Estamos de volta!!

Estamos de volta!!
O Inverno Chegou...

11 de ago de 2012

A Espada do Rei Alfredo


O rei Alfredo era muito austero não permitindo que a princesinha Milena saísse sozinha com a sua mãe a rainha Mafalda nem realizava festas no castelo para que elas se distraíssem e a princesa pudesse conhecer algum rapaz bonito e honrado para casar-se, no futuro.

Certo dia a rainha lhe perguntou:

- Majestade, quando a nossa filha será apresentada à sociedade para que possa conhecer o rapaz que venha a ser o seu futuro marido?

- Não sei, vou pensar no assunto. Respondeu,secamente,o rei.

Vendo que a rainha estava preocupada em casar a princesa e não sabendo como impedir que isto acontecesse pois ele achava que rapaz algum estava à altura da sua filha, tramou um plano para evitar que isto pudesse acontecer.

Chamou o seu mais fiel escudeiro, Agamenon, ordenando-lhe que espalhasse a notícia do desaparecimento de uma das suas espadas e aquele que a encontrasse teria a mão da rainha Milena como esposa.

A notícia foi espalhada e os homens solteiros se enveredaram pelas matas e todos tipos de lugares em busca da espada perdida do rei, que se encontrava escondidinha numa escavação num dos diversos corredores subterrâneos secretos, do castelo. Quando o rei pensou em escondê-la, este foi o primeiro lugar que lhe veio à mente pois se tratava de um local onde apenas ele passava ao se dirigir à Biblioteca Real.

O tempo passava e nada da espada aparecer. A rainha cobrava uma alternativa para por um fim ao tormento de ver a filha chegando para a idade de casar e nada acontecer, quando numa tarde de muito calor em que Sua Majestade lia na Biblioteca Real enquanto degustava um saboroso vinho de uvas frescas,sentindo saudades da sua espada dirigiu-se ao esconderijo, tomando-a nas mãos, colocou-a na cintura ,indo para o bosque nas vizinhanças da biblioteca, deitou-se num banco sob uma frondosa árvore a fim de admirar o céu e os pássaros que por ali voavam. 

Adormeceu profundamente!

A rainha preocupada com a sua demora pediu a Agamenon que fosse procurá-lo na Biblioteca Real ao que o escudeiro atendeu imediatamente. Não o encontrando ali dirigiu-se ao bosque onde foi encontrá-lo adormecido no banco com uma espada diferente daquela que ele usava no seu dia-a-dia, sobre o seu corpo .

Será esta a espada que a majestade disse-me estar desaparecida? perguntou-se o escudeiro. Deve ser pois ele usa uma outra cravejada de brilhantes e esta possui apenas um rubi. Vou escondê-la e aguardar os fatos, disse para si mesmo. 

Rapidamente o escudeiro pegou a espada colocando-a no topo da árvore, em seguida carregou o rei nos seus braços levando-o adormecido até o castelo onde o deitou no leito e voltou ao bosque a fim de pegar a espada e levá-la cuidadosamente para a sua casa depositando-a sob o seu colchão.

Dormindo profundamente o rei passou o final da tarde e a noite.Pela manhã, bem cedinho, ao despertar ele se deu conta de estar nos aposentos reais porém a sua espada não estava nem na sua cintura nem por perto dele. Onde estaria? O que teria acontecido?

- Rainha! Gritou com aflição. Venha cá imediatamente!

- O que aconteceu majestade?! Perguntou a rainha ,apreensiva.Alguma coisa grave?

- Como eu vim parar aqui se estava descansando no bosque perto da Biblioteca?

- Ah! meu senhor marido! O senhor demorava para retornar então pedi ao escudeiro Agamenon que fosse buscá-lo ao que ele prontamente atendeu, trazendo-o adormecido nos braços e colocando-o com zelo no nosso leito.

- De cabeça baixa o rei pensava:

- E agora? Não posso perguntar ao escudeiro pela espada senão ele notará que foi uma farsa inventada por mim quando anunciei que a havia perdido. Vou esperar para ver o que acontece, resmungou baixinho.

- Passaram-se alguns meses e nenhuma novidade no Reino. O Rei esperava Agamenon se trair revelando ter ficado com a espada enquanto o escudeiro ansioso também aguardava por um descuido qualquer do rei admitindo haver mentido quando espalhou a notícia do desaparecimento de uma das suas espadas.

Uma manhã o escudeiro Agamenon despertou e falou para si mesmo:

- Jogarei com a sorte hoje e descobrirei se a espada que tenho na minha casa é a mesma que o rei disse haver desaparecido; só assim poderei realizar o meu grande sonho de ter a princesa Milena como esposa. Dirigiu-se ao rei comunicando-lhe:

- Majestade, a vossa espada foi encontrada.

- Quem a encontrou? 
Questionou o rei , pensando já saber a resposta.

- Quem a encontrou foi o mendigo caolho e maluco, que vagava pelo bosque e a viu brilhando perto do lago,segundo ele me disse, respondeu o escudeiro com alegria pois havia descoberto a mentira do rei. Eu o encontrei com ela e tomei-a a fim de mostrá-la ao senhor que poderá identificar se é mesmo a sua . 

Veja! disse o escudeiro ao tempo em que a empunhava para que o rei a visse.

- Não vê então que só pode ser a minha, bradou o rei. Quem mais possui espadas assim senão o rei? Vocês escudeiros não têm espadas e sim um brinquedinho na cintura.As minhas sim,são verdadeiras espadas! E agora, terei que dar a minha filha a este pobre coitado?!

Agamenon surpreso e feliz com a certeza de estar com a suposta espada desaparecida respondeu de imediato:

- Não majestade! Finjamos que fui eu quem a encontrou e assim a vossa filha terá um marido honesto, trabalhador e inteligente.

- O rei olhou firme para o escudeiro respondendo-lhe:

- Tudo bem! Tudo bem! Vamos comunicar à rainha e à princesa para planejarmos os festejos de noivado e casamento. Dito isto liberou o escudeiro e falou com os seus botões:

- Pelo menos a minha filha terá um marido esperto e inteligente, deu uma risadinha e foi ao encontro da sua família, muito feliz por ter encontrado um homem discreto astuto e inteligente para cuidar da sua filha.

Ah! sabe porque o rei não tentou desmascarar o escudeiro?

Hummmmmmm!!!

Por isto mesmo!! 
Ele, também, não queria ser desmascarado.

Lembrem-se sempre que a mentira tem pernas curtas e até mesmo as mentiras de um rei podem ser descobertas...rs!!

bjs,soninha

Postar um comentário

Não dê armas às crianças!!

Não dê armas às crianças!!