Mas a vivi não se incomodou nem um pouquinho e continuou a perturbar o sapo onde quer que ele estivesse.
Certo dia o cururu se aquecia ao sol, sobre uma pedra dentro da lagoa, aparece-lhe a lagartixa que começa: 

_ Ei seu feioso! que é que você está fazendo aí? pensa que vai ficar moreninho é? Você não tem jeito não, será sempre um feioso. 

O sapo ouvindo as ofensas fez cara feia, resmungou  baixinho e se controlou para não pular sobre a vivi e esmagá-la. 

A lagartixa pensando que ele não estava escutando elevou o tom de voz e criou novas ofensas:

 _ Responda seu cascudão horroroso! não é macho não!? O sapo irritado lhe disse: 

- Um dia eu lhe mostro se sou ou não sou macho, sua lambisgoia chata.
 _ Lambisgoia é dona sapa, a sua esposa! retrucou a lagartixa, acrescentando: - vocês vivem nesta lagoa horrorosa, não assistem TV, não conhecem ar condicionado, não sabem o que é um delicioso sofá nem uma casa limpinha. Eu sim, sei o que é isto tudo pois vivo dentro de uma mansão. 

- Até o dia que te descobrirem e te enxotarem com a vassoura, respondeu o sapo.

_ Qual nada! eu sei me esconder bem escondidinha, falou a vivi, soltando risadinhas de gozação para o sapo e se retirando da beira da lagoa. 

Os dias se passaram e, uma bela tarde enquanto vivi passeava perto da lagoa, escorregou caindo dentro da mesma.A lagartixinha aflita por não saber nadar e com medo de afogar-se começou a gritar por socorro:

 _ Socorro! socorro! alguém me acuda por favor! não quero morrer!! 

O sapo cururu que cochilava ao sol sobre uma das suas pedras favoritas, escutando os gritos da lagartixa, mais que depressa pulou na água e foi socorrê-la. Aproximou-se dela, orientou para que ela subisse nas suas costas que ele a levaria para a margem da lagoa. 

Vendo que não tinha outra alternativa, ou subia no sapo que ela tanto maltratava com as suas palavras ou morreria afogada na lagoa que era a casa dele, a vivi, envergonhada, agarrou-se às suas costas e foi, por ele, levada até a margem. 

Ao descer das costas do sapo, ela baixou a cabeça e pediu desculpas, muito envergonhada mesmo! 

O cururu apenas lhe disse:

 -Eu não lhe falei que um dia eu lhe mostraria se sou ou não sou macho?! E agora, ainda duvida de mim?!  

_Não cururu, claro que não! De agora em diante eu quero é a sua amizade, pode ser?

 - Claro que pode! eu sou amigo de todos daqui do Reino, só você que não me via com bons olhos.

 _ Eu lhe prometo sapinho! eu lhe prometo que, de hoje em diante, não implicarei mais com você. 

A partir de então a lagartixa vivi e o sapo cururu se tornaram bons amigos passando horas e horas a brincar e conversar enquanto trabalhavam no Reino. 

O exemplo da lagartixa vivi jamais deve ser seguido por nós! 

Não precisamos esperar que algo ruim nos aconteça e que alguém nos socorra para sermos amigos. 

A amizade deve ser espontânea, sincera e desinteressada e o respeito ao outro é essencial na nossa vida.
soninha 
beijinhos de luz!
Postar um comentário

Não dê armas às crianças!!

Não dê armas às crianças!!