Estamos de volta!!

Estamos de volta!!
São João está chegando...

25 de abr de 2016

Gentileza Gera Gentileza


Passe adiante...

beijinhos de alegria!

As Boas Ações São Contagiosas


Assim que deve ser!

beijinhos de paz!

Crianças praticam boa ação e visitam lar de idosos em Joinville


Maravilhoso!!

beijinhos de alegria

Dia Mundial da Boa Ação


beijinhos de paz!

Dia Mundial da Boa Ação


O que é uma Boa Ação?!

Vejamos algumas boas ações:

- Ajudar uma pessoa cega a encontrar o ônibus que irá para o seu bairro

- Ajudar um idoso ou um deficiente a atravessar uma rua 

- Doar roupas, mesmo que usadas, aos mais necessitados

- Promover campanhas para arrecadar mantimentos (comidas)para pessoas pobres.

- Ficar em silêncio quando todos estão exaltados

- Visitar um asilo de idosos e orfanato de crianças.

- Manter seu quarto arrumado e os brinquedos nos seus lugares.

- Ajudar a mamãe quando ela estiver muito atarefada.

- Ajudar o coleguinha a fazer o dever se ele estiver com dificuldades.

Ah! São tantas....

beijinhos de luz!!

24 de abr de 2016

Boa Noite!


beijinhos de alegria...

Recadinho!


beijinhos de paz!

João e Maria


beijinhos de luz!

22 de abr de 2016

Cantando a História do Brasil para Crianças


Lindinho!

Descobrimento do Brasil: Animação


beijinhos de paz!

Homenagem ao Dia Internacional do Planeta Terra:Imagens Aéreas


beijinhos de luz!

Planeta Terra visto da Estação Espacial Internacional


Beleza!

beijinhos de luz!

Planeta Terra: Pantanal!


Lindo!

Descobrimento do Brasil


beijinhos de luz...

E assim aconteceu...


Desconheço o autor!

beijinhos de luz!

Dia Internacional do Planeta Terra



"O Dia Internacional da Mãe Terra é uma chance de reafirmar nossa responsabilidade coletiva para promover a harmonia com a natureza em um tempo em que nosso planeta está sob ameaça da mudança climática, exploração insustentável dos recursos naturais e outros problemas causados pelo homem. Quando nós ameaçamos nosso planeta, minamos nossa própria casa - e nossa sobrevivência no futuro", diz mensagem do secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon.

O guia turístico Roch Hart registrou uma tempestade elétrica em Albuquerque, no Estado americano do Novo México. A fotografia é resultado de uma exposição de 11 minutos
Contudo, a história dessa comemoração é bem mais antiga. O primeiro Dia Nacional da Terra ocorreu em meio ao movimento hippie americano, em 1970. Se por um lado a música e os jovens eram engajados, de outro os americanos viviam com seus carros com motor V8 e a indústria despejando produtos poluidores com pouco medo de represálias legais.

O fotógrafo americano Octavio Aburto levou três anos para conseguir fazer esta imagem, na qual um cardume parece posar para uma foto. O mergulhador na imagem é David Castro, que trabalha no Parque Nacional Cabo Pulmo, no México
Essa estranha paisagem é composta de árvores cobertas de neve e a aurora boreal. O registro foi feito por Tiina Tormanen, na Finlândia, a uma temperatura de -20°C Foto: / The Grosby Group
A ideia de uma data para marcar a luta pelo ambiente veio do senador Gaylord Nelson, após este ver a destruição causada por um grande vazamento de óleo na Califórnia, em 1969. Ele recebeu o apoio do congressista republicano conservador Pete McCloskey e recrutou o estudante de Harvard Denis Hayes como coordenador da campanha.

Javier Parrilla Perez flagrou um momento em que uma ave exagerou na gula e quase não conseguiu engolir a presa: Foto: The Grosby Group

No dia 22 de abril, 20 milhões de pessoas nos Estados Unidos saíram às ruas para protestar em favor de um planeta mais saudável e sustentável. Milhares de escolas e universidades organizaram manifestações contra a deterioração do ambiente e engrossaram os grupos ambientalistas. Foi um raro momento que juntou até mesmo democratas e republicanos. 

O russo Vadim Trunov fez uma série de registros que mostram como os insetos e outros pequenos animais enfrentam a chuva: Foto: The Grosby Group
O fotógrafo Horst Jegen precisou de uma câmera, dois flashes, uma tenda camuflada e horas de espera para registrar o momento em que uma mãe coruja chega ao ninho para alimentar os filhotes:Foto: The Grosby Group
Um crocodilo-do-Nilo de 3 metros de comprimento encara de frente duas leoas que alimentavam seus filhotes com uma presa recém abatida. O enorme réptil se deu melhor e colocou as leoas para correr:Foto: The Grosby Group
O resultado prático foi a criação da Agência de Proteção Ambiental dos Estados Unidos e dos atos do Ar Limpo, Água Limpa e das Espécies Ameaçadas. "Foi uma aposta", lembra o senador, "mas funcionou."

