Estamos de volta!!

Estamos de volta!!
São João está chegando...

27 de fev de 2013

O CÃOZINHO "NERO" E O GATINHO "BIBI"


Viviam o nero e o bibi numa eterna briga, deixando irritadas todas as pessoas que moravam naquele casarão. 

As crianças não suportando-os, muitas vezes deram-lhes algumas palmadas com o chinelo, deixando-os assustados por um longo tempo.

Um dia dona Mariquinha resolveu dar uma lição em ambos a fim de que eles parassem com os desentendimentos. Não colocou leite para o bibi nem a ração para o nero, deixando-os com fome durante todo o dia. 

Quando a noite abraçou a Terra e tudo ficou às escuras, bibi começou a miar, um miado sentido como se estivesse chorando, que foi logo acompanhado pelo uivo do nero , dando a impressão de uma triste serenata. 

Dona Mariquinha que rezava o terço, preparando-se para dormir, ao escutar aquela seresta, sem lembrar do castigo que impusera aos animais perguntou-se:  

_Deus do céu, o que será isto, será que deixei o rádio ligado ou as crianças estão fazendo algazarra?  De um salto ela alcançou a sala onde se encontrava o rádio e lá estavam o cãozinho e o gatinho chorando e se lamentando de fome. 

Surpresa com o próprio esquecimento dona Mariquinha se desdobrou em afagos e beijinhos nos animais pedindo-lhes desculpas colocando imediatamente a comidinha de ambos. 

Na memória de bibi  e de nero ficou a lembrança de um dia sem alimento e eles nunca mais brigaram e dona Mariquinha passou a amarrar fitinhas no dedo para não esquecer-se das coisas que tinha que fazer


soninha
beijinhos de paz...

O MENINO E A VÓ GULOSA


O menino só possuía um guiné. Numa ocasião de necessidade matou o guinezinho e saiu pra adquirir farinha. Quando voltou, a avó, que morava com ele, comera o guinezinho inteiro. O menino reclamou muito e avó lhe deu um machadinho.

Saiu o menino pela estrada e encontrou o pica-pau furando uma árvore com o bico.

— Pica-pau! Não se usa mais o bico para cortar pau. Usa-se um machadinho como esse…

— Oh! Menino! Empreste-me o machadinho.






O menino emprestou o machadinho ao pica-pau e este tanto bateu que o quebrou.

O menino recomeçou a choradeira:

— Pica-pau, quero meu machadinho que minha avó me deu, matei meu guinezinho e minha avó comeu.

O pica-pau deu ao menino um cabacinho de mel de abelhas. O menino continuou a viagem e lá adiante viu o papa-mel lambendo um barreiro que só tinha lama.

— Papa-mel! Não se usa mais beber lama. Usa-se beber um melzinho como esse…

— Oh! Menino! Me dê um pouquinho desse mel!




Que pouquinho foi esse que o papa-mel engoliu todo o mel e ainda quebrou o cabacinho. O menino abriu a boca no mundo, berrando. O papa-mel presenteou-o com uma linda pena de pato. O menino seguiu.

Lá na frente encontrou um escrivão escrevendo com uma pena velha e estragada.

— Escrivão! Não se usa mais escrever com uma pena estragada como essa e sim com uma boa e novinha como esta aqui…



— Oh! Menino! Empresta-me tua pena…

O bobo do menino emprestou a pena. Num instante o escrivão estragou a pena. O menino cai no pranto. O escrivão lhe deu uma corda.

Depois de muito andar, o menino avistou um vaqueiro tentando laçar um boi com um cipó do mato.

— Vaqueiro! Não se usa mais laçar boi com cipó e sim com uma corda como essa.




— Oh! Menino! Me empresta essa corda.

O menino, vai, emprestou. Num minuto o vaqueiro laçou o boi mas rebentou a corda.

Novo chororô do menino. O vaqueiro lhe deu um boi.

O menino viu a onça, uma enorme, comento um resto de carniça.

— Onça! Não se usa mais comer carniça e sim um boi como esse meu!




— Oh! Menino! Me dê o seu boi!

E comeu o boi. O menino ficou no soluço, choramingando e pedindo o boi:

— Onça, me dê meu boi que o vaqueiro me deu; o vaqueiro quebrou minha cordinha, a cordinha que o escrivão me deu; o escrivão quebrou minha peninha, a peninha que o papa-mel me deu; o papa-mel bebeu meu melzinho, o melzinho que o pica-pau me deu; pica-pau quebrou meu machadinho, o machadinho que minha avó me deu; matei meu guinezinho e minha avó comeu!

