Estamos de volta!!

Estamos de volta!!
O Inverno Chegou...

7 de nov de 2013

*A formiguinha e a cobra *


A formiguinha "bimbinha" adormecera debaixo da grande copa do umbuzeiro, numa sombra enorme de fazer gosto, quando, de repente, sentiu algo tocando-lhe o rostinho; era algo úmido e muito frio. 

Indiferente ao toque ela se espreguiçou longamente, esticando as suas perninhas até sentir que todo o seu corpinho havia se alongado e estava bem mais confortável. 


Bocejou, abriu os olhinhos e viu a causa daquele toque estranho no seu rostinho. 

Era dona cobra que, enroscada num dos galhos mais baixos do umbuzeiro, havia se esticado até conseguir lamber o seu rostinho com a sua língua fria e pegajosa.

Assustada e temerosa, "bimbinha" não deixou que a cobra notasse o seu medo, fingindo ser sua amiga e bastante corajosa. 

Vendo que a cobra olhava-a dentro dos seus olhinhos como se desejasse devorá-la, a formiguinha disse-lhe: 

*língua da cobra*

_Olá! dona cobra, a senhora deseja falar comigo ou estava apenas a acariciar-me? 

- Desejo sim formiguinha, desejo sim, respondeu dona cobra sibilando. 

_Pode falar dona cobra e muito obrigada pelo carinho,disse "bimbinha" enquanto esfregava as mãozinhas atrás das costas, para que a cobra não a visse tiritando de medo.

A cobra jajá pigarreou, soltou um longo suspiro e lhe falou: 

- Formiguinha, formiguinha, a sua vida hoje foi salva por um triz.

 _Por um triz dona "jajá" ? exclamou "bimbinha", sem compreender.

 - Sim formiguinha, eu ia lhe devorar quando você se espreguiçou então resolvi conversar para lhe dar um aviso. 

_Oh! dona "jajá", muito obrigada pela consideração de ter poupado a minha vida.Pode falar! Estou lhe escutando e pode me chamar pelo meu nome: "bimbinha", somos amigas não somos? 

A cobra "jajá" ignorou a pergunta de "bimbinha" sobre serem amigas e lhe disse:

- Sabe formiguinha, esta área ao redor do umbuzeiro pertence a minha família. Olhe para cima e veja quantas de nós moramos aqui.

*cobra na árvore*

"Bimbinha" deitou-se de barriga para cima, olhando com bastante atenção para o alto do umbuzeiro e qual não foi o seu espanto quando seus olhinhos se depararam com milhares de pares de olhos das cobras que ali viviam.

 _Puxa dona "jajá", a sua família é bem grande!! falou "bimbinha" dando uma risadinha para a cobra, perguntando-lhe: 

_É bom ter família grande assim com todos morando em um só lugar dona "jajá"? 

- É sim formiguinha, respondeu a cobra, nós nos amamos e nos respeitamos muito e vivemos muito unidas. 

*cobras*

_Que bom, disse "bimbinha". Agora que eu  já conheci a sua família dona cobra é só isso que a senhora deseja falar-me?

 - Não formiguinha, eu desejo lhe falar que esta área nos pertence e não permitimos que nenhum outro animal ocupe-a nem mesmo para tirar um simples cochilo debaixo do umbuzeiro.

 _Oh! dona "jajá", mil perdões pois eu não sabia. 

- Eu sei que você não sabia formiguinha, porque no dia em que dei o aviso você não estava entre nós e foi por isto que lhe poupei a vida. Não seria justo eu lhe devorar por você ter feito algo que me desagradou mas que você não sabia. 

De agora em diante estás sabendo não é mesmo formiguinha?? Não quero ver nem você nem alguma outra das suas amigas formiguinhas dormitando debaixo do nosso umbuzeiro, subindo pelos seus galhos nem construindo formigueiros na sua área. 

*formiguinhas*

_Está certo dona cobra, nós respeitaremos a sua área e o seu desejo, ficaremos bem distante.

Desde então as formiguinhas nunca mais se aproximaram do umbuzeiro que, segundo a dona cobra pertencia a sua família. 

*trabalhador usando a motosserra*

Numa certa manhã ensolarada ouviu-se um alvoroço na área do umbuzeiro e todos os animais correram para ver o que estava acontecendo. 

Era o senhor que havia mandado os empregados derrubar o umbuzeiro com a motosserra e,quando eles começaram o trabalho as cobras assustadas tentaram reagir mas os homens não entendiam a sua linguagem e, quando elas investiam contra eles, eles a matavam com a motosserra. 

As poucas que sobreviveram tiveram que rastejar rapidinho em busca de esconderijos em outros cantos da fazenda. 

O pedaço da árvore que sobrou foi tão pequeno que não dava sequer para uma só cobra utilizar como esconderijo. Era um toco! 


*toco de árvore*

As formiguinhas tagarelas e brejeiras aproveitaram o toco para brincarem subindo e descendo nele, construíram um belo formigueiro debaixo dele e viveram ali, felizes, por muitos e muitos anos.

"Bimbinha" passou muitos dias procurando pela cobra "jajá" mas nunca a encontrou e às vezes suas amiguinhas encontravam-na conversando com os passarinhos, perguntando pra eles se eles tinham visto a cobra "jajá"?

*formiguinha fala com o passarinho*

Mas os passarinhos também não sabiam onde "jajá" se encontrava...

E as cobras vivem, até hoje, rastejando sempre em busca de um local onde se esconderem.

*soninha*


*umbu, fruto do umbuzeiro*

beijinhos de alegria...
Postar um comentário

Não dê armas às crianças!!

Não dê armas às crianças!!