Com informações da Earth Day Network.
Veja mais imagens belíssimas 

Descobrimento do Brasil




Ainda hoje, a data de 22 de abril é marcada oficialmente como o dia em que a Coroa Portuguesa anunciou o descobrimento das terras brasileiras. Durante muito tempo, esse evento de dimensões históricas foi interpretado como o resultado de uma aventura realizada por corajosos homens do mar que se lançaram ao desconhecido e encontraram uma nova terra. Contudo, apesar de empolgante, existem outras questões por trás dessa versão da história que marcou o ano de 1500.

Mesmo antes de chegar ao Brasil, a Coroa Portuguesa estava inserida em uma acirrada disputa econômica onde os estados nacionais europeus disputavam a expansão de suas atividades mercantis. Dessa forma, cada avanço tecnológico, terra conquistada ou rota descoberta tornava-se um precioso “segredo de Estado”. Antes de sair anunciando uma conquista aos quatro ventos, os governantes daquela época avaliavam minuciosamente os interesses e circunstâncias que envolviam esse tipo de exposição.

Uma das primeiras pistas que nos indicam esse tipo de planejamento envolvendo o descobrimento do Brasil se deu quando Portugal exigiu a anulação da Bula Inter Coetera e a assinatura do Tratado de Tordesilhas. Afinal de contas, por que os portugueses repentinamente chegaram à conclusão de que uma nova divisão das terras coloniais deveria ser realizada? De fato, essa é uma das muitas outras questões que fazem a versão romântica do descobrimento cair por terra.

Quando chegamos em 1500, o rei português Dom Manuel I autorizou que o navegante Pedro Álvares Cabral organizasse uma esquadra que, segundo consta, deveria aportar na Índia. Para tal propósito foi designada o uso de oito naus, três caravelas, um navio de mantimentos e uma caravela mercante. Além disso, foram convocados aproximadamente 1500 homens, incluindo capitães, tripulantes, soldados e autoridades religiosas.

Entre esses vários participantes da viagem marítima estava o cosmógrafo Duarte Pacheco da Costa, que, segundo aponta alguns historiadores, tinha participado de uma expedição secreta que já havia chegado ao Brasil no ano de 1498. Além disso, um ano após essa sigilosa viagem, outros indícios apontam que os navegadores Américo Vespúcio e Vicente Pinzón também fizeram uma breve visita ao Brasil. Mais uma vez, fica difícil acreditar que os portugueses não sabiam o que estavam fazendo.

Para celebrar a partida de Pedro Álvares Cabral e seus experientes auxiliares para essa viagem ao Oriente, o rei organizou uma enorme festa de comemoração que contou com a presença de espiões de outras nações mercantis da Europa. Dessa forma, nada poderia levar a crer que os dirigentes portugueses tinham outro plano, senão, circunavegar a costa africana e – assim como Vasco da Gama – realizar um novo contato comercial com os indianos.

Contudo, mesmo estando muito bem amparada, a esquadra de Cabral “repentinamente” seguiu uma rota marítima completamente inesperada. As embarcações tomaram distância da costa africana e realizaram uma passagem pela ilha atlântica de Cabo Verde. Depois disso, seguiram uma viagem tranquila que percorreu 3600 quilômetros a oeste. Passados exatos trinta dias da passagem por Cabo Verde, os navegantes portugueses avistaram o famoso Monte Pascoal.

Chegando ao território brasileiro, inicialmente chamado de “Vera Cruz”, o escrivão oficial, Pero Vaz de Caminha, se pôs a tecer um relato sobre as terras, mas sem citar nenhum tipo de surpresa por parte de seus companheiros. Depois do reconhecimento das terras, Pedro Álvares Cabral não fez questão de contar pessoalmente sobre a presença de “novas terras” a oeste. Ao invés disso, partiu para a Índia e mandou o navegante Gaspar Lemos oficializar a descoberta levando a carta de Pero Vaz ao rei.

Apesar de tantas evidências justificarem a ação premeditada dos portugueses, não podemos deixar de salientar que o enfrentamento dos mares era uma tarefa de grande peso. As más condições de higiene, a falta de água e alimentos tornava a viagem um admirável desafio. Além disso, só depois da oficialização feita em 1500 é que se vivenciaram os tantos outros episódios que, ao longo dos séculos, explica a peculiar formação da nação brasileira.