A onça como não tinha coisa alguma para dar ao menino, disse, rosnando:

— O boi foi pouco e vou comer você!

E comeu o menino.


Fonte:Jangada Brasil
Contos do Folclore Brasileiro


beijinhos carinhosos

22 de fev de 2013

A CASINHA CARACOL


O garotinho Gil morava pertinho do Reino dos Caracóis e sentia muito carinho por eles. Passava horas e horas observando o seu caminhar lento e delicado, as suas antenas com os olhinhos na ponta de cada uma, e a sua concha que era a sua própria casa. 

Um dia o garoto teve uma ideia: 

_Vou morar num caracol!

Mas ele não poderia realizar o sonho sem antes pedir permissão ao caracol. Deitado na sua caminha para dormir Gil imaginava mil maneiras de se comunicar com o caracol a fim de pedir a sua permissão. 

Quando o sono pegou-o pela mão e foi conduzindo-o ao "Mundo Mágico dos Sonhos", o garoto escutou uma voz delicada e mansa sussurrando-lhe: 

- Você quer mesmo morar no caracol meu menino? 

Assustado ele respondeu com uma pergunta: 

_ Quem é você? 

- Sou o seu Anjo da Guarda que cuida de você todos os dias.

 _ Ah! que sustou eu levei, pensei ser uma assombração. Eu quero sim, anjinho, você pode me ensinar como pedir permissão para ele? 

- Eu vou fazer mais do que isso meu garotinho, eu mesmo vou perguntar e lhe trago a resposta. 

_ Como você vai perguntar se a nossa professora de Ciências nos ensinou que os caracóis não escutam?

- Por telepatia meu menino, por telepatia.

_ Telé o quê?

- TELEPATIA! é a maneira de nos comunicarmos por pensamento.

_ Ah! e eu nem sabia que caracóis pensam...será que a professora sabe? falou o garotinho para si mesmo, enquanto sentava numa nuvenzinha bem confortável à espera do seu Anjo da Guarda. 

Alguns minutos depois o Anjinho retornou. 

Gil, ansioso pela resposta foi até ele perguntando-lhe: 

_E aí?? Ele deixou??

- Claro meu menino,claro que ele deixou e disse que você pode se mudar assim que desejar. 

Gil radiante de alegria falou: 

_Só não vou agora mesmo porque ainda é noite e tenho que falar com os meus pais. 

Ao amanhecer o garotinho falou com os pais prometendo-lhes que seria por pouco tempo e que ele não se afastaria para lugares distantes. Os pais do menino consentiram, e foi assim que Gil viveu o seu grande sonho de morar num caracol durante muitas dias que ele soube aproveitar muito bem, fazendo amizade com sua "casinha viva" e realizando belos passeios.

soninha

beijinhos de paz...


20 de fev de 2013

Comida de alma: delícia...delícia


Com este calor maluco a melhor coisa que existe no mundo é tomar sorvete. Mais gostoso ainda é fazer sorvete em casa

Sorvete de Cacau 
Misture 2 colheres de chá de cacau em pó e 2 colheres de chá de açúcar. Adicione 2 colheres de chá de água e mexa. Depois, misture 2 ¾ xícaras de leite sem gordura.

Pêssego Roxo 
Pressione 3 fatias de pêssego congeladas nas laterais dos moldes de picolé. Complete os espaços com suco de uva roxa. 
Sorvete de Cupcake 
Unte 8 formas de cupcake de silicone ou alumínio. Espalhe 2 ou 3 colheres de chá de Nutella no fundo da forma e nas laterais. Coloque no congelador até ficar sólido. Depois, complete com iogurte de banana. Cubra com papel-alumínio, abra uma fenda e coloque um palito de madeira para picolé. Congele por mais 3 ou 4 horas ou até ficar sólido. Desenforme, espere descongelar um pouco e sirva. 
Smoothie de frutas 
Em um liquidificador, bata 1 ½ xícaras de fatias de morango, uma banana e uma xícara de iogurte de baunilha sem gordura. Corte outra banana em fatias finas. Pressione as fatias na lateral dos moldes de picolé e complete os espaços com a mistura de frutas.


