Estamos de volta!!

Estamos de volta!!
O Inverno Chegou...

2 de abr de 2011

Uma Menina Diferente


UMA MENINA DIFERENTE


Marcelinha nasceu no seio de uma família pobre que vivia numa roça um pouco distante da cidade. Ali se plantava alguns legumes e frutas,feijão de corda,raízes como aipim e batata doce e,se Deus ajudasse com um pouco de chuva ,colhiam belos tomates,pimentões e fartura de tempero verde.

As galinhas comiam as sobras da família e um pouco de milho triturado que seu Joaquim comprava na quitanda do povoado onde ele ía de quinze e em quinze dias buscar uns mimos para a família.Ele trocava ovos por: rapadura,querosene para os fifós,balas de hortelã,velas,sabonete com cheirinho de flores e água de cheiro para a sua véia Naná.

Muitos ovos eram recolhidos dos ninhos mas somente a metade era destinada à alimentação da família, e a troca na quitanda e o restante era chocado pelas galinhas,surgindo novos pintinhos que alegravam o terreiro da casinha humilde com os seus piadinhos: piu...piu...piu...piu...piu...piu...

A menina nasceu num tempo de fartura e nela foi crecendo até que dona Naná e seu Joaquim notaram que ela era diferente.Não conversava,não se interessava por coisa alguma,vivia quietinha no seu canto e somente um aro velho girando no terreiro lhe despertava àtenção.

Assim viveu alguns anos com a sua família,não foi para a escola nem brincou com as crianças da roça vizinha. Quando ela estava com dezesseis aninhos apresentou um febrão e Papai do Céu mandou lhe buscar para ir morar lá no céu de onde olhava por seus pais velhinhos,falando para a nuvenzinha azul:

- Olha lá nuvenzinha,os meus velhinhos e amados pais.Foram eles quem cuidaram de mim com muito amor e nunca se aborreceram com a minha doença de não querer participar das coisas que todas as outras pessoas faziam.

A nuvenzinha azul sorria e piscava o olhinho pois ela sabia que Marcelinha havia sido uma criança autista e por isto assim se comportara.

Lá no roçado seu Joaquim e dona Naná continuavam na labuta e,vez por outra,choravam com saudades daquela filha "diferente" mas muito especial, que Deus enviara para alegrar as suas vidas  e que havia levado de volta tão cedo,deixando um grande vazio naquele lar cheio de amor.

Quem conheceu Marcelinha guarda boas lembranças de um sorriso que,de vez em quando,escapulia de lá de dentro dela tornando o seu rosto iluminado qual o rostinho de um anjo.


bjs,soninha

Postar um comentário

Não dê armas às crianças!!

Não dê armas às crianças!!