Por Rainer Sousa
Mestre em História

21 de abr de 2016

Tiradentes


No dia 21 de abril é comemorado no Brasil o Dia de Tiradentes, uma data criada para homenagear Joaquim José da Silva Xavier, um ativista político que se transformou em herói nacional.

A história de Tiradentes está totalmente relacionada à Inconfidência Mineira, um movimento ocorrido nos séculos XVII e XVIII que tinha como objetivo a separação do Brasil do domínio de Portugal. Naquela época, o Brasil proporcionava grandes lucros aos portugueses por meio de suas riquezas minerais, isto é, ouro e diamantes. Contudo, estas riquezas estavam começando a se tornar escassas. Além disso, muitos não pagavam o quinto, uma espécie de imposto cobrado pela coroa sobre todo o ouro encontrado na colônia. Desta forma, o lucro de Portugal começou a cair. Reagindo a esta situação, os portugueses passaram a exercer um controle mais rígido sobre as riquezas e a aumentar os impostos. Tais medidas desagradaram a elite de Minas Gerais, que estava significativamente influenciada pelas ideias iluministas importadas da Europa.

Assim, se iniciou um movimento separatista no Brasil: a Inconfidência Mineira. A maioria dos inconfidentes eram homens ricos e cultos, com exceção de Tiradentes, um militar. O nome “Tiradentes” provém do fato de Joaquim José da Silva Xavier também exercer a função de dentista.

O movimento não teve sucesso e os inconfidentes foram presos. Tiradentes ficou preso por três anos, esperando seu julgamento. Todos os outros homens envolvidos na Inconfidência Mineira escaparam de uma pena maior, já que possuíam muitos bens; a maioria optou pelo exílio. Apenas Tiradentes foi condenado à pior das punições: em 21 de abril de 1792, foi enforcado e esquartejado.

O reconhecimento da bravura de Tiradentes só se deu em 1890. Atualmente, Tiradentes é considerado Patrono Cívico do Brasil.

19 de abr de 2016

Criação das Estrelas

 


Algumas índias foram colher milho para fazer pão para seus maridos. 

Um indiozinho seguiu a mãe e, ao vê-las fazendo pão, roubou um monte de milho. 

Chamou seus amigos e foram pedir para a avó fazer pão para eles também. 

As mães, sentindo a falta do milho, começaram a procurá-lo. 

Os meninos, depois que comeram o pão, resolveram fugir para o mato. 

Para que a avó não contasse o que tinham feito, cortaram-lhe a língua. 

Então chamaram o colibri e pediram para que amarrasse lá no céu o maior cipó que encontrasse e começaram a subir. 

As mães perceberam que as crianças não estavam na tribo. 

Desesperadas, perguntaram para a avó o que tinha acontecido, mas essa não podia responder. 

Então , uma das mães olhou para o céu e viu os meninos subindo pelo cipó. 

As mães correram e imploraram para que voltassem , mas os meninos não obedeceram. 

Então, elas decidiram subir no cipó também. 

Mas os indiozinhos cortaram-no e as mães caíram transformando-se em animais selvagens. 

Os meninos malvados, como castigo, tiveram que olhar fixamente todas as noites para a terra, para ver o que aconteceu com suas mães. 

Seus olhos sempre abertos são as estrelas.


*Desconheço o Autor*

beijinhos de paz!!

A Lenda do Guaraná


Um casal de índios pertencente a tribo Maués, viviam juntos por muitos anos sem ter filhos mas desejavam muito ser pais. 

Um dia eles pediram a Tupã para dar a eles uma criança para completar aquela felicidade. 

Tupã, o rei dos deuses, sabendo que o casal era cheio de bondade, lhes atendeu o desejo trazendo a eles um lindo menino. 

 O tempo passou rapidamente e o menino cresceu bonito, generoso e bom. 

 No entanto, Jurupari , o deus da escuridão, sentia uma extrema inveja do menino e da paz e felicidade que ele transmitia, e decidiu ceifar aquela vida em flor. 

 Um dia , o menino foi coletar frutos na floresta e Jurupari se aproveitou da ocasião para lançar sua vingança. 

Ele se transformou em uma serpente venenosa e mordeu o menino, matando-o instantaneamente.

 A triste notícia se espalhou rapidamente. 

Neste momento, trovões ecoaram e fortes relâmpagos caíram pela aldeia. 

A mãe, que chorava em desespero, entendeu que os trovões eram uma mensagem de Tupã, dizendo que ela deveria plantar os olhos da criança e que deles uma nova planta cresceria dando saborosos frutos. 

 Os índios obedeceram aos pedidos da mãe e plantaram os olhos do menino. 