Crianças estrábicas são alvo fácil de bullying


Diagnóstico precoce e tratamento ajudam no bem-estar infantil 

O olho é o principal órgão de relacionamento humano e quando apresenta defeito físico – como é o caso do estrabismo, pode por si só gerar problemas emocionais graves ao indivíduo se não tratado corretamente. Não bastasse, a criança pode sofrer ainda com as terríveis sequelas do bullying, espécie de intimidação psicológica com registro de violência em situações extremas.


O assunto ganha força com o resultado de uma pesquisa recente que causou repercussão na imprensa brasileira. Realizada com 48 crianças de seis a oito anos de idade atendidas por uma clínica oftalmológica na Suíça, revelou que 18 delas não convidariam um colega estrábico para uma festa.


Diagnóstico precoce: importância

“O aparecimento do estrabismo na criança é uma situação de emergência”, alerta o Dr. Dias, que recomenda início imediato do tratamento. Mesmo que nenhum problema ocular se manifeste, os pais devem levar a criança com até um ano para realizar exame estrabismológico completo.

Sou estrábico sim, e daí?’

Se não der certo a tática de ignorar simplesmente a provocação dos “colegas” de classe, ao ser firme, evitar o choro e abatimento - o contrário do “jogo” de quem humilha por afirmação própria no grupo ao diminuir quem considera “feio” ou “diferente”, a Dra. Ângela Uchôa Branco sugere outro caminho: “Dizer, “sou estrábico sim, e daí? O problema é meu e estou tratando. Por que você não cuida do seu problema e deixa os outros em paz?”.




beijinhos de luz

A LUA E O SOL


A lua envaidecida por estar numa linda fase voltou-se para o sol e disse: 

_ Eu sou mais bonita e mais importante do que você. Enfeito a noite com o meu brilho prateado e se não fosse por mim as estradas estariam às escuras. 

O sol, timidamente respondeu-lhe: 

- Mas sou eu quem aquece a Terra, quem brilha nas praias e dá uma cor bronzeada e bonita, às pessoas. 

_ É! pode ser, retrucou a lua, mas ninguém ousa fazer serenata sob o seu calor escaldante, no entanto, quando apareço no céu logo desperto no homem uma súbita vontade de cantar sob a janela da amada uma bela canção acompanhada pelo violão. 

- Que importância tem isto? perguntou o sol. Músicas podem ser tocadas em rádios, vitrolas, etc, mas meu calorzinho só eu mesmo posso dar.

_ Calorzinho, calorzinho, murmurou a lua; grande coisa!

 - É uma grande coisa sim, respondeu o sol. E o meu brilho!! você já notou como a minha luz é intensa?? 

A lua fez beicinho e respondeu:

 _ É sim, já notei, mas a minha é bem mais bonita.

 - Ah! disse o sol, quando será que você vai entender de uma vez por todas que você só brilha por minha causa, e que, sem mim você seria apenas escuridão? 

De repente a lua recordou-se que ela é um astro iluminado, não possui luz própria e que brilha porque recebe a luz do sol. Envergonhada por tanta vaidade ela pigarreou e disse:

 _ Desculpe-me sol mas estou tão cansada...aff! já vou dormir. Retirou-se cabisbaixa enquanto o sol aprumava-se no alto para inundar a Terra de luz e calor.


MORAL; Devemos pensar bem antes de falarmos .

soninha

beijinhos de luz

19 de fev de 2013

Tem pé de porco?


A dona de casa pede para o menino:
— Filho, vá ver se o açougueiro tem pé de porco.
O garoto sai e volta meia hora depois:
— Não consegui ver, mãe. Ele estava de sapato!

beijinhos de paz..

Notícia Furada


Juquinha chega em casa e diz:
- Pai, tenho uma ótima notícia para você!
- O que é? – pergunta o pai.
- Você não me prometeu uma bicicleta se eu passasse de ano?
- Sim, meu filho.
- Então se deu bem. Economizou um dinheirão!

beijinhos...

