Estamos de volta!!

Estamos de volta!!
O Inverno Chegou...

17 de abr de 2010

O BURRO DE CARGA



O BURRO DE CARGA


Era uma vez um burro de carga que vivia na cocheira de um famoso palácio real.

Cavalo Árabe: Ora! Veja só se pode uma coisa dessas. Eu, que já ganhei vários prêmios, um velocista da melhor estirpe, aqui, dividindo a mesma cocheira com esse burro. Olhe só para ele! Cheio de cicatrizes no lombo. E esse pêlo maltratado. Mas que triste sina a sua hein? Não tem inveja da minha posição?

E o burro ficava quietinho no seu canto, nem resmungava.

Potro inglês: Pudera! Como conseguirá um burro entender o brilho das apostas e o gosto da caça?

Cavalo alemão: Há dez anos vi esse burro sendo amansado por um homem muito rude. Esse miserável é tão covarde que nem reagia, nem mesmo com um coice. Nasceu só para cargas e pancadas. É vergonhoso suportar-lhe a companhia.

Jumento espanhol: Lastimo que esse burro seja um parente próximo...É um animal fraco e inútil. Não sabe reagir aos insultos. Obedece a tudo que lhe mandam fazer. Que vergonha!Mas, um dia, na cocheira do famoso palácio real, o Rei, na companhia do chefe das cavalariças apareceu e falou...

Rei: Preciso de um animal para um serviço de grande responsabilidade. Que seja dócil, educado e que mereça absoluta confiança...

Chefe das cavalariças: Temos esse belo Cavalo Árabe.

Rei: Não, não. É muito altivo e só serve para corridas em festejos oficiais sem maior importância.

Chefe das cavalariças: Não quer o potro inglês?

Rei: De modo algum? É muito irrequieto e não vai além das extravagâncias da caça.

Chefe das cavalariças: E o Alemão??

Rei: Não, não. É muito bravo, sem qualquer educação. É apenas um pastor de rebanhos.

Chefe das cavalariças: Já sei, então, vossa majestade. O Jumento Espanhol.

Rei: De maneira nenhuma. É manhoso e não merece confiança.

Depois de alguns instantes pensando o soberano perguntou.

Rei: Onde está o meu Burro de Carga?

Para decepção de todos, o próprio Rei puxou carinhosamente o Burro de Carga. Mandou que lhe colocassem as mais belas mantas com o brasão do Reino e confiou a ele o filho, ainda criança, para longa viagem.

Baseado no livro Alvorada Cristã, do Espírito Neio Lúcio, psicografia de Francisco Cândido Xavier, ed. FEB.

bjs,soninha
Postar um comentário

Não dê armas às crianças!!

Não dê armas às crianças!!