 Neste lugar cresceu o guaraná, cujas sementes são negras, cada uma com um arilo em seu redor, imitando os olhos humanos.

*Desconheço o autor*

beijinhos de luz..

Menino Poti



Lá na mata, vive o menino Poti.

Ele vive numa oca, lá na taba.

Poti é bonito, com pena de tucano no peito.

O menino Poti vai de canoa pela mata. A canoa leva o pote. O pote leva banana.

Poti vê o tatu e a cutia, vê o tucano e o tico-tico.

E o bebê macaco vê Poti.

Aí ele pula, cai lá da moita e bate o pé no toco.

Ai, ai, ai! Coitado do macaco!

Poti vê o macaco caído e cuida dele.

O menino bota o macaco na canoa e o danado come toda a banana do pote.

A canoa leva Poti até a taba.E ele leva o macaco no colo.

Aí o pai de Poti leva muita banana até a taba. E o bebê-macaco come muito.

De noite, a lua alumia a taba toda. 
Tudo iluminado! Alumia até Poti no colo do pai.
E alumia o macaco de banana na boca.

Autores
Ana Maria Machado e Claudius

Lenda da Mandioca


De acordo com a lenda, uma índia tupi deu a luz a uma indiazinha e a chamou de Mani. A menina era linda e tinha a pele bem branca. Vivia feliz brincando pela tribo. Toda tribo amava muito Mani, pois ela sempre transmitia muita felicidade por onde passava.

Porém, um dia Mani ficou doente e toda tribo ficou preocupada e triste. O pajé foi chamado e fez vários rituais de cura e rezas para salvar a querida indiazinha. Porém, nada adiantou e a menina morreu.

Os pais de Mani resolveram enterrar o corpo da menina dentro da própria oca, pois esta era a tradição e o costume cultural do povo indígena tupi. Os pais regaram o local, onde a menina tinha sido enterrada, com água e muitas lágrimas.

Depois de alguns dias da morte de Mani, nasceu dentro da oca uma planta cuja raiz era marrom por fora e bem branquinha por dentro (da cor de Mani). Em homenagem a filha, a mãe deu o nome de Maniva à planta. 

Os índios passaram a usar a raiz da nova planta para fazer farinha e uma bebida (cauim). Ela ganhou o nome de mandioca, ou seja, uma junção de Mani (nome da indiazinha morta) e oca (habitação indígena). 

Dia do Índio


Todo ano, aos dezenove dias do mês de abril, a sua escola organiza algum evento em homenagem ao Dia do Índio ou, ao menos, seu professor de história pede a você algum trabalho sobre esse tema. Pois bem, mas você se lembra do motivo pelo qual o Dia do Índio é celebrado em 19 de abril?

Bom, para começar, apenas nos países do continente americano oDia do Índio é celebrado nessa data. No restante do mundo, os povos indígenas são homenageados no dia 09 de agosto desde o ano de 1995, uma determinação das Organizações das Nações Unidas (ONU).

Em países como México, Chile e Brasil, convencionou-se determinar a comemoração do Dia do Índio em 19 de abril em respeito à realização do Primeiro Congresso Indigenista Interamericano. Esse congresso foi realizado no México, em 1940, e, como o próprio nome “indigenista” indica, tratou dos problemas relacionados com a situação dos povos indígenas nas Américas (do Norte, Central e do Sul); por isso recebeu o nome de “interamericano”.

Entre a segunda metade do século XIX e a primeira metade do século XX, houve um interesse crescente de estudiosos pelas culturas indígenas. Esses estudiosos receberam o nome de etnólogos, termo que vem de “etnos”, que significa “povo”. A etnologia contribuiu para que muitos aspectos da forma de organização social dos índios passassem a ser respeitados e recebessem incentivos estatais para a sua preservação.

A data simbólica de 19 de abril, sugerida no congresso mencionado acima, serviu como pontapé inicial para que a cultura indígena fosse valorizada também pelo público não especializado, isto é, as pessoas que não estudam cientificamente a história e a vida das tribos etc.

No caso específico do Brasil, o acatamento da sugestão do dia 19 de abril veio em 1943, sob o governo de Getúlio Vargas, em forma de decreto-lei. Nessa época, Vargas governava de forma autoritária (na chamada ditadura do Estado Novo), de modo que as leis não eram apreciadas pelo Congresso Nacional, mas passavam a vigorar na forma de decreto.

O texto do decreto-lei pode ser lido a seguir:

“O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, usando da atribuição que lhe confere o artigo 180 da Constituição, e tendo em vista que o Primeira Congresso Indigenista Interamericano, reunido no México, em 1940, propôs aos países da América a adoção da data de 19 de abril para o "Dia do Índio",

DECRETA:

Art. 1º É considerada - "Dia do Índio" - a data de 19 de abril.