_Dadinhos de Amendoim_


Ingredientes

2 xícaras (chá) de amendoim torrado (260g)
1 xícara (chá) de alimento em pó feito à base de proteína isolada de soja, enriquecido com vitaminas e minerais,sem lactose e com sabor chocolate (130g)
4 colheres (sopa) de mel (64g)
Decoração
4 colheres (sopa) de açúcar de confeiteiro (50g)
1 colher (sopa) de suco de limão (15 ml) 

Modo de preparo

- Triture o amendoim no processador ou liquidificador até formar uma farofa. 
- Passe para uma vasilha, acrescente o alimento em pó e o mel. 
- Com as mãos, amasse até formar uma massa homogênea. 
- Se necessário, acrescente, aos poucos, uma colher de sopa de água para dar o ponto. 
- Pegue pequenas porções de massa com as mãos e molde os dadinhos. 
- Para a decoração, coloque o açúcar em uma tigela pequena e vá acrescentando o suco de limão, aos poucos, misturando até ficar cremoso. 
- Molhe um palito na mistura de açúcar e decore pingando gotinhas sobre os dadinhos. 
-Espere secar para decorar os outros lados dos dadinhos.


beijinhos de luz

Criança Birrenta 1

Seja porque foi contrariado ou só para chamar a atenção mesmo, toda criança faz birra em algum momento. Vale a pena ler as dicas abaixo. Elas te ajudarão a lidar melhor com esse pequeno grande probleminha!

1- VERIFIQUE SE ALGO REALMENTE INCOMODA A CRIANÇA

Mesmo que seu filho já tenha a alcunha de birrento, é importante verificar se a criança realmente não está com algum problema. Procure por algo que possa estar incomodando seu filho: sono, fome, frio, calor, dentes, dores e desconfortos em geral. Faça o check-up e, se identificar alguns dos fatores acima, tente resolvê-los.


2- MANTENHA A CALMA

Manter a calma e passar isso à criança ainda é o melhor jeito de lidar com as birras. Olhe nos olhos do pequeno, fale devagar e em um tom suave, mostrando que o comportamento dele não atinge o seu. Se o motivo para o show for querer chamar a atenção, tudo estará resolvido e sem você precisar se descabelar.


3- NÃO FAÇA POUCO CASO DA CRIANÇA

Em um acesso de raiva, não subestime, nem ridicularize a ira do pequeno. Ao invés de dizer “Está com raivinha, é?” ou “Ai, que mêda!”, prefira: “Olha, você tem todo o direito de estar com raiva, medo, frustração, chateação, ciúme, mas não pode machucar ninguém, nem se machucar”.


Ensine seu filho a reconhecer os tons de voz que ele usa. Nomeie todos eles, como reclamão, alegre, atrevido, amoroso. Na hora da birra, mostre que ele está usando um tom que você não gosta. Reconhecer suas próprias entonações é um passo importante para um pedido de desculpas.




18 de fev de 2013

_RECEITA DE ALEGRIA _



Abra um largo sorriso
Olhe o azul lindo céu
Veja as aves voejando
Tão felizes...vão ao léu...

Dê um beijo na mamãe
E um abraço no paizinho
Nunca deixe lhes faltar
Seu amor e o seu carinho

Ore ao Papai do Céu
E lhe peça com fervor
Para derramar no mundo
Muitas bênçãos de amor

Ouça o lindo passarinho
Com o seu canto mavioso
Veja a linda abelhinha
Faz um mel que é tão gostoso...

Chegue cedo na escola
Dê um abraço na titia
Ela vai ficar contente
E pular de alegria

Brinque com os coleguinhas
Em união e harmonia
Deixe livre, correr solta
Toda sua fantasia.

Faça pipoca quentinha
Pra você e seus amigos
Peça ajuda à mamãe
O fogão tem alguns perigos

Vá à casa da vozinha
Leve a ela o seu carinho
Aproveite e dê um abraço
No seu lindo vovozinho.

Pegue o seu cãozinho fiel
Vá, com ele, passear
Tire a guia, deixe-o solto
Para ele desfrutar

Brinque livre , corra muito
Até o sol se esconder
Faça uma linda oração
Ao bom Deus,a agradecer.

É assim meu amiguinho
Que se faz uma receita
De união e alegria
Infalível e perfeita!

soninha


Os efeitos da TV no sono do seu filho


Pesquisa americana mostra que as crianças que assistem televisão após as 19h têm mais dificuldades para dormir

Televisão, videogame, celular, computador. Esses eletrônicos cada vez mais fazem parte da rotina das crianças. Apesar da variedade de programas, desenhos animados, jogos, brincadeiras e redes sociais, o excesso de “tela” pode causar problemas de sono na vida das crianças.