Art. 2º Revogam-se as disposições em contrário.

Rio de Janeiro, 2 de junho de 1943, 122º da Independência e 55º da República.”

GETÚLIO VARGAS

Percebe-se que, no parágrafo de apresentação do texto, há uma referência ao Primeiro Congresso Indigenista Interamericano, que havia sugerido, como dissemos, a data para a comemoração. Assim, até os dias de hoje, os povos indígenas são homenageados, no Brasil, nessa data.


18 de abr de 2016

Dicas para seu filho se apaixonar por livros


"Uma biblioteca para os pequenos é o primeiro grande passo"

Com a internet à disposição e o videogame liberado, o hábito da leitura na infância tem ficado um pouco de lado. Mas para tirar a poeira dos exemplares e trazer de volta o gosto pelas obras infantis, a solução está dentro de casa. 

Que tal escolher uma parte da casa e montar uma biblioteca organizada, acessível e atraente para o seu pequeno? A novidade pode criar no seu filho a vontade de ler mais, de descobrir novos mundos, através das histórias e, claro, de querer sempre novos livros para ler e para chamar os amigos.

Ter um espaço dentro de casa dedicado à leitura dos filhos é essencial, avalia a psicopedagoga Fabianni Moreira, da Upuerê. “A criança precisa recuperar o contato com o livro físico. Hoje em dia as buscas foram parar no computador. É importante trazer seu filho de volta para os livros”, alerta.

Mas não basta comprar livros, jogar sobre a cama da criança e não incentivar o hábito. Participar é o grande macete para que a leitura seja estimulada, e a biblioteca seja um “sucesso de bilheteria” em casa.

“Participe. 

Leia sempre dando as entonações, contando mesmo a história. Saiba contar as histórias de forma animada e divertida, mudando a voz dos personagens e dando sentido”, orienta.


Em família

Na casa dos pequenos Ian e Clara Olivito, de 4 e 2 anos, o hábito da leitura é incentivado, mesmo antes de as crianças aprenderem a ler. Cerca de 60 exemplares estão à disposição deles, na estante da sala.

“Eles não sabem ler ainda. Mas quando chega o fim da noite, pedem para a gente ler algum livro escolhido por eles. Ou pegam um e fingem que estão lendo, enquanto inventam as histórias a partir das figuras”, conta o pai, João Paulo Olivito.

A esposa de João Paulo, Thaís Ferreira, 34, é formada em Letras. O casal já compartilhava o gosto pela literatura antes do nascimento dos filhos. Então não foi difícil ter a ideia de montar uma biblioteca.

“Com a chegada deles, começamos a comprar livros infantis e fomos vendo que era uma literatura muito boa. Os livros trabalham muito com a imaginação deles”, comemora.

A leitura, desde cedo, permite que seu filho também conheça o mundo mais cedo. Que tal?

Uma biblioteca para chamar de sua

O espaço

Altura

- É importante que a biblioteca do seu filho seja em um móvel ou estante com prateleiras que sejam na altura da criança. Caso a biblioteca seja uma só para você e seu filho, os livros dele devem ficar na parte de baixo.

Exposição

- Prateleiras finas com livros expostos de frente são ótimas opções, pois a criança é atraída pela capa dos livros. Além disso, por ocuparem pouco espaço, esses móveis podem ficar em áreas “inúteis” da casa.


Localização

- Os livros podem ficar no quarto, na sala, ou até no banheiro. O importante é escolher um local por onde a criança sempre passe perto das obras.

A organização

- Separe as coisas
- Caso a criança tenha livros que ela use na escola, separe das obras para ler em casa.

Igual livraria

- Assim como acontece nas livrarias, faça um rodízio das obras. Separe os livros que seu filho está gostando mais no momento e deixe-os mais à mostra.

Momentos

- Também vale separar os livros - em caixas transparentes ou com separadores - para cada ocasião de leitura. Por exemplo: livros para a hora de dormir, para brincar, para o banho.

Aprendizado

- Incentive sempre o hábito da doação. Se muitos livros estão acumulados, separe os que não lê mais e doe para escolas ou ONGs.


Os cuidados

Abuse e use

- Livros não têm segredos de conservação. Basta ler. Para conservar, a saída é folhear para que o papel fique arejado.

Atenção

- Na hora de guardar os livros, seu filho deve observar se não há orelhas ou páginas amassadas. E ele só deve ler quando estiver com as mãos limpas e sem comida por perto.

Fonte: Revista Crescer

beijinhos de luz!

O Julgamento da Ovelha


Um cachorro de maus bofes acusou uma pobre ovelhinha de lhe haver furtado um osso.