Um estudo feito pelo Instituto de Pesquisa do Hospital Infantil de Seattle, nos Estados Unidos com 617 crianças entre 3 e 5 anos, mostrou que aquelas que assistem televisão após as 19h têm mais problemas para dormir - como dificuldade para adormecer, acordam várias vezes durante a noite, têm pesadelos e sonolência diurna.

A pesquisa também analisou o tipo de programação que essas crianças assistiam. Segundo os cientistas, programas com violência – como desenhos animados, novelas e filmes – geram uma dose extra de adrenalina no corpo, o que dificulta o sono das crianças. E para tanto, não importa a hora em que assistem aos programas. Mesmo que seu filho veja um desenho violento pela manhã, ele poderá ter dificuldade para dormir durante a noite.


Para chegar a esse resultado, os pesquisadores se basearam em relatos dos pais das crianças e perceberam também que aquelas com televisão no próprio quarto podem assistir até 40 minutos a mais que as outras por dia.


Segundo a pediatra norte-americana Michelle Garrison, autora da pesquisa, alguns estudos anteriores feitos nos Estados Unidos, mostram que, pelo menos, um em cada quatro crianças têm televisão em seus quartos. “Isso acontece porque muitas famílias acreditam erroneamente que assistir TV pode ajudar seus filhos a pegarem no sono”, diz a especialista.


Aqui no Brasil, a situação não é diferente. “Sou pediatra há 16 anos e tenho percebido que as crianças têm problemas de sono cada vez mais cedo e a causa, quase sempre, está no excesso de tela e na falta de um ritual para dormir, que deve começar antes de dormir”, diz o pediatra Sylvio Renan Monteiro de Barros, da Sociedade Brasileira de Pediatria.


Texto de Bruna Menegueço

17 de fev de 2013

Uma Lição de Amor


Dona Josefa era uma ótima mãe, muito rica e cuidadosa com a sua família, porém não gostava de compartilhar a sua fortuna com os mais necessitados. Tinha apenas um filho, o Julinho que, desde pequeno escutava a mãe aconselhar: 

- Não dê nada seu para menino algum nem reparta a sua merenda com os seus coleguinhas,

Julinho, na sua santa inocência perguntava-lhe: 

_ Por que mamãe? Por que tem que ser assim?

Dona Josefa, com expressão carrancuda, respondia-lhe: 

- Os pais deles que trabalhem para dar o que os filhos precisam.

Julinho era um garoto esperto e inteligente e sabia que muitos pais não trabalhavam porque não encontravam emprego e por isto os filhos passavam algumas necessidades. Acreditando ser assim, ele sempre dividia a sua merenda com os colegas que não levavam, pegava brinquedos usados, esquecidos no fundo do baú e dava ao garotinhos que pediam na sua porta, tendo sempre o cuidado de não deixar a sua mãe ver nem saber.

Um certo dia, chovia muito e ele estava com a sua mãe na parada do ônibus esperando-o,quando chegou uma senhora com três filhos sendo o mais novo um bebê de colo. Julinho enviou à sua mãe um olhar tão triste por ver aquelas pessoas na chuva enquanto eles estava debaixo de uma grande e linda sombrinha, que a sua mãe envergonhada, dirigiu-se à loja mais próxima comprou um guarda chuva enorme e deu de presente àquela senhora para que se abrigasse com os seus filhos,

Dona Josefa sentiu-se muito...muito...muito feliz ao fazer isto e, a partir daquele dia ela passou a ajudar todas as famílias carentes que lhe procuravam.

Julinho, feliz com a transformação da sua mãe, um dia perguntou-lhe:

_ Por que a senhora mudou de ideia quanto a repartir o que temos, mamãe?

- Por que eu vi no seu olhar que você é a felicidade que eu preciso e que você é mais importante que o dinheiro que eu tenho tanto medo de perder. E entendi também que todos nós somos filhos de Deus e que, se Ele cuida de todos nós, por que não tentarmos fazer o mesmo, cuidando dos mais necessitados?

Julinho e dona Josefa, felizes, contaram ao seu Júlio a experiência que vivenciaram e todos sorriram aplaudindo a Generosidade que é a mãe da Caridade!

Trabalhando: Amor ao próximo, Caridade, Solidariedade e Egoísmo.

soninha

beijinhos de luz...