— Para que furtaria eu esse osso — alegou ela — se sou herbívora e um osso para mim vale tanto quanto um pedaço de pau?

Não quero saber de nada. Você furtou o osso e vou já levá-la aos tribunais.

E assim fez.

Queixou-se ao gavião penacho e pediu-lhe justiça. O gavião reuniu o tribunal para julgar a causa, sorteando para isso doze urubus de papo vazio.

Comparece a ovelha. Fala. Defende-se de forma cabal, com razões muito irmãs das do cordeirinho que o lobo em tempos comeu.

Mas o júri, composto de carnívoros gulosos, não quis saber de nada e deu a sentença:

— Ou entrega o osso já e já, ou condenamos você à morte!

A ré tremeu: não havia escapatória!… Osso não tinha e não podia, portanto, restituir; mas tinha a vida e ia entregá-la em pagamento do que não furtara.

Assim aconteceu. O cachorro sangrou-a, espostejou-a, reservou para si um quarto e dividiu o restante com os juízes famintos, a titulo de custas…


"Monteiro Lobato"

Dia de Monteiro Lobato



Quem foi Monteiro Lobato?

José Bento Monteiro Lobato estreou no mundo das letras com pequenos contos para os jornais estudantis dos colégios Kennedy e Paulista, que frequentou em Taubaté, cidade do Vale do Paraíba onde nasceu, em 18 de abril de 1882.

Monteiro Lobato jamais escondeu sua paixão pela pintura e gostaria de ter cursado uma escola de Belas Artes. 

Por imposição do avô, seu tutor após a morte dos pais, acabou entrando para a Faculdade de Direito. Desistiu das artes plásticas e se fez escritor.

Entre outras coisas escreveu para crianças histórias da Narizinho, Pedrinho, Tia Nastácia, boneca Emília, Visconde de Sabugosa e a assustadora Cuca.



Dia Nacional do Livro Infantil


Ninguém nasce sendo um leitor. O incentivo ao hábito da leitura tem que começar desde os primeiros anos de vida da criança, e a literatura infantil é a porta de entrada para isso.

Esta data é destinada ao incentivo e conscientização da importância desde gênero literário para a formação de novos leitores.

A literatura infantil também é uma poderosa ferramenta de aprendizado, não apenas a nível de conhecimentos, mas principalmente de valores morais e éticos.

beijinhos de luz...

2 de abr de 2016

As Duas Joaninhas


Duas joaninhas descansavam na folha do trevo quando a mamãe joaninha chamou:

_ Filhinhas...venham para casa que é hora de dormir.

- Mas mãezinha, a nossa casa não é o jardim?

_ É sim, mas dormimos sempre dentro de uma flor para não nos molharmos com o orvalho da noite e não ficarmos gripadinhas.

- Ah! mamãe, falou uma das joaninhas, hoje a noite está muito bonita, quentinha e não vai fazer frio, e por isto nós vamos dormir na folhinha do trevo.

_ Está bem, falou a mãe, mas só hoje!

- Ôôôôbaaaaa!!! gritaram as duas , enquanto pulavam e rolavam sobre a folhinha do trevo.

As joaninhas passaram a noite na folhinha verde do trevo, contaram quantas estrelinhas elas viam no céu, viram a lua se escondendo atrás das nuvens, escutaram o grilo cantando a noite toda, o sapinho na lagoa e o tic tac do relógio da igrejinha.

Foi uma noite maravilhosa!

Pela manhã a mãe joaninha foi chamá-las e perguntou:

_ E aí garotinhas, dormiram bem?

- Dormimos?! Não dormimos nadica de nada pois ficamos olhando e escutando tudo que acontece durante a noite enquanto todos dormem, e foi muito bom. Vamos dormir agora...

_ Descansem bem pois quando acordarem vamos para outro jardim, está bem?

- Que bom! responderam as joaninhas. Até mais mamãe....

As joaninhas se esconderam dentro de uma flor chamada copo-de-leite e dormiram todo o dia.Quando acordaram, foram passear em outro jardim com a sua mãezinha e deixaram muitos beijinhos para todos que passarem por aqui..

*soninha* 

 flor copo-de-leite


"beijinhos de luz"

O Aviãozinho Azul


_ Mamãe, mamãe, olha o que a tia me deu ...

Foi assim que Rafael entrou em casa. Muito animado porque a sua professora lhe deu um lindo aviãozinho azul e o sonho dele era ser piloto, quando se tornasse adulto.

- Por que a tia lhe deu este avião, filho?