Cuidados com a saúde das crianças no tempo seco


A baixa umidade do ar traz uma série de desconfortos para as crianças e adultos. Veja como amenizá-los, O tempo está seco na sua cidade? Saiba que o impacto desse clima atinge a saúde de crianças e adultos. Entre os sintomas estão ardência e ressecamento dos olhos, boca e nariz e, principalmente, doenças respiratórias - o que se agrava ainda mais se a criança é alérgica.  


“Atualmente, uma em cada cinco crianças têm algum tipo de alergia, e, quando o tempo fica seco, as alérgicas, que têm rinite ou asma, por exemplo, são as que mais sofrem com os desconfortos respiratórios”, diz o pediatra Cid Pinheiro, do Hospital São Luiz (SP). Tosse, coceira no nariz (em crianças menores pode até ocorrer casos de sangramento nasal), espirros, garganta seca e falta de ar são as manifestações respiratórias mais comuns", diz.

Nas grandes cidades, a situação se complica ainda mais. Isso porque mais partículas de diversos tipos ficam no ar e são inaladas, como os ácaros, o enxofre que sai do escapamento de veículos, poeira e restos de materiais queimados.


O que fazer? 
Para evitar ou minimizar esses problemas, é preciso alguns cuidados. Em primeiro lugar, fique atenta com a hidratação das crianças. É fundamental oferecer bastante líquido. Água, sucos, água de coco e chás são boas opções. 


Mas alguns alimentos são também importantes. De acordo com Milton Mizumoto, nutrólogo da Associação Brasileira de Nutrologia (ABRAN), frutas ricas em líquidos, como melão e melancia, devem fazer parte do cardápio. Laranjas e outras que têm vitamina C são aliadas para reduzir as crises de rinite, mais frequentes com a baixa umidade. 


Alguns alimentos, no entanto, devem ficar longe do cardápio de filhos e pais, caso das frituras e industrializados. Abuse dos legumes e verduras no preparo da comida das crianças. Se o bebê mama apenas no peito, convém oferecê-lo mais vezes.



Autora:Ana Paula Pontes

beijinhos saudáveis...


CRIANÇA EGOÍSTA: como lidar


Pesquisa comprova que os pequenos têm mais dificuldade de compartilhar que as maiores. O papel da família é fundamental para elas aprenderem a dividir

Seu filho empresta os brinquedos aos amigos sem a sua intervenção? Se ele é pequeno e você já passou pela saia-justa de não conseguir convencê-lo de compartilhar suas coisas com colegas, saiba que isso é natural. Nos primeiros anos, a criança é mais egocêntrica, e, conforme cresce, muda de comportamento.

Pesquisa realizada por cientistas da Universidade de Zurique avaliou 229 crianças entre 3 e 8 anos de idade. Eles entregaram doces para cada uma delas e observaram como as guloseimas seriam divididas. O resultado mostrou que a maioria das mais novas, entre 3 e 4 anos, não compartilhou o doce com o parceiro.

Embora pesquisas mostrem que há uma influência genética para ser ou não egoísta, o ambiente em que seu filho vive é fundamental para que aprenda a ser mais sociável, capaz de se relacionar e partilhar com o outro. “Todos nós ‘nascemos’ egoístas, mas aprendemos a dividir para não vivermos isolados socialmente”, diz Rita Calegari, psicóloga infantil do Hospital São Camilo. Se os pais não têm espírito de cooperação, provavelmente a criança agirá da mesma maneira na sua vida.

A escola também exerce um papel fundamental no comportamento porque elas percebem que não são o centro de tudo e precisam esperar a sua vez para viver em harmonia com um grupo.

Veja como é possível estimular a criança a dividir:
- Faça uma limpeza, mesmo que anual, com o que seu filho não usa e não brinca mais. Peça para que ele participe do momento da reciclagem e da doação, seja a algum parente, creche ou abrigo; 
- Se for receber crianças em sua casa, fale para seu filho que elas vão querer brincar com as coisas dele. Mostre que isso é muito bacana, pois quando ele for a casa delas também poderá conhecer os brinquedos que têm;  
- Seu filho pede um presente toda vez que você vai comprar algo para um amigo que está fazendo aniversário? Converse e diga que aquele dia é o colega quem ganha, e o presente dele virá em seu aniversário ou numa data especial. Assim, a criança aprende que não é porque o outro ganha que ela também tem de ter.
Autora:"Ana Paula Pontes"
beijinhos de luz... 