_ Ah! mamãe, ela pediu que não brincássemos com armas pois elas são feias, fazem o mal às pessoas, elas ficam tristes e chorando. Então ela pediu quem tivesse brinquedo de arma jogasse fora que ela daria outro que é bonito e não faz mal.

- E o que você jogou fora, filho?

_ Aquele rifle que você me deu no meu aniversário.

- Mas filho, aquele rifle me custou tão caro...por que você jogou fora? Você poderia dá-lo para o filho da vizinha...

_ Não mamãe, não! A tia falou que era para conversarmos com os nossos amiguinhos para que eles também joguem as suas armas de brinquedo no lixo.

- Âhn...esta tia...hummmmm...resmungou dona Otília a mãe de Rafael enquanto ía para a cozinha deixando o menino a brincar com o novo brinquedo, no seu quarto.

A partir daquele dia Rafael conversava com todas as crianças que encontrava ensinando-as a não brincarem com armas, para não se tornarem adultos que gostam de usar armas e ferir pessoas.

As crianças da cidade de Rafael cresceram felizes, sem armas, e quando todos eram adultos passaram a ensinar às novas que iam nascendo e crescendo e assim aquela cidade passou a ser chamada Cidade da Paz, pois ali não havia violência, as pessoas resolviam os seus problemas conversando e não havia armas.

Assim,um simples aviãozinho azul conseguiu transformar todas as pessoas de uma cidade inteirinha, tornando-as pessoas boas e amantes da paz.

bjs,soninha

Dia Mundial de Conscientização do Autismo, decretado pela ONU


No dia 2 de abril, Dia Mundial de Conscientização do Autismo, decretado pela Organização das Nações Unidas (ONU), pais, profissionais e governantes procuraram se unir para a conscientização da síndrome que cada vez mais afeta novas crianças. 

Não há estatística oficial entre os brasileiros, mas especialistas acreditam que a proporção seja semelhante à encontrada em outras partes do mundo. Dados mais recentes divulgados pela CDC (Centro de Controle e Prevenção de Doenças) dos EUA mostram que uma em cada 50 crianças tem o transtorno. Sabe-se que, em crianças, o autismo é mais comum do que AIDS, câncer e diabetes. Enquanto nos Estados Unidos pediatras são treinados para identificar os transtornos do espectro autista até os três anos, no Brasil, o diagnóstico é feito, em média, entre os cinco e os sete anos de idade. Muito tarde! 

Mas o que é o Autismo? Vamos lá! 

Os Transtornos do Espectro do Autismo (TEA) referem-se a um grupo de transtornos caracterizados por prejuízos nas habilidades de interação social e comunicação, e presença de comportamentos, interesses e atividades estereotipados. Há uma grande heterogeneidade na apresentação do TEA, tanto com relação à configuração e severidade dos sintomas comportamentais. Por ser uma síndrome comportamental, não é possível detectá-la através de exames laboratoriais. O diagnóstico é clínico (baseado em observações), daí a necessidade de bons parâmetros diagnósticos e equipe interdisciplinar. A atual dificuldade de identificação de subgrupos de TEA, que poderiam direcionar tratamentos e viabilizar melhores prognósticos, dificulta progressos no desenvolvimento de novas abordagens de tratamento destes pacientes. 
Estima-se que 90% dos brasileiros com autismo não tenham sido diagnosticados. 

Fique atento! A criança que até os dois anos: 

 Apresenta atrasos ou falhas na comunicação verbal e não-verbal; 

 Não aponta objetos; 

 Não atende quando é chamada pelo nome; 

 Apresenta apego a rotinas; 

 Apresenta apego exagerado a um objeto; 

 Utiliza uma pessoa como objeto; 

Deve ser avaliada por neuropediatra ou psiquiatra infantil. 

Ainda sem saber ao certo o que causa o autismo, cientistas do mundo inteiro têm trabalhado em conjunto na busca por respostas. Com destaque para o neurocientista brasileiro Alysson Muotri, que trabalha e reside em San Diego (California, EUA), e destacou-se recentemente ao conseguir "curar" um neurônio "autista" (com Síndrome de Rett – um tipo grave de autismo) em laboratório e abrir as portas para o desenvolvimento de uma droga eficiente contra essa complexa síndrome. O feito foi publicado na revista científica Cell. 

Já temos visto resultados da nossa luta e a maior delas até o momento é a LEI Nº 12.764, DE 27 DE DEZEMBRO DE 2012 (LEI BERENICE PIANA), que Institui a Política Nacional de Proteção dos Direitos da Pessoa com Transtorno do Espectro Autista; e altera o § 3 º do art. 98 da Lei no 8.112, de 11 de dezembro de 1990, que garante uma adequação à carga horária do servidor que tenha cônjuge, filho ou dependente portador de deficiência física, mediante compensação do horário. 

Celebrando também o Dia Mundial da Conscientização do Autismo está inserida a campanha mundial “Light It Up Blue”, que visa solicitar a todas as autoridades públicas que iluminem de Azul a sua cidade, edifícios ou monumentos. O azul foi definido como a cor símbolo do autismo, porque a síndrome é mais comum nos meninos — na proporção de quatro meninos para cada menina. A ideia é iluminar pontos importantes do planeta na cor azul para chamar a atenção da sociedade, poder falar sobre autismo e levantar a discussão a respeito dessa complexa síndrome. Em 2014 milhares de pessoas participaram no mundo inteiro, iluminando mais de 10.000 edifícios e monumentos de 136 países na cor Azul. No Brasil, o destaque foi para o Cristo Redentor no Rio de Janeiro.

Um dos únicos consensos entre a comunidade médica em todo o mundo é de que quanto antes o diagnóstico for feito e o tratamento iniciado, melhor será a qualidade de vida da pessoa com autismo. 

“O Autismo é muito contagioso... 

As pessoas que vivem ou trabalham com alguém com autismo são contagiadas por um estranho vírus que as modificam e as tornam mais tolerantes, compreensivas, imunes às frustrações, corajosas, com tendências a se dedicar e falar coisas raras como o AMOR. 

O Autismo muda os que passam a conhecer, 
Atreva-se você também a conhecê-lo! 
Você se tornará uma pessoa melhor!” 

(Autor desconhecido)
A fita feita de peças z quebra-cabeça coloridas, que representa o mistério e a complexidade do autismo, é um símbolo mundial da conscientização em relação a esta patologia.

Ser diferente é normal! 

Dia Internacional do Livro Infanto-juvenil


O Dia Internacional do Livro Infantil é comemorado em 02 de abril. A data foi escolhida para homenagear o escritor dinamarquês Hans Christian Andersen.

A literatura infantil é a porta de entrada para um universo lúdico e cheio de possibilidades. Uma criança que recebe o estímulo à leitura certamente será um adulto leitor, e todos nós sabemos dos incontáveis benefícios que o hábito de ler proporciona em diversos aspectos da nossa vida. Para divulgar a literatura e assim conquistar novos adeptos, foi instituído o Dia Internacional do Livro Infantil, celebrado a cada 2 de abril.


A primeira coletânea de contos infantis surgiu no século XVII, na França, 
organizada por Charles Perrault, considerado o pai da literatura infantil

Mas será que você sabe por que o Dia Internacional do Livro Infantil é comemorado no dia 2 de abril? Bom, a data não foi escolhida ao acaso, já que o dia 02 de abril é o aniversário de nascimento de um dos mais importantes nomes da literatura infantil o escritor dinamarquês Hans Christian Andersen. Andersen não foi o primeiro a escrever para o público infantil, mas é considerado o primeiro autor a adaptar fábulas já existentes para uma linguagem mais adequada ao universo dos pequenos. Foi dele a ideia de transmitir, por intermédio de antigas histórias, moral e valores, concepção que ainda não havia sido abordada por Charles Perrault, considerado o pai da literatura infantil, e pelos Irmãos Grimm, que apenas adaptavam as histórias cujos finais não eram tão felizes assim...

No Brasil, nomes como Ana Maria Machado, Ruth Rocha, Pedro Bandeira, Tatiana Belinky, Lygia Bojunga, Ziraldo, entre tantos outros, há anos divulgam a literatura infantil, que por aqui é comemorada no dia 18 de abril dia que marca o aniversário de nascimento do precursor do gênero no país, o escritor Monteiro Lobato. Lobato não só produziu clássicos da literatura infantil, vide as histórias do Sítio do Picapau Amarelo, como também traduziu e adaptou clássicos mundiais, como Alice no País das Maravilhas, de Lewis Carroll, e Robin Hood, lenda inglesa recontada por vários escritores.


A estátua de Hans Christian Andersen foi erguida no Central Park, 
Nova Iorque, no ano de 1956 em comemoração aos 150 anos de seu nascimento

Mais do que lembrar e celebrar a data, é fundamental que a literatura infantil seja divulgada, para que possa, então, tornar-se uma realidade na vida dos pequenos. Vale ressaltar que, além de permitir que as crianças explorem as inesgotáveis possibilidades que existem no mundo da imaginação, o hábito da leitura é fundamental para o aumento da proficiência da escrita e da própria leitura. Ler, além de ser divertido e prazeroso, é também fonte de conhecimento, e é através do conhecimento que uma sociedade crítica e pensante é construída.

Por Luana Castro
Gradauda em Letras

Não dê armas às crianças!!

Não dê armas às crianças!!