16 de fev de 2013

Pudim de Tapioca

Foto: Pedro Rubens

Ingredientes:

. 1/4 de xícara de tapioca 
. 1 1/2 xícara de leite 
. 3 colheres (sopa) de açúcar 
. 1 gema passada na peneira
Modo de preparo:

- Em uma tigela, deixe a tapioca de molho em 1/2 xícara de leite quente por 20 minutos. 
- Transfira essa mistura para uma panela, juntando o leite restante, o açúcar e a gema. 
- Cozinhe em fogo baixo, mexendo sempre, por 15 minutos ou até que engrosse. 
- Distribua o creme em três fôrmas de buraco no meio de 8,5 cm de diâmetro. 
-Sirva em temperatura ambiente ou gelado.

Este pudim é delicioso, as crianças adoram e é bem refrescante...
Você pode cobrir com uma calda deliciosa de ameixa, cereja, tangerina etc,

beijinhos de luz.

_UMA GRANDE AMIZADE_




No Reino Encantado dos Animais havia um cãozinho, "pepi", que vivia sempre tristonho a chorar pelos  cantos. 


Embora ele fosse saudável e muito bonito, todas as pessoas que visitavam o Reino lhe agradavam e gostavam de desfrutar da sua companhia, ele continuava triste.

Um certo dia, "pepi" estava deitado no seu cantinho preferido quando escutou uma vozinha lhe chamando:

_Pepi, ô pepi, o que é que você tem amiguinho?

O cãozinho, surpreso com aquela voz tão delicada e mansa, ergueu a cabeça e viu um lindo gatinho ao seu lado, era o "pupi", acariciando a sua cabecinha. Então pensou:

- Ué, todos dizem que os gatos temem os cães, como é que este gatinho se aproximou de mim? Será que é real ou estarei sonhando?

O gatinho que tinha o poder de ler os pensamentos de todos os animais lhe respondeu:

_ É verdade amiguinho, nós tememos os cães porque eles nos maltratam mas existem alguns que são nossos amigos e você é um deles.

Mais surpreso ainda em ver que o gato lera o seu pensamento, "pepi" levantou-se, encarou o gatinho e falou:

- Quem é você afinal? Algum bruxou, mágico ou anjo? 

_ Sou um simples gatinho, respondeu "pupi".

- Como você soube o que eu estava pensando?

_ Ah! Deus me deu este dom para que eu possa me defender.

- O que você quer de mim? perguntou "pepi" ao gatinho.

_ A sua amizade , apenas isto. Eu estou aqui para sermos verdadeiros amigos e nos alegrarmos por toda a nossa vida.

Pepi, feliz com a chegada daquele gatinho tão gentil e amigo, resolveu aceitar a amizade de "pupi" e, aos poucos foi conhecendo-o, apresentou-o aos seus pais, foi conhecer a família do gatinho, tornando-se assim grandes e inseparáveis amigos.

Desta maneira "pepi" descobriu a felicidade e nunca mais foi visto triste pelos cantos. As duas famílias, cães e gatos também se tornaram amigas mostrando desta maneira que é sempre possível sermos amigos se soubermos respeitar e aceitar as nossas diferenças.

soninha

beijinhos de luz...


Você sabia que...


- O Curió ou Avinhado: é o mais apreciado pela beleza de seu canto, não pela sua plumagem. 
- Quando adulto, é preto com o peito marrom escuro. 
- A melodia do canto do curió se parece com arqueadas de violino. 
- O canto praticado pelos aficcionados de São Paulo é o "Praia Grande clássico". 
- Milhares de pessoas adquirem filhotes de boa linhagem e tentam ensiná-los a cantar com perfeição, tocando gravações dos curiós famosos, insistentemente. 
- Devido a dificuldade de se conseguir um curió de canto perfeito e repetidor (aquele que repete o canto completo por diversas vezes, quanto mais, melhor), ele pode valer verdadeiras fortunas. 
- Em Santa Catarina, o canto mais divulgado é o "Florianópolis", mas o canto "Praia" tem muita força. - No Rio de Janeiro, é o canto "Paracambi" que desperta o sentimento dos colecionadores. 
- No Norte e Nordeste admiram o canto "Vi-vi-te-téu" e o "Timbira".

8 de fev de 2013

RESPEITO ÀS COISAS ALHEIAS


Paulinho era um menino que fora criado com todo amor e carinho pelos seus pais. 

Estudava numa escola boa e confortável, tinha professora dedicada e amigos com quem se divertia nas horas de folga. Enfim, era um bom aluno. 

Contudo, certa vez entrou na sua classe um garoto maior que veio transferido de outra escola. De personalidade envolvente, Roberto começou a dominar Paulinho, que passou a ver no novo amigo um líder. 

Desse dia em diante, Paulinho mostrou fraco rendimento escolar, não fazia mais os deveres de casa, tornou-se malcriado e saía sempre à noite voltando tarde ao lar, sem que sua mãe soubesse onde tinha estado. 

Não valeram conselhos e recomendações dos pais e da professora; o garoto cada vez mais mostrava indisciplina, desrespeito e desinteresse por tudo o que lhe fora ensinado até então. 

Seus pais, muito preocupados, não sabiam mais o que fazer. 

Nessa época, o pai de Paulinho começou a ter problemas de saúde. O coração estava seriamente comprometido e era necessário um tratamento rigoroso e muito cuidado. 

Certo dia, Paulinho chegou tarde da noite e encontrou tudo fechado e silencioso. Ninguém em casa. 

Sem saber o que fazer, procurou informações com um vizinho. Assim, recebeu a notícia de que seu pai passara mal e fora levado às pressas para o hospital. 

Com o coração angustiado, correu até o hospital e encontrou sua mãe em prantos. 

— Graças a Deus que você chegou, meu filho — disse ela. 

— Como está papai? — perguntou, aflito. 

— Está sendo atendido pelo médico, Paulinho, mas demoramos muito para vir e temo que o socorro chegue tarde. 

— Mas, por que, mamãe? Por que não pediu para Aninha ligar logo de um telefone público? 


— Eu pedi, meu filho, mas o telefone está quebrado. 

Muito desapontado, o garoto lembrou-se de que fora ele mesmo e seu bando quem destruíra o aparelho por brincadeira. Gaguejando, insistiu: 

— Mas tem um pronto-socorro próximo de nossa casa. Por que a senhora não solicitou uma ambulância? 

Meneando a cabeça, a mãe informou algo desalentada: 

— Tentamos, Paulinho... Mas a ambulância, infelizmente, estava com os quatro pneus cortados, serviço de um bando de garotos desocupados que andam por aí, segundo informaram. 

Corando até a raiz dos cabelos, Paulinho lembrou-se que, também por divertimento, eles haviam estragado os pneus da ambulância que estava estacionada no pátio defronte o pronto-socorro. 


Cheio de vergonha e arrependimento, em lágrimas, Paulinho confessou à sua mãe tudo o que fizera, e concluiu: 

— Se o papai morrer, nunca mais vou me perdoar. Por minha culpa ele não recebeu a assistência urgente de que tanto precisava. 

A mãezinha que ouvia calada afagou-lhe os cabelos e falou com carinho: 

— Sempre é tempo de nos arrependermos de nossas ações más, meu filho. Ore e peça a Deus em favor do seu pai. Ele nunca deixa de nos amparar nas nossas necessidades. 

Algum tempo depois, o médico veio avisar que estava tudo correndo bem e que o paciente logo estaria recuperado. 

Cheios de alegria, mãe e filho se abraçaram, agradecendo a Deus que atendera às suas súplicas. 

E, a partir daquele dia, Paulinho voltou a ser o menino que era antes, reconhecendo que o respeito à propriedade alheia é muito importante, especialmente às coisas públicas que prestam serviço inestimável à população, e que nunca sabemos quando nós também vamos precisar delas. 

Que ele, ao invés de transmitir suas boas qualidades aos amigos indisciplinados, se deixara contaminar por eles. 

Paulinho prometeu a si mesmo que faria tudo o que pudesse para que seus amigos também compreendessem que somente o respeito e o amor ao próximo poderão nos tornar pessoas melhores e mais felizes. 

Fiel às promessas de mudança interior que fizera a si mesmo, Paulinho procurou à companhia telefônica e a direção do pronto-socorro responsabilizando-se pelos estragos verificados e prontificando-se a pagar com seu trabalho os prejuízos que causara.


Tia Célia

Não dê armas às crianças!!

Não dê armas às crianças!!